quinta-feira, 7 de maio de 2009

Por falar em impunidade: Operação Satiagraha.




BRASÍLIA - A CPI dos Grampos aprovou nesta quinta-feira, 7, seu relatório final com o pedido de indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. O empresário é o único personagem central da investigação da comissão a ter o nome incluso no texto final. Demais personagens, alvo de apuração ao longo de 16 meses de existência da CPI, como os delegados Protógenes Queiroz e Paulo Lacerda, ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ficaram de fora do texto aprovado.


Por consenso entre os integrantes da CPI, no entanto, as recomendações de indiciamento de Protógenes, Lacerda, do ex-diretor ajunto da Abin José Milton Campana e do chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Félix, que fazem parte de votos em separado apresentados na CPI, vão ser anexadas ao texto final e encaminhadas ao Ministério Público Federal.

Além do indiciamento de Dantas, por grampo ilegal, no relatório final, a CPI também sugere os indiciamentos da delegada Eneida Tagary por suposta execução de escuta ambiental sem prévia autorização judicial; do detetive particular Eloy Ferreira Lacerda, por suposta prática de interceptação ilegal; do policial civil de São Paulo Augusto Pena, acusado de grampear clandestinamente a mulher, e do sargento da Aeronáutica Idalberto Araújo por vazamento de dados sigilosos. Eneida é mulher de Pena.

Para a CPI terminar oficialmente, falta apenas a votação de um destaque apresentado nesta manhã pelo deputado Laerte Bessa (PMDB-DF). Ele quer a exclusão dos pedidos de indiciamento da delegada da policial civil do Distrito Federal Eneida Tagary e do sargento Idalberto Araújo, além de alteração da redação do texto final da CPI no que diz respeito aos poderes de investigação do Ministério Público.

A CPI voltará a se reunir na terça-feira para a votação do destaque apresentado por Bessa.

Estadão

especialCronologia da Operação Satiagraha

Nenhum comentário: