quarta-feira, 3 de junho de 2009

Aécio cobra do PSDB agenda eleitoral


O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, transformou nesta quarta-feira um encontro do "PSDB Mulher" em homenagem a ex-primeira-dama Ruth Cardoso em palanque político. Aproveitando a ausência dos principais nomes da legenda, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Aécio cobrou a definição de uma agenda eleitoral para o partido enfrentar o "pós-governo Lula" e se esforçou para mostrar afinidade com o governador de São Paulo, José Serra --seu adversário na disputa pelo nome tucano em 2010.

"Acho importante diferenciar as nossas propostas das que os candidatos do governo levarão. Temos que definir a agenda para saber de que forma vamos agir no pós-governo Lula. Teremos o que mostrar e comparar com aquilo que foi feito até agora. Serra, que não pode vir aqui hoje, pediu para eu fazer das palavras dele as minhas. Ninguém quebrará a unidade do país por vontade pública", disse.

O governador foi bastante aplaudido e criticou indiretamente a resistência da cúpula do governo em investigar a Petrobras, com a CPI que vai ser instalada no Senado. O governador de Minas, no entanto, disse que os tucanos estão preparados para saírem vitoriosos das urnas em 2010.

"O Brasil precisa parar de temer CPIs, ser transparente. Saio desse evento certo de que temos a forca, de que podemos entrar nas vielas do país com o queixo erguido para dizer: 'eu sou tucano'", afirmou.

Aécio saiu em defesa da governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, que enfrenta denúncias de corrupção em seu governo. Para ele, a governadora causa orgulho no partido. "Isto não é um ato de campanha. É muito mais do que isso: é um ato de cidadania. Yeda, você não precisa da minha solidariedade e nem a de ninguém. Eu e o PSDB nos orgulhamos muito de você", afirmou.

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), também esteve presente no evento e afirmou que a definição do candidato do partido que disputará a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficará para o segundo semestre deste ano.

Segundo Guerra, neste momento, o partido discutirá alianças estaduais. A prioridade, de acordo com ele, é fechar acordos com DEM, PPS e PMDB. "Vamos tratar de campanha no segundo semestre. Vamos cogitar essas questões de escolha de presidente com vistas para eleição no segundo semestre e vamos fazer agora a estrutura do partido com convenções estaduais", disse.

A ala feminina do PSDB reuniu hoje em Brasília mais de 200 tucanas que participaram do lançamento da "Medalha Professora Ruth Cardoso" que, a partir de 2010, segundo o partido, "será conferida pelo 'PSDB Mulher' a mulheres, homens ou instituições que contribuam para a erradicação da pobreza e o avanço das conquistas das mulheres".

O presidente Fernando Henrique Cardoso chegou a confirmar presença no encontro, mas por motivos de agenda teria cancelado a participação.


Folha

Nenhum comentário: