sexta-feira, 24 de abril de 2009

Câmara terá votação aberta para cortar passagens de parentes


Está decidido. O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), pretende fazer uma votação nominal e aberta para aprovar o ato que proibe o uso de passagens aéreas por parentes e amigos de congressistas.

Até ontem (23.abr.2009), havia um temor de que os chamados deputados do baixo clero, de pouca expressão na mídia, tivessem força para derrotar a proposta. Havia pressão para que a votação fosse secreta. Temer, que havia anunciado o corte da farra aérea para parente como um fato consumado na quarta-feira, acabou tendo de recuar.

Hoje (24.ab r.2009), a percepção de Temer e de seus aliados mais próximos é que pegou muito mal fazer o recuo. Acham que a melhor estratégia será mesmo ir ao confronto com o baixo clero. O voto aberto, acredita Temer, constrangerá até alguns defensores do uso indiscriminado de passagens aéreas. Para não correr risco de derrota, os líderes partidários estão todos sendo colocados em alerta a respeito dessa que pode ser a mais importante votação na Câmara neste primeiro semestre --pelo potencial de recuperar um pouco a imagem do Legislativo ou afundar de uma vez a reputação de todos.

O ato da Câmara será idêntico ao que o Senado aprovou na quarta-feira (22.abr.2009). Trata-se de documento vago, que não deixa claro, por exemplo, o fim da farra das passagens em viagens internacionais. Há apenas um acordo tácito a respeito de não mais permitir a ida de congressista ao exterior para finalidades particulares.

Mas fica explícito que parentes não podem mais viajar às custas do Congresso. Essa decisão é que deixou o baixo clero em chamas. E a disputa terá um desfecho na semana que vem. A votação deve ser conduzida na terça ou na quarta-feira (28 ou 29.abr.2009).

Click AQUI para ver os outros 38 escândalos do Congresso deste ano.



Por Fernando Rodrigues

Um comentário:

Laguardia disse...

Na minha opinião se o parlamentar quer viajar que o faça com recursos próprios.