sábado, 31 de janeiro de 2009

Medicina - Análise da Doença: Parasitose.


Define-se por parasitose, a relação entre dois seres vivos, onde um produz e é "sugado"(hospedeiro), e o outro não produz, vive da produção do hospedeiro(parasita).

Blá, blá, blá...


Bem, vamos pensar a fisiopatologia dessa doença.
Imagine que o governo gramscista atual, cria um "habitat propício" para que quem tem muito, suborne e mantenha o governo; os que trabalham e produzem e perdem quase metade de seus salários em tributos; e os que nada tem são alimentados do que sobrar da bolada administrada pelo parasita mór: o PT!

Ou seja, a grande maioria dessa população que vai se criando à partir destes "sub-nutrientes" que o parasita-mór libera para os parasitas-menores, ao invés de se libertar desta dependência, muito pelo contrário, aprendem a sobreviver com tão pouco, mas pelo menos não é preciso trabalhar. BINGO!!!! Associada a cultura popular local, a Lei de Gérson, pronto: Habitat propício! Instala-se o parasitismo lento e indolor no início, mas voraz quando visto com detalhes, ao longo do tempo. E estes parasitas-menores, lutam apenas para manter o parasita-mór no comando desta nada saudável relação.

Os sintomas cursam com baixa "força-tarbalho"(a pessoa vive fraca ou doente), nacessidades não habituais ao cotidiano pelo excesso de ócio, pensamentos mais lentos ou baixo intelecto(este sintoma mental, talvez o maior fator que mantém este parasitismo), tendência a viver em grupos ou tribos, onde tornam-se mais fortes para manter o parasitismo ao sistema.
E aí está instalado o ciclo vicioso ou "ciclo biológico" do parasitismo. E agora, com a reprodução extremamente acelerada desta espécie, temos mais de 30 milhões de infectados(ou infestados, ou encostados, ou beneficiários...), extremamente dependentes desta forma vil de corroer uma comunidade inteira!

Será que tem cura?????

Quem tem o remédio?????

Uma comunidade inteira, culturalizada entre a Lei do cão e a Lei de Gérson, tem condições de vencer esta dependência e conseguir andar com as próprias pernas??????


Como médico, sinceramente acho que a Medicina e as Relações Humanas vão ter que evoluir muito para vencer uma doença aparentemente simples(vovó dava licor de cacau e bem): o Parasitismo.



Um esboço de artigo meu para testar o "estômago" e a mente do leitor...

O BLOG denuncia o Foro de São Paulo!



"O mal original é o mito da revolução, conforme escrevi na revista VEJA na semana passada. Leiam lá. Afirmo que ele justifica tudo, até os mensaleiros brasileiros. Alguns jornalistas têm coragem de romper o silêncio para lembrar o óbvio: o Foro de São Paulo é a organização que junta as Farc, Chávez, Rafael Correa, Evo Morales e, ó surpresa!, o PT. As esquerdas querem criar o seu clubinho? Tudo bem! Quando se admitem terroristas e traficantes como membros, então é associação para o crime.

Mesmo assim, impera o silêncio a respeito. Ontem, falando a Carlos Alberto Sardenberg, na CBN, o jornalista Merval Pereira, colunista de O Globo, tratou do assunto.
"


Após 27 denúncias, com provas fundamentadas em artigos, imprensa investigativa, de todos os tipos de mídia possíveis, chegamos a uma espécie de "dossiê"! Seguem abaixo os links de forma organizada para cada uma das denúncias. O material está pronto! Falta agora que haja vontade das reais autoridades deste país em denunciar realmente estes criminosos que estão à frente do Brasil hoje em dia. Paralelo à isso o blog deixa 26 postagens sobre o caso Cesare Batistti, o que OS compromete também. Leiam um a um e tirem suas próprias conclusões! Se vc é um cidadão de bem e honesto ajude a denúnciar a maior rede político-criminosa da América Latina!

Denúncia 1

Denúncia 2
Denúncia 3
Denúncia 4
Denúncia 5
Denúncia 6
Denúncia 7
Denúncia 8
Denúncia 9
Denúncia 10
Denúncia 11
Denúncia 12
Denúncia 13
Denúncia 14
Denúncia 15
Denúncia 16
Denúncia 17
Denúncia 18
Denúncia 19
Denúncia 20
Denúncia 21
Denúncia 22
Denúncia 23
Denúncia 24
Denúncia 25
Denúncia 26
Denúncia 27


Agradeço imensamente aos amigos blogueiros e orkuteiros que contribuíram em muito para mais este ato de cidadania!!!


ANTI FORO DE SÃO PAULO: SEU LOCAL DE " DESABAFO" E DENÚNCIA CONTRA A MAIOR REDE CRIMINOSA DA AMÉRICA LATINA.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Denúncia 27: A Guerra nos Porões


A guerra nos porões

O banqueiro Daniel Dantas tem
uma lista com contas em paraísos
fiscais que seriam do presidente
Lula e do resto da cúpula do PT


O banqueiro Daniel Dantas está prestes a abrir um capítulo explosivo na investigação sobre os métodos da "organização criminosa" que se instalou no governo e o estrago causado por ela ao país. Seu nome voltou ao foco na quarta-feira passada, durante o depoimento de Silvio Pereira, ex-secretário-geral do PT, à CPI dos Bingos. Na sessão, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) revelou o teor de um documento no qual o banco Opportunity, controlado por Dantas, diz ter sofrido perseguição do governo Lula por rejeitar pedidos de propina de "dezenas de milhões de dólares" feitos por petistas em 2002 e 2003. A carta, escrita por advogados de Dantas e entregue à Justiça de Nova York, onde o banqueiro é processado pelo Citigroup por fraude e negligência, é só o começo de uma novela que, a julgar pela biografia de Dantas, não se resume a uma simples tentativa frustrada de achaque.

Para defender-se das pressões que garante ter sofrido do PT nos últimos três anos e meio, Dantas acumulou toda sorte de informações que pôde coletar sobre seus algozes. A mais explosiva é uma relação de cardeais petistas que manteriam dinheiro escondido em paraísos fiscais. Entre eles estão o presidente Lula, os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil), Antonio Palocci (Fazenda), Luiz Gushiken (Secom), o atual titular da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, e o senador Romeu Tuma (PFL-SP). A lista é fruto de um trabalho de investigação feito pelo americano Frank Holder, ex-diretor da agência internacional de espionagem Kroll. Ela apresenta uma série de números de contas, seus titulares, os nomes dos bancos e os saldos referentes ao primeiro trimestre de 2004. Holder disse ter comprovado a existência das contas por meio de depósitos. Além disso, Dantas compilou metodicamente não só os pedidos de propina como também as contratações e os pagamentos efetivamente feitos para tentar aplacar as investidas do atual governo sobre seus interesses. Se pelo menos uma parte desse material for verdadeira, o governo Lula estará a caminho da desintegração. Isso, é claro, se o Brasil ainda mantiver as aspirações a se tornar um país sério. Se o material for fruto de falsificação, Dantas vai afundar-se ainda mais na confusão policial na qual se meteu desde que contratou a Kroll para montar dossiês de seus adversários dentro do governo. Em entrevista ao colunista Diogo Mainardi, o banqueiro dá uma idéia do que tem em mãos. Seu arsenal é maior.



















O espião americano Frank Holder (à esq.) e o ex-ministro argentino Manzano (à dir.) produziram a lista das contas secretas do PT .

VEJA teve acesso à lista das supostas contas dos petistas em setembro de 2005, com o conhecimento de Dantas. De posse dela, a revista deu início a um exaustivo trabalho de apuração. A reportagem encontrou-se com Frank Holder uma vez em Zurique, na Suíça, e outras duas vezes em Buenos Aires. Holder tem uma longa história no mundo da investigação. Oficial de inteligência da Força Aérea dos Estados Unidos, ele transferiu-se para a seção de assuntos latino-americanos da CIA no começo dos anos 90. Nessa condição serviu na Embaixada dos EUA em Buenos Aires até desligar-se, em meados dos anos 90, para fundar a empresa Holder Associates, adquirida em 1998 pela Kroll, da qual se tornou diretor. Em 2003 e 2004, como dirigente da Kroll, supervisionou o trabalho feito para a Brasil Telecom. Foi nesse período que conheceu Dantas e saiu-se com a lista das supostas contas dos petistas em paraísos fiscais.

Inicialmente, Holder explicou a VEJA que a lista fora obtida pela Kroll no curso da investigação de outro escândalo: o da quebra, no Brasil e na Itália, da companhia de laticínios Parmalat. Segundo ele, foram recuperados, nessa investigação, documentos que comprovariam detalhes do pagamento de propina da Parmalat a autoridades dos dois países. Desdobrados, esses dados teriam, por tabela, batido na rede de corrupção pessoal do governo do PT. Em dois encontros com a reportagem de VEJA, autoridades judiciais em Milão, encarregadas do caso Parmalat, afirmaram desconhecer essa conexão. Confrontado com a negativa italiana, Holder então mudou sua versão. Passou a dizer que as contas foram rastreadas por hackers pagos pelo ex-ministro argentino José Luis Manzano, símbolo da corrupção do governo Carlos Menem. Hoje dono do terceiro maior grupo de comunicações da Argentina, Manzano é freqüentemente acusado, em seu país, de manter uma equipe de investigadores privados para chantagear inimigos. Em conversa com VEJA, em Buenos Aires, Manzano confirmou ter entregue "algumas contas de brasileiros" a Holder, como um favor pessoal, e autorizou seus funcionários a fornecer novos papéis que comprovariam como as contas dos petistas foram hackeadas. Nesses papéis, os saldos eram bem maiores do que os que constavam na lista original e um novo nome surgiu: o de Duda Mendonça

Por todos os meios legais, VEJA tentou confirmar a veracidade do material entregue por Manzano. Submetido a uma perícia contratada pela revista, o material apresentou inúmeras inconsistências, mas nenhuma suficientemente forte para eliminar completamente a possibilidade de os papéis conterem dados verídicos. Diante de tal indefinição, e tendo em vista que o nome de Dantas voltou a aparecer na CPI, VEJA decidiu quebrar o acordo feito com o banqueiro do Opportunity e Manzano. O compromisso inicial era preservar o nome de ambos, caso se pudesse comprovar a veracidade das contas. Nada mais justo: a revelação seria um serviço prestado ao Brasil, uma vez que levaria grandes nomes da República a ter de explicar a origem do dinheiro depositado no exterior. Revelar agora que Dantas – e, por tabela, Manzano – está por trás de uma lista em que o presidente Lula aparece como dono de uma conta num paraíso fiscal viabilizará, acredita VEJA, que investigações oficiais sejam abertas. Ao mesmo tempo, isso impedirá que o banqueiro do Opportunity venha a utilizar os dados como instrumento de chantagem em que o maior prejudicado, ao final, seriam o país e suas instituições. No quadro da página ao lado, o elenco das contas foi reproduzido, com os números e nomes dos bancos propositalmente apagados. A revista só os cederá mediante requisição legal.

