domingo, 14 de junho de 2009

Coluna da Bellzinha


INTRODUÇÃO

Caracterísca de cada sistema de governo.

Muitas pessoas imaginam como seria o paraíso. Na verdade, filósofos e estudiosos vêm, através dos anos, conjecturando como o paraíso pode ser alcançado na Terra . O termo "utopia" foi criado em 1515 pelo escritor britânico Thomas More. Utopia é a descrição de um lugar ou de uma sociedade perfeita, em que todos são econômica e socialmente equilibrados.

A teoria econômica e política do socialismo foi criada com a visão de uma sociedade utópica. Contrário a outros sistemas econômicos, não há um consenso sobre como a sociedade socialista ideal operaria. Existem dúzias de formas de socialismo, todas com idéias discrepantes quanto a planejamento econômico, dimensão da sociedade e muitos outros fatores. Apesar das variações no pensamento socialista, todas as versões defendem os benefícios da cooperação entre as pessoas, distanciando-se dos "males" da concorrência associada ao capitalismo.

Princípios do socialismo

Rischgitz/Getty Images
O teórico Thomas More foi um dos primeiros defensores do socialismo Verdadeiros socialistas defendem uma sociedade totalmente desprovida de classes, na qual o governo controla todos os meios de produção e distribuição de bens. Os socialistas acreditam que esse controle seja necessário para eliminar a competição entre as pessoas e para colocá-las em igualdade. O socialismo também é caracterizado pela ausência da propriedade privada. A idéia é que caso todos trabalhem, todos colherão os mesmos benefícios e prosperarão igualmente. Conseqüentemente, todos recebem parcelas iguais em lucro, cuidados médicos e outras necessidades.

O socialismo é difícil de ser definido porque possui muitas corporificações. Mas em uma coisa os socialistas concordam: que o capitalismo oprime as classes mais baixas. Os socialistas acreditam que, em virtude da natureza competitiva do capitalismo, a minoria rica mantém controle sobre a indústria, efetivamente reduzindo salários e oportunidades para as classes trabalhadoras. O principal objetivo do socialismo é eliminar as distinções entre as classes, transferindo o controle da indústria para o Estado. Isso resultaria numa sociedade harmoniosa, livre de opressão e instabilidade financeira. Algumas das outras formas de socialismo incluem alguns objetivos.

A idéia é que caso todos trabalhem, todos colherão os mesmos benefícios e prosperarão igualmente.

( Meu comentário)
O socialismo não manda dar bolsa vadiagem pra ninguém não, é por isso que eu não acredito que o socialismo possa vingar no Brasil....imagine se essa corja toda, acostumada a mamar a grande nas roubalheiras todas vão querer um sistema desse?
Bom, mas vamos ver o resto da matéria...

Socialismo corporativista - com base no início do século 19 na Inglaterra (em inglês), esse socialismo era composto de trabalhadores corporativos (similares a sindicatos) responsáveis pelo controle e administração dos bens.
Socialismo utópico - defende a posse da indústria pela sociedade e a renúncia voluntária e pacífica da propriedade ao Estado. Implementado em comunidades como a Nova Lanark.


Socialismo de Estado - transfere as principais indústrias à operação e posse públicas.
Socialismo cristão - desenvolvido na Inglaterra em 1948, essa ramificação teve início no conflito entre a indústria altamente competitiva e os princípios cristãos. Sociedades socialistas cristãs são caracteristicamente guiadas por líderes religiosos em vez de grupos socialistas.
Anarquismo - opõe-se à dominação exercida pela família, Estado, líderes religiosos e classes de alto poder aquisitivo. O Anarquismo se opõe completamente a qualquer forma de repressão e tem sido associado a eventos radicais, incluindo homicídios na Itália, na França e na Grécia. O presidente americano William McKinley foi assassinado por um anarquista.

Socialismo de mercado - freqüentemente mencionado como uma conciliação entre o socialismo e o capitalismo. Nessa forma de sociedade, o governo ainda detém muitos dos recursos, mas o poder do mercado determina a produção e a demanda. Trabalhadores do governo também são estimulados a aumentar sua eficiência.
Agrarianismo - forma de socialismo que defende a distribuição imparcial das terras entre os camponeses e a auto-gestão governamental semelhante à da vida comunitária. Os ideais agrários foram populares nos Estados Unidos do início do século 20, contudo, o aumento do controle do governo deteve seu desenvolvimento.

Vida em comunidade

Sociedades comunais são desenvolvidas no ideal utópico de que os membros alcançarão harmonia trabalhando igualmente em conjunto. As comunidades são constituídas por um grupo de pessoas descontentes com a vida em uma sociedade controlada por um governo e com regulamentos com os quais não concordam. Comunidades religiosas são as mais comuns dessas sociedades, e incluem monastérios católicos e comunidades constituídas por grupos como os Shakers. Muitos dos moradores se unem às comunidades religiosas para poderem exercer suas crenças religiosas sem opressão. As comunidades ressurgiram fortemente durante os anos 60 nos Estados Unidos e na Europa Ocidental, em grande parte devido a pontos de vista opostos à guerra do Vietnã. Elas ainda existem mundo afora, porém não tão difundidas como antes.

História do socialismo

Thomas More cunhou o termo "utopia" em 1515 em seu estudo de mesmo nome, mas os ideais utópicos se originaram muito antes dele. Platão (em inglês) descreveu um meio semelhante na obra filosófica "República" em 360 a.C.

Em 1627, "Nova Atlântida" de Francis Bacon defendia uma abordagem mais científica, radicada em métodos científicos. Bacon previu uma sociedade semelhante a um instituto de pesquisa, no qual os cidadãos estudariam a ciência como forma de criar um ambiente harmônico por meio da reunião de seus conhecimentos. Adicionalmente a essas obras fundamentais, mais de quarenta romances - tendo a utopia como tema - foram publicados entre 1700 e 1850, consolidando seu status de ideal popular [fonte: Foner]. Como muitas injustiças sociais (como a escravidão e a opressão) estavam crescendo, o tema era muito popular entre os amargurados e deprimidos.

Enquanto um revolucionário francês chamado François Noël Babeuf (em inglês) é conhecido pela idéia de doar seus bens privados em prol da igualdade e freqüentemente considerado o primeiro socialista, o conceito não foi popularizado até o fim do século 18, quando a Revolução Industrial (em inglês) causou algumas mudanças drásticas ao redor do mundo.

A Revolução marcou a mudança das sociedades agrícolas para indústrias modernas, nas quais as ferramentas foram abolidas, dando lugar ao uso de maquinário avançado. Fábricas e estradas de ferro começaram a surgir, resultando em grandes riquezas para os proprietários dessas indústrias. Enquanto eles lucravam com essas mudanças, os trabalhadores ficavam subitamente na miséria por conta da falta de empregos, já que as máquinas começavam a substituir a mão-de-obra humana. Muitas pessoas temiam que essa discrepância de rendas aumentaria, tornando o rico cada vez mais rico e o pobre cada vez mais pobre.

Platão, escreveu sobre uma sociedade semelhante à que Thomas More descreveu em "Utopia"


Esse medo criou uma agitação entre a classe trabalhadora. Moradia precária, escravidão (que continuava acontecendo desenfreadamente nos Estados Unidos e em outros países) e péssimas condições de trabalho contribuíram para o desejo de uma sociedade mais igualitária. O resultado disso foi que os ideais socialistas rapidamente se tornaram populares entre os trabalhadores empobrecidos. Comunidades como a Brook Farm e a New Harmony começaram a surgir nos Estados Unidos e na Europa. Essas pequenas comunidades se baseavam nos princípios socialistas e trabalhavam para evitar a luta de classes que controlava o resto do mundo. New Harmony era considerada o centro do pensamento científico e se orgulhava por ter os primeiros serviços gratuitos de biblioteca, escola e pré-escola dos Estados Unidos.

Apesar da existência de pequenas comunidades e da propagação do pensamento socialista, o socialismo continuou sendo somente uma idéia, e não uma realidade. O ditador soviético Vladimir Ilyich Lenin foi o primeiro líder a submeter o socialismo a um teste. Apesar de ser um comunista (ramo do socialismo que usava ações militantes para subverter a classe dominante e o governo e alcançar uma sociedade utópica), Lenin implementou muitas iniciativas socialistas na União Soviética após assumir o governo em 1917. Essas iniciativas incluíam a nacionalização forçada da indústria e a agricultura coletivista. O programa de Lenin não dava lucros, então, no final, ele recorreu a uma economia mista. Às vezes, o comunismo é referido como socialismo revolucionário devido às suas táticas agressivas. Apesar de haver diferenças fundamentais entre as duas teorias, tanto o comunismo quanto o socialismo objetivavam eliminar a luta de classes encorajando o governo ou o estado a controlar a produção e a distribuição.

O período pós-Primeira Guerra Mundial viu um aumento da democracia socialista na Europa. Os partidos socialistas se tornaram ativos no governo da Alemanha, da Suécia, dos Países Baixos, da Bélgica e da Grã-Bretanha. O socialismo também se tornou popular em algumas partes da África, da América Latina e da Ásia.

Início do socialismo nos Estados Unidos

No começo do século 20, a disparidade econômica nos Estados Unidos estava ficando cada vez mais óbvia e a ideologia socialista começou a se destacar. Em 1874, um grupo de socialistas formou o Partido dos Trabalhadores, conhecido depois como Partido Socialista do Trabalho. O grupo defendeu o fim dos abusos sociais, assim como a reforma das questões trabalhistas (em inglês) e de outros assuntos que envolviam igualdade social.

O Partido Socialista do Trabalho se fundiu com o Partido Social Democrático em 1901 para formar o Partido Socialista da América. Em 1912, o partido tinha mais de 100 mil membros, mas seu crescimento nos Estados Unidos foi bastante refreado em 1917, quando o governo aprovou a Lei da Espionagem.

(Albert Einstein foi um pensador socialista muito respeitado)

A Lei da Espionagem se originou do receio do governo quanto ao modo de vida comunista, medo esse incitado pela sangrenta Revolução Bolchevique na Rússia, que resultou em milhões de mortes e na completa derrubada do governo russo. A Lei da Espionagem encorajou, acima de tudo, o patriotismo e tornou ilegal a oposição pública ao envolvimento na Primeira Guerra Mundial (em inglês).

A Lei da Espionagem

Os partidários do socialismo ficaram cansados da sua associação com o controverso sistema comunista, então o corpo de integrantes do Partido Socialista do Trabalho foi drasticamente reduzido nos anos 50, nos Estados Unidos. O medo da associação do socialismo com o comunismo continuou durante toda a era McCarthy (1950 a 1954), período em que o senador Joseph McCarthy denunciou pessoas suspeitas de serem comunistas. Muita gente temeu ser alvo de McCarthy e tentou não chamar tanta atenção, desligando-se do grupo (você pode ler mais sobre esse assunto em Como funcionava o macarthismo).


Mas apesar desses ataques contra os modos de vida socialista e comunista, os socialistas continuavam existindo nos Estados Unidos, muitas vezes apoiados por respeitáveis pensadores. Por exemplo, o notável acadêmico Albert Einstein escreveu um artigo chamado "Por que socialismo?", em 1949, no qual ele descreve a necessidade de uma economia socialista para eliminar os "males" do desemprego e da economia competitiva. Ele enfatizou a necessidade de um sistema educacional para atingir as metas socialistas e defendeu uma economia planejada para assegurar o sustento de cada cidadão. Outros socialistas famosos: John Lennon (em inglês), dos Beatles e Susan B. Anthony (em inglês), uma líder sufragista.

Diferenças básicas entre o socialismo e o capitalismo

Para as pessoas que não se interessam por política, os "ismos" podem parecer um pouco confusos. Tendo em mente que as formas do socialismo e do capitalismo podem variar de acordo com cada sociedade, veja a seguir uma análise das suas diferenças básicas.

Capitalismo: os meios de produção e distribuição de mercadorias pertencem a indivíduos ou corporações.
Socialismo: os meios de produção pertencem ao governo ou ao estado.

Capitalismo: é caracterizado por uma sociedade baseada em classes.
Socialismo: rejeita a necessidade de uma sociedade baseada em classes em prol de uma sociedade igualitária.

Capitalismo: cria uma atmosfera competitiva na qual trabalhadores e empresas são encorajados a trabalhar muito para alcançar o sucesso pessoal.
Socialismo: cria uma atmosfera de cooperação na qual uma pessoa, não importando o quanto trabalhe, receberá os mesmos benefícios que todas as outras pessoas.

Capitalismo: a propriedade privada é estimulada.
Socialismo: a propriedade privada é expressamente proibida.

Capitalismo: produz mercadorias baseando-se na lei da oferta e procura.
Socialismo: o governo determina a produção e os preços.

Meus caros membros ( e não cumpanherus)rsrsrsr:

Espero ter esclarecido um pouquinho sobre as diferentes formas de governo e com isso ter matado de uma vez por todas o fantasma do Socialismo.
Viram que não deu certo..acabou, foi um modismo que se foi e com passagem só de ida..adeus..não volta nunca mais....( ah também não tem a "cor Lilás"" nas bandeiras socialistas" rsrsrsrs.)

*Bellzinha, nossa grande colaboradora, terá sua identidade preservada por motivos óbvios, mas saiba-se que é Historiadora e Cientista Política.


O primeiro texto de nossa amiga Belzinha pode ser visto: AQUI

3 comentários:

Jomar Grimm disse...

Infelizmente este texto fica restrito a poucos, pois a grande impressa não divulga estes textos pois não é de interesse pois quanto mais alienado for o povo mais fácil é de se controlar.Tenho indicado este blog a varias pessoas e garanto que essas também indiquem a outros.Parabens

João Carlos disse...

Fantasma do Socialismo??? Ele está mais vivo do que nunca e em plena ascensão na América Latina. Só não enxerga quem não quer.

A fase de transição do regime democrático para o regime comunista é exatamente o Socialismo. E é por isso mesmo que ele voltou com tudo, já que a grande mãe (USSR) destes 'orangos' foi enterrada (apenas enterrada, não estou dizendo que está morta como deveria). O Foro de São Paulo quer fazer a América Latina uma nova república socialista. Acorda Brasil!!! Eles não estão para brincadeira!!!

Stenio Guilherme Vernasque da Silva disse...

João Carlos falamos em filosofia.
Estas cópias mal feitas Latinas nem passam perto.
Estudamos o Foro de São paulo para isso.
Mantê-la morta.

Surgiro este link:

http://antiforodesaopaulo.blogspot.com/2009/06/comunismosocialismo-um-ideologia.html