quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Mensalões com tratamento vip para o PT


Vamos ver. O PT conseguiu passar a versão falsa de que uma lagartixa é igual a um jacaré porque ambos são répteis. Boa parte do jornalismo engoliu. E se nota que a questão também se presta ao proselitismo partidário: a história de que o valerioduto mineiro é embrião do mensalão é pura picaretagem. O primeiro era um esquema de financiamento ilegal de campanha; o outro, sem deixar de ter esse caráter, era um modelo de compra do Congresso, que ia muito além da eleição. Sustentar, como faz o Ministério Público, que um é embrião do outro é só uma forma de tentar atribuir ao PSDB de Minas os crimes que são do PT Nacional. E, com isso, não estou livrando a cara de ninguém.

Basta recorrer aos arquivos para saber a severidade com que sempre tratei essa história. Quando estourou, afirmei que Azeredo deveria renunciar; como não renunciou, afirmei que o PSDB deveria colocá-lo para fora ou pagaria muito caro por isso. Os arquivos estão aí. Acho, sim, que ele e todos os envolvidos têm de ser punidos. MAS TAMBÉM ACHO QUE É PRECISO SER UM REMATADO MAU-CARÁTER PARA NÃO RECONHECER QUE AZEREDO É, NO ESQUEMA DE MINAS, O QUE LULA ERA NO ESQUEMA DO PT.

E por que a Procuradoria Geral da República deixou Lula fora da denuncia do mensalão? Esta é e será sempre uma boa questão.

Eu quero punição para Lula e Azeredo; os petralhas querem punição apenas para Azeredo. Eu, assim, sou uma pessoa justa; eles querem usar a justiça para fazer política partidária, como de hábito.

O argumento principal do ministro Joaquim Barbosa para acatar a denúncia é que havia relação de subordinação entre o governador e aqueles acusados de operar o esquema. É mesmo? E não havia entre Lula e aqueles que fizeram o mensalão petista? Ora… Atenção para as frases que sintetizam tudo:

a) Não punir nem Lula nem Azeredo é indecente porque se trata de distribuir impunidade igualmente;
b) Punir só Azeredo é indecente porque se trata de distribuir punição desigualmente;
c) O princípio da igualdade perante a lei pede a punição de ambos.

“Ah, mas há provas contra um, e não há contra outros”. Olhem, o principal indício contra Azeredo, o tal recibo, de que se faz grande alarde, é, para dizer pouco, polêmico. Ou, agora, uma esquema que viceja nas sombras vai deixar recibo? Para ser apresentado em que tribunal? O sentido do recibo é evitar, mais tarde, uma cobrança indevida, tendo a Justiça, se preciso, como árbitro. Por que a bandidagem passaria recibo? Vamos com calma.

Punição para os mensaleiros!
Punição para a turma do valerioduto mineiro!
Punição para Azeredo, que era chefe da turma do valerioduto!
Punição para Lula, que era chefe dos mensaleiros.

Então escrevo de novo:
Eu quero punição para Lula e Azeredo; os petralhas querem punição apenas para Azeredo. Eu, assim, sou uma pessoa justa; eles querem usar a justiça para fazer política partidária, como se hábito.

A justiça que punir Azeredo e preservar Lula não é cega, mas caolha.

Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário: