terça-feira, 13 de outubro de 2009

O UNIFORME ESCOLAR E MAIS PILANTRAGEM


O governo Lula teve uma idéia eleitoral realmente genial: uniformizar a juventude brasileira. Depois é só criar um hino para a meninada sair cantando: “Avante, avante!!!” Lula quer agora o PAC do Uniforme Escolar. Resumo a proposta, vejam que mimo:

- O governo federal cria uniformes para mais de 50 milhões de alunos do ensino fundamental e médio. A roupa terá a logomarga do governo federal;

- estados e municípios aderem ao programa e entram em contato com uma central do governo, que vai vender a roupa;

- estados e municípios arcarão com o custo;

- vocês entenderam direito: Lula e seus rapazes dizem: “O uniforme está aqui; venham comprar”;

- governadores e prefeitos, assim, pagam para que o governo federal possa fazer propaganda, entenderam?;

- E quem já fornece uniformes, a exemplo de São Paulo, estado e capital? Teriam de renunciar a seus próprios programas para aderir ao do governo federal ou somariam uma coisa à outra para não levarem a fama de que rejeitam um benefício?

Está no ar aqui em São Paulo — e deve ser assim no Brasil inteiro — uma propaganda do PT que expropria as obras que estão sendo tocadas pelo governo do Estado. Segundo a peça publicitária, obras do metrô e do Rodoanel estão sendo tocadas com recursos do PAC. Um miserável tostão de dinheiro federal — uma obrigação da União com São Paulo porque do estado saem 40% dos impostos arrecadados no país — já basta para “federalizar” a obra. Trata-se, como de hábito, de propaganda enganosa.

Do mesmo modo, Lula quer uniformizar os estudantes brasileiros com a logomarca federal, colher os frutos eleitorais de sua “obra”, mas mandar a conta para estados e municípios.

“Tá vendo? Tá vendo? Você nunca fala bem do governo Lula!!!”

É mesmo?


......

O programa do uniforme escolar (ver post abaixo) vem com o selo social, mas tem um outro apelo: a defesa da indústria nacional. A Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção) calcula que se criariam de 500 mil a 700 mil empregos, com aumento de consumo de 100 mil toneladas de malhas e tecidos. Cada uniforme deve custar R$ 100. Tudo saindo como o planejado, fala-se da bagatela de R$ 5 bilhões!!!

A indústria têxtil, de que o vice, José Alencar, é o maior expoente nacional, deve estar realmente feliz. Sobretudo porque o câmbio a está levando para a lona — especialmente a lona chinesa. No projeto do governo, só as empresas nacionais participariam da concorrência, entenderam? Estamos de volta ao velho padrão. Se um determinado setor é prejudicado por escolhas de políticas públicas — no caso, política econômica —, recorre-se ao bom e velho cofre estatal para dar as devidas compensações.

Algumas propostas nascem boas e acabam contaminadas por escândalos. Esta já nasce escandalosa.

Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário: