sábado, 4 de julho de 2009

Coreia do Norte lança quarto míssil, informa Seul

SEUL - A Coreia do Norte realizou seu quarto teste deste sábado, de um míssil balístico, após ter lançado outros três de curto alcance em direção ao Mar do Leste (Mar do Japão), informou à Agência Efe o Governo sul-coreano.

Este quarto lançamento ocorreu às 11h59 locais (23h59 de sexta-feira em Brasília), na base militar de Gitdaeryong, próxima à cidade litorânea de Wonsan, no sudeste da Coreia do Norte, segundo o Ministério da Defesa sul-coreano.

Os três primeiros projéteis de hoje foram lançados entre as 8 horas e 10h45 locais (20h e 22h45 de sexta-feira em Brasília) desta mesma base militar, e têm alcance entre 400 e 500 quilômetros.

O Governo sul-coreano suspeita de que todos eles sejam mísseis de curto alcance do tipo Scud, que podem cobrir uma maior distância - entre 400 e 500 quilômetros -, apesar de tecnicamente continuarem sendo considerados como projéteis de curto alcance, segundo a agência local de notícias "Yonhap".

O Ministério de Assuntos Exteriores da Coreia do Sul condenou hoje os disparos realizados pelo regime comunista, e os considerou uma clara violação da última resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra a Coreia do Norte.

"É um ato provocativo que viola claramente as resoluções 1695, 1718 e 1874 da ONU, que proíbem a Coreia do Norte de realizar qualquer atividade relacionada com mísseis balísticos", disse o Ministério em comunicado.


Estadão

Um comentário:

Anônimo disse...

Chiste pede ajuda do blogue para divulgar mensagem abaixo:

AJUDEM OS APOSENTADOS DIVULGANDO/ENVIANDO EMAIL AOS POLITICOS
Senhores Deputados e Parlamentares, os Aposentados ainda estão vivos: sensibilizem

No dia 7 de julho, o Congresso deverá apreciar o “veto do presidente Lula” ao projeto que obriga o governo a pagar aos aposentados e pensionistas a diferença entre os reajustes dados em 2006 ao salário mínimo, de 16,67%, e às pensões e aposentadorias do INSS, de 5,01%.
Líderes dos aposentados temem a força do Poder Executivo nessa decisão, porque o voto é secreto!!!
(PEC 50/06 do Senador Paulo Paim que acaba com o voto secreto em todas as hipóteses)
O governo, por seu lado, também está assustado ante a possibilidade de derrubada do veto se até lá não for possível um consenso em relação ao projeto que acaba com o fator previdenciário e ao que assegura reajuste igual para salário.
.
Senhores deputados e parlamentares: sensibilizem-se!!! Não sejam indiferentes para com os aposentados.

Veto – Será apreciado o veto à emenda que apresentei a Medida Provisória que reajustou o salário mínimo em 16,67% no ano de 2006. Essa emenda determina que o mesmo índice do salário mínimo seja aplicado a quem recebe benefícios superiores ao salário mínimo. Ficou acordado na mobilização do último dia 25 que no dia 08 de julho será apreciado o veto.
PL 4434/08 - Recupera os benefícios com base no número de salários mínimos que os aposentados recebiam no momento da concessão de suas aposentadorias. A matéria já foi aprovada por unanimidade na Comissão de Seguridade Social e Família e hoje está na Comissão de Finanças e Tributação (CFT). Após deverá ser encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ).
Emenda ao PL 1/ 07 - Estende aos aposentados e pensionistas a mesma política de reajuste concedida ao salário mínimo, ou seja, a inflação mais o PIB. O projeto está pronto para a pauta de plenário. Devemos reforçar a mobilização.
PL 3.299/08 – Extingue o fator previdenciário aos que irão aposentar. Consiste em uma fórmula matemática que leva em consideração a idade, a alíquota e o tempo de contribuição no momento da aposentadoria, e a expectativa de sobrevida (conforme tabela do IBGE). Atualmente, com a incidência do fator, no ato da aposentadoria os benefícios são reduzidos em até 40%. A extinção garantirá a integralidade.
O projeto está na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara aguardando relatório. Após, está previsto o encaminhamento à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. A proposta também está sujeita à apreciação do plenário com prioridade de tramitação.