quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dutra vence no 1º turno e é novo presidente do PT


José Eduardo Dutra Presidente da Petrobras durante a gestão de Dilma Rousseff na pasta das Minas e Energia, o ex-senador José Eduardo Dutra (SE) confirmou o favoritismo e já está matematicamente eleito no primeiro turno da disputa interna. Ele será o principal dirigente do PT durante as eleições de 2010. O atual presidente do PT, Ricardo Berzoini, dará uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (25) para comentar o resultado da eleição.

Dutra superou o deputado José Eduardo Cardozo (SP) e sucederá Ricardo Berzoini no comando da sigla do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ontem, já falando como eleito, o ex-senador afirmou que vai trabalhar em conjunto com a atual diretoria a partir de agora. "Embora eu ainda não tenha tomado posse, o processo [de construção de alianças] já começou. Não quero começar frio."

Com 85,3% dos votos apurados até às 10h, Dutra contava com 58,5% dos votos, enquanto Cardozo, da corrente Mensagem ao Partido, tinha 18%. Dois candidatos centristas apareceram em seguida: Geraldo Magela (11,9%) e Iriny Lopes (9,8%). A esquerda petista com Markus Sokol e Serge Goulart somou cerca de 1%.

Cardozo afirmou que o resultado ficou dentro das suas expectativas e que o processo eleitoral foi tranquilo o bastante para que as correntes do PT estejam unidas em torno de Dilma em 2010.

"Avaliávamos que poderia haver segundo turno dependendo do quórum. Como o quórum foi alto, isso trouxe uma dificuldade natural para o nosso grupo", afirmou ele, atual secretário-geral do PT, ao UOL Notícias. "Nossa corrente nestas eleições se tornou a segunda força do partido e isso certamente será levado em conta na montagem do Diretório Nacional e da Executiva."

A principal diferença entre os dois se deu em São Paulo, onde Dutra obteve 73,6% dos votos contra 12,2% de Cardozo. No Rio Grande do Sul, Estado onde o deputado paulista esperava vencer por ampla margem graças ao apoio do ministro da Justiça, Tarso Genro, Cardozo ficou com 46,5% e Dutra com 33,1%.

Dutra é ligado à maior tendência interna do partido, a Construindo Um Novo Brasil (CNB), mas tem trânsito com as demais. A vitória na primeira votação, realizada no domingo passado, se deve principalmente à união com as correntes PT de Lutas e Massas e Novos Rumos. Na disputa anterior, em 2007, Berzoini enfrentou segundo turno contra Jilmar Tatto, da PT de Lutas e Massas.

Hoje o PT tem 1,35 milhão de filiados, e puderam votar aqueles que estavam quites com suas responsabilidades partidárias.

Geólogo e ex-sindicalista, Dutra, 52, defende o PT promova Dilma, ministra-chefe da Casa Civil e pré-candidata à Presidência, mostrando "algo mais do que esperança", em referência à trajetória vitoriosa de Lula em 2002, que tinha como um dos seus slogans a frase "A esperança vai vencer o medo".

Na chapa de Dutra para compor o Diretório Nacional petista - instância que promove discussões mais amplas e é composta por integrantes de todo o país - estão políticos envolvidos nas denúncias do mensalão em 2005, como o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha. A votação petista apontava que cerca de 60% dos 81 membros do diretório virão da chapa do ex-presidente da Petrobras.

UOL

Nenhum comentário: