segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

“CNI-IBOPE – Serra volta a subir e aumenta vantagem sobre Dilma”


Há dias, foi divulgada uma pesquisa CNT-Sensus que apontava uma queda de intenções de voto para a Presidência no tucano José Serra. O jornalismo online fez um escarcéu. Até Clésio Andrade, misto de moralista contumaz e presidente da Confederação Nacional de Transportes, deu entrevista como analista político. Pois é… Falou-se em mudança de patamar de intenções de voto. Ciro Gomes saiu prevendo a desistência de Serra — e lhe deram um amplo espaço para falar o que lhe viesse à veneta, como de hábito. Como sabemos, este rapaz adora falar antes e, se houver tempo, pensar depois. Quase nunca há.

Foi divulgada hoje uma nova pesquisa CNI/Ibope. No cenário mais provável, os números são estes:
Serra - 38%
Dilma - 17%
Ciro Gomes - 13%
Marina Silva - 6%

O que aconteceu em relação ao cenário de 22 de setembro, data da pesquisa anterior do CNI-Ibope? Serra foi o único que, tecnicamente, ganhou voto: a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, e ele acresceu três pontos. Ciro caiu. Dilma cresceu a margem de erro, e Marina caiu na margem. Na pesquisa anterior, neste mesmo cenário, os números eram estes:
Serra - 35%
Dilma - 15%
Ciro - 17%
Marina - 8%

AGORA PRESTEM ATENÇÃO
Sabem qual é a manchete da Folha Online? Esta: “Dilma abre vantagem sobre Ciro; Serra lidera corrida”. E se lê na reportagem: “Apesar da vantagem do tucano, que recebeu 38% das intenções de voto em novembro, a pesquisa mostra o crescimento da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto, se consolidando em segundo lugar na disputa.”

Sabem qual é a manchete do Estadão Online? “Ministério divulga novo gabarito oficial do Enem”. Na seção de política, há ao menos um título, embora não manchete: “CNI/Ibope: intenção de voto em Serra sobe para 38%”.

Voltem aos números. Em setembro, a diferença entre Serra e Dilma era de 20 pontos percentuais. Em dezembro, ela é de 21 pontos. Por que o texto da Folha Online, por exemplo, afirma: “Apesar da vantagem do tucano (…), a pesquisa mostra o crescimento de Dilma…”? A rigor, não mostra: ela variou dentro da margem de erro. E se pode dizer não mais do que “PROVAVELMENTE está à frente de Ciro, o que não é certo: com margem de erro de dois pontos para mais ou mais menos, ambos podem estar com 15%… É o menos provável, mas podem.

Ademais, convenha-se: dado o massacre noticioso, às vezes “noticioso” ,e publicitário do lulo-petismo, tal resultado não deixa de ser surpreendente.

Esta pesquisa resolveu não dar truque no eleitor e não trouxe indagações especiosas sobre como ele veria, por exemplo, a união entre Aécio Neves e Ciro… O Ibope também testou o comportamento do eleitor caso Aécio estivesse no lugar de Serra. Eis o resultado:
Ciro Gomes - 26% (28% em setembro)
Dilma Rousseff - 20% (18% em setembro)
Aécio Neves - 14% (13% em setembro)
Marina Silva - 9% (11% em setembro)


Os números não continuam positivos para Serra apenas no que afirmam, mas também no que negam. Vejm os dados sobre rejeição em relação a setembro:
Dilma - de 40% para 41%
Marina - de 37% para 40%
Aécio - 37% para 36%
Ciro - permaneceu com 33%
Serra - de 30% para 29%

Em suma, Dilma segue sendo a mais rejeitada pelo eleitor, e Serra, o menos. Convenham: só o contrário renderia um título no jornalismo online.


Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário: