terça-feira, 1 de setembro de 2009

Ministro do STF morre no Rio


RIO - Morreu na madrugada desta terça-feira, 1º, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, aos 66 anos, o ministro do Supremo Tribunal Federal(STF) Carlos Alberto Menezes Direito. Bacharel e doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-RJ), o ministro completaria 67 anos no próximo dia 8. O velório vai acontecer na antiga sede do Supremo Tribunal Federal, no Rio de Janeiro. O enterro será realizado às 17 horas, também no Rio.

Direito chegou ao hospital no sábado, com complicações no pâncreas, por conta de um câncer, e foi direto para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O ministro do STF precisou ser sedado e passou a respirar com a ajuda de aparelhos. Carlos Alberto Menezes Direito estava de licença médica desde 21 de maio, quando foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas. Após o procedimento, o ministro se recuperou e obteve alta, retornando para casa.

Nas últimas semanas, Direito voltou a passar mal e foi internado por duas vezes, quando recebeu transfusão de sangue. Segundo Gustavo Direito, que acompanhava o pai no hospital, o estado de saúde se agravou e o ministro do STF faleceu aos 50 minutos desta madrugada. De acordo com Gustavo, o ministro Carlos Alberto Menezes Direito será velado a partir das 9 horas desta terça-feira no Centro Cultural Justiça Federal, antiga sede do STF no Rio de Janeiro, na Cinelândia. O corpo do ministro será sepultado no Cemitério São João, em Botafogo, na zona sul.

Entre os inúmeros cargos exercidos, foi prefeito em exercício do Rio de Janeiro entre maio e junho de 1979 e entre março e abril de 1980; presidente da Casa da Moeda do Brasil entre 1985 e 1987; secretário estadual de Educação entre 1987 e 1988; desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) entre 1988/1996; chefe-de-gabinete do Ministro de Estado de Educação e Cultura entre 1975 e 1978; ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entre 1996 e 2007


Estadão

Nenhum comentário: