sexta-feira, 8 de maio de 2009

Exército da Venezuela ocupa empresas petrolíferas


Medida foi tomada horas após Legislativo aprovar a nacionalização parcial de serviços do petróleo no país

Reuters


CARACAS - Soldados venezuelanos tomaram na noite de quinta-feira, 8, o controle de estaleiros e outras instalações de companhias de serviços petroleiros que atuam no lago Maracaibo, em Zulia. A medida é a mais recente do presidente socialista Hugo Chávez para reforçar o seu controle sobre a indústria do país e foi tomada horas depois do legislativo aprovar uma lei que permitiu a estatização de um grupo de petrolíferas.

A lei facilitará que o governo assuma o patrimônio de empresas como Halliburton e Schlumberger, num momento em que a estatal PDVSA acumula dívidas de bilhões de dólares com fornecedores, devido à queda nos preços do petróleo. A medida pode reduzir ainda mais a produção de petróleo do país, pois pode desacelerar serviços essenciais, já prejudicados após anos de investimentos insuficientes da PDVSA, que banca os programas sociais responsáveis pela popularidade de Chávez.

"Amanhã (nesta sexta feira) começaremos a recuperar bens, ativos que passam a ser do Estado, de propriedade social como sempre deveriam ter sido", afirmou Chávez. Segundo o presidente, milhares de trabalhadores passarão a fazer parte da companhia petrolífera estatal PDVSA. Porém, um grupo que representa as companhias do Lago Maracaibo afirmou que soldados tomaram ainda na noite de quinta-feira o controle de instalações de pelo menos 20 empresas.

A lei coloca o Estado à frente de companhias que prestam serviços como a reinjeção de gás e água e o transporte naval no lago Maracaibo (região produtora de petróleo), e dá à PDVSA o direito de assumir as empresas envolvidas nessas operações. A nova legislação permitirá que o governo exproprie empresas e indenize as companhias com títulos públicos em vez de dinheiro, que determine o controle preliminar do patrimônio da empresa enquanto a Justiça resolve disputas, e possivelmente anula contratos existentes.

"Um setor importante como o petróleo não pode ficar sujeito aos caprichos das empresas privadas, deve estar sujeito ao controle do Estado", disse a jornalistas na quarta-feira o ministro da Energia, Rafael Ramírez. De acordo com ele, o governo irá divulgar uma lista de empresas que seriam assumidas sob a nova legislação. Uma delas, a Williams Companies, que tem dívidas de 241 milhões de dólares a receber da PDVSA, está "ao alcance da lei", segundo o ministro.


Estadão

Nenhum comentário: