segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Apesar de gesto diplomático colombiano, embaixador venezuelano fala em estado de pré-guerra


O embaixador venezuelano na Colômbia, Gustavo Márquez, afirmou que seu país deve se preparar para a guerra porque há “uma situação de pré-guerra” que ameaça a Venezuela e não descartou uma invasão dos Estados Unidos. A declaração foi dada ontem, um dia após a Colômbia, que capturou quatro membros da Guarda Nacional da Venezuela em solo colombiano, afirmar que os mandaria para casa, em um gesto voltado ao aliviamento das tensões diplomáticas entre os países vizinhos.

Em declarações publicadas ontem pelo jornal colombiano El País, de Cali, o diplomata disse que, quando o presidente venezuelano, Hugo Chávez, convoca os militares e o povo de seu país a se preparar para a “defesa da nação”, não procura agredir alguém.

– O que o presidente Chávez disse exatamente é que tínhamos que nos preparar para a guerra, porque há uma situação de pré-guerra: está sendo construído um cenário de guerra que ameaça a Venezuela e todos os países da região – disse, se referindo a recentes declarações do presidente venezuelano.

Para Márquez, o acordo assinado entre Colômbia e EUA, pelo qual tropas americanas poderão usar bases militares em território colombiano, é “inconveniente”.

As relações bilaterais entre Venezuela e Colômbia estão congeladas desde agosto por ordem de Chávez.

A detenção de quatro militares venezuelanos em território colombiano é o incidente mais recente nas tensas relações diplomáticas e comerciais entre Colômbia e Venezuela.

O Governo colombiano apresentou ao Conselho de Segurança da ONU e à Organização dos Estados Americanos (OEA) uma nota de protesto por “ameaças” do presidente da Venezuela.


Jornal do Brasil

Nenhum comentário: