domingo, 31 de maio de 2009

INSTALADA A CPI DO CQC!!!!

Renan Calheiros, que comanda o circo,
e Romero Jucá, cotado para relator: se o assunto é fraude...


Dirigida por especialista em escândalos, a CPI da Petrobras
já produziu uma certeza: vai custar caro ao contribuinte


Alexandre Oltramari


Um dos programas mais divertidos da televisão brasileira, o Custe o que Custar (CQC), vai ganhar um concorrente de peso. Nesta semana, o Senado instalará a CPI da Petrobras, investigação que deveria apurar suspeitas de malfeitorias na administração da maior empresa do país. A CPI, que já tem seus onze integrantes definidos, será dirigida por Renan Calheiros, um colecionador de escândalos especialista na arte de barganhar verbas e cargos por favores a governos. Seu elenco, que vai frequentar o horário nobre da televisão pelos próximos 180 dias, tem bastante experiência na área. Dos onze integrantes da CPI, oito são réus em ações criminais no Supremo Tribunal Federal ou tiveram sua campanha financiada por empresas que fazem negócios com a petrolífera. O favorito ao cargo de relator, o senador peemedebista Romero Jucá, é investigado em dois inquéritos e já foi indiciado por crimes de responsabilidade e corrupção eleitoral. Nas mãos de Calheiros e sua turma, portanto, a CPI da Petrobras tem tudo para se transformar em uma espécie de CQC. A diferença é que o humorístico dirigido por Calheiros, além de não ter nenhuma graça, custará muito caro aos cofres públicos.

A CPI da Petrobras nem começou e já mostrou a que veio. Um de seus integrantes, o senador João Pedro, do PT do Amazonas, sugeriu o roteiro que ele considera ideal: "Acho que temos de ir no passado da Petrobras e investigar coisas como o acidente da plataforma P-36 e os gestores durante o governo Fernando Henrique". Embora as auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU) que serviram de base para a criação da CPI tenham identificado superfaturamento milionário (81,5 milhões numa única obra), contratos sem licitação e indícios de fraudes recentes, o petista pretende iniciar a CPI investigando fatos ocorridos há oito anos. A tecnologia de transformar CPIs em campeonatos de delitos é recente e eficaz, quando o objetivo é não apurar nada. Foi adotada na CPI dos Correios, em 2005, e na CPI dos Cartões, no ano passado – e começa a ser reprisada agora. E foi exatamente para garantir que as investigações sejam mantidas sob estrito controle dos interesses oficiais que o governo lançou mão dos valiosos serviços oferecidos por Renan Calheiros, Romero Jucá e outros integrantes do noticiário policial do Congresso. Eles estarão lá, atentos, de prontidão, dispostos, como sempre, a fazer o que for preciso, custe o que custar.


Revista veja, ed 2115

Um comentário:

Anônimo disse...

CHISTE, repassando:

Blogspot Coturno Noturno; http://coturnonoturno.blogspot.com/
31/05/2009 - Repasse este email aos amigos: precisamos acabar com o "Analfabeto Político"


Quer fazer a própria CPI da Petrobras?
Quer fazer uma CPI Particular da Petrobras?
Clique e conheça todos os contratos da estatal.
O mais interessante de tudo é que os companheiros adoram uma "inexigibilidade"
de concorrência ou um "convite" para escapar de uma licitação.

Esta é a caixa-preta da Petrobras. "Contas Públicas Petrobras"
Bom domingo para todos.


CLIQUE, só por curiosidade, veja pra onde vai o meu e o seu dinheiro:



http://www2.petrobras.com.br/materiaishtm/contratos_servicos/PORTAL_1000_S/Documents/SPB_MM_WEB_SITE_1000_S_00014.htm