sábado, 30 de maio de 2009

EUA reagirão prontamente a ameaças da Coreia do Norte



CINGAPURA - O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, advertiu neste sábado a Coreia do Norte de que responderá prontamente se o país ameaçar a América ou seus aliados asiáticos. Gates comparou o programa nuclear da Coreia do Norte ao do Irã, mas observou que o norte-coreano está aquém do iraniano. Gates defendeu "sanções genuinamente rígidas" contra ambos países, "que provoquem prejuízos domésticos reais por não terem aderido às normas internacionais".



"Não ficaremos passivos enquanto a Coreia do Norte desenvolve a capacidade de provocar a destruição de qualquer alvo na região ou contra nós", afirmou Gates durante uma conferencia anual de segurança em Cingapura.



Gates fez seu discurso mais duro contra a ação da Coreia do Norte desde que o país realizou, segunda-feira, um teste nuclear submarino, seguido pelo lançamento de seis mísseis até ontem. Gates não foi, entretanto, adiante, descrevendo como os Estados Unidos poderiam responder, militarmente ou de outra forma, acrescentando não haver qualquer plano no momento de deslocamento de mais forças norte-americanas para a região.



Como responder aos testes da Coreia do Norte é um dos principais assuntos da conferência, que reúne autoridades de defesa e segurança da Ásia e da região do Pacífico. O ministro da Defesa da Coreia do Sul, Lee Sang-hee, disse que os testes são "uma séria ameaça". Mesmo a China, que anteriormente ignorou as sanções das Nações Unidas para punir a Coreia do Norte após os testes atômicos de 2006, apoiou as declarações. "Como vizinho próximo da Coreia do Norte, a China tem expressado uma oposição firme e grande preocupação com o teste nuclear (de segunda-feira)", disse o major-general Ma Xiaotian, o segundo homem mais importante na hierarquia do exército chinês.



Gates deverá reunir-se mais tarde com os ministros da Defesa da Coreia do Sul e do Japão para discutir a Coreia do Norte. A administração Obama anunciou que irá enviar uma delegação amanhã para Tóquio, Seul e Pequim e, possivelmente, a Moscou na próxima semana, para discutir como responder aos testes da Coreia do Norte. As visitas estavam previstas, uma vez que o Conselho de Segurança das Nações Unidas deve anunciar sanções financeiras e militares para evitar que a Coreia do Norte transporte material nuclear ou outras armas.


As informações são da Associated Press.

Nenhum comentário: