quarta-feira, 15 de julho de 2009

A 1ª Guerra Mundial: Capítulo 4 - Ligações Perigosas

Senhores da guerra são unidos por parentesco – George V
e Nicolau II sempre desgostaram do primo Guilherme II – Troca
de mensagens entre o alemão e o russo não evitou a guerra

Seja por meio de laços de sangue ou de matrimônio, a teia de alianças que entrelaçou o poder na Europa tem uma origem comum: o fecundo útero da rainha britânica Vitória (1819-1901). Seus nove filhos, 42 netos e muitas dezenas de agregados espalharam-se, de acordo com a vacância de tronos, pelos mais diversos rincões do Velho Continente. Assim, neste exórdio da Grande Guerra, não é de todo surpreendente o fato de que, no comando das potências rivais, pontifiquem primos de primeiro e segundo graus, coleguinhas que brincavam juntos de pega-pega nos floridos jardins dos palácios europeus: o kaiser Guilherme II, o rei George V e o czar Nicolau II.

Mais velho da turma, o soberano alemão é o primeiro neto da finada rainha da Inglaterra, um dos rebentos de sua filha Vitória. Da mesma forma, o monarca britânico também é também neto da chamada "vovó da Europa", herdeiro de Eduardo VII – portanto, primo em primeiro grau do kaiser. As mães do czar e do rei também são irmãs: Nicolau II é filho de Dagmar da Dinamarca, irmã de Alexandra, a mãe de George V, mulher de Eduardo, e portanto nora da rainha Vitória. Fontes escoladas no mundo da monarquia europeia dão conta de que George e Nicolau são próximos e têm ótima relação, enquanto que Guilherme, mais afastado, desfruta, se não da repulsa, pelo menos da falta de afeto dos primos aliados na Entente.

George V, que ascendeu ao trono com 45 anos, é normalmente considerado o mais preparado do trio. Nicolau II, que assumiu o posto de seu pai, Alexandre III, da dinastia dos Romanov, aos 26 anos, é indiscutivelmente um homem inteligente, mas foi durante muito tempo alvo de críticas por sua inexperiência e indecisão nos momentos mais difíceis, além de sua excessiva humildade. O britânico e o russo são inclusive muito parecidos fisicamente. Já Guilherme, que desde os 39 ostenta o título de kaiser, apresenta características diametralmente opostas: muito arrogante, autocrático, irriquieto, acredita sempre estar certo e que só deve satisfações a Deus. Busca a todo custo esconder o braço esquerdo atrofiado, defeito de nascença. Muitos o consideram a ovelha negra da família.

• • •


Nicky e Willy - Recorrendo a um relacionamento familiar que apenas fez esfriar ao longo dos anos, Nicolau e Guilherme ainda tentaram, mas não conseguiram desacelerar o gigantesco bonde desgovernado que deu origem à Grande Guerra. Às vésperas da eclosão oficial do conflito, entre o final de julho e início de agosto, os líderes trocaram telegramas buscando últimas alternativas de conciliação. Mas sua leitura deixa claro que, apesar dos termos íntimos em que ambos se tratavam – as mensagens estão assinadas com os apelidos familiares, "Nicky", de Nicholas, e "Willy", de Wilhelm –, não havia proximidade suficiente para um convencer o outro de suas boas intenções. Escritos em inglês, os telegramas mostram o czar e o kaiser empenhados em evitar o conflito, porém sem ceder um milímetro sequer em suas posições.

Em duas mensagens, datadas de 30 e 31 de julho, Wilhelm diz a Nicolau que é dele a decisão sobre os rumos que a Europa tomará. "A Áustria se mobilizou apenas contra a Sérvia, e com apenas parte de seu exército. Se, como parece ser o caso, de acordo com seus relatos e os relatos de seu governo, a Rússia se mobiliza contra a Áustria, o papel de mediador que você generosamente me incumbiu, e que aceitei por seus apelos expressos, estará em perigo, senão arruinado. Todo o peso da decisão está em seus ombros, que agora carregam a responsabilidade da paz ou da guerra." Na sequência, o czar responde com convicção. "É tecnicamente impossível parar nossas preparações militares, que foram obrigatórias devido à mobilização da Áustria." Ali, a paz já era uma utopia.


Veja.com

Um comentário:

Laguardia disse...

Comemorando o 7 de Setembro

Me desculpem os leitores que já se manifestaram por repetir a mensagem.

Aproveitando a idéia da Passeata Virtual Fora Sarney, faço aqui a sugestão de que no dia 7 de Setembro de 2009, façamos outra passeata virtual, nos organizando desde já.

Esta passeata, como a Fora Sarney, começaria no seu computador e terminaria em vários pontos:

Na presidência da República, No Congresso Nacional, No Supremo Tribunal Federal, na Procuradoria Geral da União, na Assembléia Legislativa de seu estado, no Palácio do Governo do seu estado, na Câmara de Vereadores de sua cidade e na Prefeitura de sua cidade.

A idéia é enviar o maior número possível de emails de protesto contra a situação atual, da falta de ética, de moral, de honestidade de nossos governantes e parlamentares.

Denunciaremos o governo federal por agir a margem da lei com a campanha eleitoral antecipada, o que é ilegal, e exigindo, como cidadãos, que fossem tomadas as devidas providências.

Os e mails seriam mandados para os seguintes enderêços:

Senado Federal: Alô Senado http://www.senado.gov.br/sf/senado/centralderelacionamento/sepop/?page=alo_sugestoes&area=alosenado

Câmara Federal: Fale com o deputado: http://www2.camara.gov.br/canalinteracao/faledeputado

Supremo Tribunal Federal – Central do Cidadão - http://www.stf.jus.br/portal/centralCidadao/enviarDadoPessoal.asp

Procuradoria Geral da União - pfdc@pgr.mpf.gov.br

Presidência da República – Fale com o Presidente - https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php

Gostaria de ter a opinião dos leitores com relação a idéia.