terça-feira, 7 de abril de 2009

Fujimori é condenado a 25 anos de prisão no Peru


LIMA - O ex-presidente Alberto Fujimori foi condenado a 25 anos de prisão pelas acusações de assassinato e sequestro durante a década de 1990, considerados pelo tribunal como "crimes contra a humanidade". Fujimori é o primeiro ex-presidente democraticamente eleito da história a ser julgado em seu próprio país por violações dos direitos humanos.

Veja também:

Era Fujimori foi marcada por combate a rebeldes e intimidação

Um painel formado por três juízes considerou Fujimori culpado de ter ordenado que um esquadrão militar matasse 25 pessoas em dois massacres realizados durante seu governo de 1990 a 2000, quando ele enfrentava a oposição de guerrilhas. Promotores pediram uma pena de 30 anos de prisão para Fujimori. O ex-presidente negou as acusações, e sua defesa disse que recorrerá da decisão.

O magistrado Martín qualificou os crimes cometidos como "a mais grave e severa desvalorização da pessoa" por parte de Fujimori. "Interponho um recurso de nulidade", afirmou Fujimori, quando questionado sobre a sentença. O promotor José Peláez se disse satisfeito com a pena imposta.

Durante a leitura da sentença, o ex-líder entrou na sala, cumprimentou seus parentes que estavam no local e se sentou em uma cadeira, onde tirou um caderno e uma lapiseira para fazer anotações. O presidente da sala, César San Martín, disse que a sentença foi definida por unanimidade e demandou o trabalho coletivo e constante desde o primeiro dia".

O ex-líder (1990-2000) é acusado pelo assassinato de 15 pessoas, entre elas uma criança, que participavam de uma festa na área de Barrios Altos em 1991, e de nove estudantes e um professor da Universidade La Cantuta em 1992. Além disso, Fujimori foi processado pelo sequestro do jornalista Gustavo Gorriti e do empresário Samuel Dyer em 1992. San Martín disse que o grupo militar encoberto Colina, autor material dos massacres, cometeu 50 assassinatos em 15 meses de atividade, e que o governo de Fujimori desenvolveu uma febril atividade para esconder os fatos após saírem ao conhecimento público.

Fujimori chegou a desfrutar de uma grande popularidade por ter fortalecido a economia do país e derrotado a insurgência maoísta Sendero Luminoso, mas um escândalo de corrupção derrubou seu governo em 2000 e ele escapou para o exílio no Japão. Atualmente com 70 anos, ele deve passar o resto de sua vida atrás das grades.

Estadão online

Nenhum comentário: