quinta-feira, 23 de abril de 2009

O Fim do Brasil?


BRASÍLIA - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa radicalizou hoje sua postura e transformou-se em personagem de um bate-boca sem precedentes na história da Corte. Em 13 minutos, das 17h40 às 17h53, quando a sessão do tribunal caminhava para o encerramento, Barbosa transformou uma cobrança de informações do presidente do STF, Gilmar Mendes, em uma agressão verbal que levou os demais ministros a fazer uma reunião extraordinária para tratar do bate-boca - Barbosa foi embora do tribunal e não participou.


O confronto começou quando o STF analisava recursos em que era discutido se as decisões, sobre benefícios da Previdência do Paraná e sobre foro privilegiado, tinham ou não efeito retroativo. Essas decisões haviam sido tomadas em sessões em que Barbosa faltou aos julgamentos - ele estava de licença. O ministro Barbosa disse que a tese de Mendes deveria ter sido exposta "em pratos limpos". Mendes respondeu: "Ela foi exposta em pratos limpos. Eu não sonego informações. Vossa Excelência me respeite", e lembrou que o ministro faltara à sessão em que o recurso começou a ser decidido.

Quando Mendes disse que o ministro não tinha "condições de dar lição a ninguém", Barbosa partiu para o ataque pessoal ao presidente do STF. "Vossa Excelência está destruindo a Justiça deste País e vem agora dar lição de moral em mim? Saia à rua, ministro Gilmar. Saia à rua, faz o que eu faço", afirmou Barbosa. Em seguida, depois de Mendes dizer que estava na rua, Barbosa acrescentou: "Vossa Excelência não está na rua não. Vossa Excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro."

Outro ministro, Carlos Ayres Britto, tentou acalmar os ânimos. "Ministro Joaquim, vamos ponderar." Mas de nada adiantou. "Vossa Excelência quando se dirige a mim, não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite", reagiu Barbosa. O presidente do STF nasceu em Diamantino, cidade do Estado de Mato Grosso.

Estadão

Após bate-boca, oito ministros do STF dão apoio a Gilmar Mendes

REUTERS


SÃO PAULO - Oito ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) divulgaram nota em que reiteram seu apoio ao presidente da Corte, Gilmar Mendes, após bate-boca no plenário do tribunal em que o ministro Joaquim Barbosa disse que Mendes está "destruindo a Justiça desse país".

A nota, assinada pelos ministros Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Cezar Peluso, Carlos Ayres Britto, Eros Grau, Ricardo Lewandowski, Carmen Lúcia e Carlos Alberto Menezes Direito, também lamenta a discussão entre Mendes e Barbosa.

"Os ministros do Supremo Tribunal Federal que subscrevem esta nota, reunidos após a sessão plenária de 22 de abril de 2009, reafirmam a confiança e o respeito ao senhor ministro Gilmar Mendes na sua atuação institucional como presidente do Supremo, lamentando o episódio ocorrido nesta data", diz a breve declaração, publicada no site do STF.

A ministra Ellen Gracie não participou da sessão, segundo a assessoria do Supremo. Os ministros também decidiram cancelar a sessão da corte que estava marcada para essa quinta-feira.

O bate-boca entre Mendes e Barbosa aconteceu quando os ministros julgavam uma matéria sobre a previdência estadual do Paraná.

Mendes recusou o pedido de Barbosa por mais detalhes do processo, alegando que ele não estava presente quando a questão começou a ser julgada e emendou: ""Vossa Excelência não tem condições de dar lição a ninguém".

"Vossa Excelência me respeite", respondeu Barbosa, visivelmente irritado. "Vossa Excelência não tem condição alguma. Vossa Excelência está destruindo a Justiça desse país e vem agora dar lição de moral a mim?", indagou.

"Vossa excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É isso. Vossa Excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas de Mato Grosso, ministro Gilmar", completou Barbosa.

A sessão foi interrompida por sugestão do ministro Marco Aurélio Mello. Barbosa deixou o plenário enquanto os demais ministros presentes se reuniram no gabinete de Mendes, onde decidiram pelo cancelamento da sessão de quinta e pela divulgação da nota em apoio ao presidente da Corte.

(Reportagem de Eduardo Simões)
Estadão online


Acho que agora só falta decretarem o Fim da República Federativa do Brasil. Esta, com morte em avançado estágio de decomposição, no dia de 509 anos do Descobrimento, O Executivo brincando de "Foro de São Paulo" na Argentina, O Congresso Nacional brincando de agência de viagens e outros golpes, e agora o Judiciário, representado por sua Máxima Corte (STF) faz a pantomima contra o Estado de Direito (conforme o vídeo).
Fim do Brasil.
Será que serão anexados os outros países do Foro e virar a tão conspirada URSAL?

Teoria da Conspiração?

Acho que não. Exagerei, mas que o que o relator do mensalão, que absolveu Dirceu, Min. Joaquim Barbosa, faz esse teatro para levantar uma "falsa moral", onde "todos brasileiros queriam estar no lugar dele e jogar sapatos em Gilmar Mendes".
Quem pensou assim, reveja seu conceito de Estado de Direito e de "politicamente correto"!
Sua urina saiu vermelha hoje?
Seus olhos estão vermelhos?
Você acordou com disposição para mudar o mundo?
Faça o habitual, vá trabalhar, não leia os jornais se for preciso (pode dar azia) e no fim do expediente encha a cara, pegue um taxi, vá para casa, não converse com ninguém, recomendo bastante água e uma anti-ácido qualquer e cama!
No outro dia, a dor de cabeça o fará voltar a realidade e perceber que na verdade esta "moral" está prester a destruir o Brasil!

2 comentários:

Laguardia disse...

Tenho 62 anos de idade. Ainda não desisti de mudar o mundo. Sou ingênuo? talvez, mas não consigo parar de lutar.

Acredito sinceramente que o bem sempre vence o mal. Podemos perder uma batalha, mas vamos ganhar a guerra.

Se um soldado cai outro se levanta.

O Anti Foro São Paulo tem feito um tremendo bem ao Brasil assim como o Coturno Noturno.

Desistir nuca, lutar por nossas crenças até o fim, mesmo com batalhas perdidas.

Podem contar comigo na batalha.

flávia disse...

Eu também estou acreditando que está tudo orquestrado,acabaram com as nossas Instituições,quem sabe não justifica um golpe de estado?