Dantas alega estar apenas defendendo-se de pressões e achaques dos petistas que queriam tirá-lo do comando da Brasil Telecom. Ainda que existam fortes evidências nesse sentido, o banqueiro não cabe na fantasia de vítima. Principalmente quando se sabe que usou dinheiro para acercar-se de pessoas próximas do presidente Lula e de José Dirceu. Dantas tentou seduzir Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, e seus sócios da Gamecorp. Antes de o grupo ser vendido à Telemar, o banqueiro pagava a Lulinha e sua trupe 100 000 reais mensais, para que fornecessem conteúdo para o portal de internet da Brasil Telecom. Por último, ofereceu uma bolada para tornar-se sócio da Gamecorp. No fim, game over para Dantas: Lulinha preferiu os agrados da rival Telemar. Dantas deu também 1 milhão de reais ao advogado Roberto Teixeira, padrinho de um dos filhos de Lula. Até hoje, ninguém explicou o que o compadre fez para merecer tanto dinheiro. Teixeira se limita a dizer que foi em troca de um serviço "sigiloso". O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, também mereceu atenção especial. Amicíssimo do deputado cassado por corrupção José Dirceu, ele foi contratado por Dantas a peso de ouro. Levou 8 milhões de reais para "assessorar" o banqueiro. Com isso, Dirceu, que foi ministro-chefe da Casa Civil de Lula, tornou-se mais sensível aos pleitos do Opportunity. Tem mais. Dantas deu a Marcos Valério as contas publicitárias da Telemig Celular e da Amazônia Celular, num total de 130 milhões de reais. Além de fazer anúncios para Dantas, o carequinha levava ao banqueiro as propostas não republicanas de Delúbio Soares. Em 2004, o banqueiro colocou na sua folha de pagamentos a agência Matisse, de propriedade de Paulo de Tarso Santos, petista histórico e marqueteiro das campanhas de Lula em 1989 e 1994. A Matisse foi contratada para "reposicionar" a marca da Brasil Telecom. Mas o que fez mesmo foi ajudar a "reposicionar" Dantas frente ao governo petista.

Dantas é assim: rápido e precavido. Tão precavido que começou a reunir seu arsenal anti-PT ainda em novembro de 2002, logo após a vitória de Lula no segundo turno das eleições. Dantas foi, então, procurado pelo megainvestidor Naji Nahas. Dele recebeu um alerta: uma vez no poder, o PT romperia o acordo de acionistas que permitia a Dantas gerir a empresa de telefonia Brasil Telecom com dinheiro de fundos de pensão de estatais. Nahas também contou que o próprio Lula decidira tirar o Opportunity do comando da Brasil Telecom e entregá-lo à Telemar, de Carlos Jereissati. O investidor relatou pormenores de uma reunião do conselho da Telemar na qual se discutiram detalhes de um acordo firmado entre Jereissati e a cúpula do Partido dos Trabalhadores. Na ocasião também teria sido negociado um esquema de nomeações e ajuda financeira a campanhas eleitorais. Munido dessas informações, Dantas as resumiu num texto, que mandou criptografar. A versão codificada foi publicada na edição de 22 de outubro de 2002 do jornal Estado de Minas. Há dúvidas sobre a relevância do papel, mas Dantas anda com uma cópia dele no bolso. Cabe agora ao próprio banqueiro quebrar o seu "Código Da Vinci" pessoal.



A LISTA COM AS SUPOSTAS CONTAS SECRETAS
Na lista produzida por Holder e Manzano, para uso de Daniel Dantas, o presidente e outras autoridades aparecem como detentores de dinheiro em paraísos fiscais. VEJA usou de todos os seus meios para comprovar a veracidade dos dados. Não foi possível chegar a nenhuma conclusão – positiva ou negativa .












UMA MALA SEM FUNDO
Segundo ofício que os advogados de Dantas mandaram à Justiça de Nova York, o PT pressionou o Citigroup a romper acordo com o banqueiro e tentou extorquir o Opportunity em "dezenas de milhões de dólares" .











"(...) O ministro Dirceu e outros indivíduos em altos cargos no governo (...) são as mesmas autoridades que se reuniram com o Citibank e pressionaram o banco (...) para atacar o Opportunity e o senhor Dantas. De fato, como fica claro e evidente pelas próprias palavras do Citibank constantes na prova E da declaração de Verônica Dantas, 'o governo do Brasil – Lula, Palocci e Dirceu – odiava Dantas'. Esse ódio se relacionava à recusa do Opportunity, a partir de 2002 e 2003, de aceitar a sugestão do PT para pagar dezenas de milhões de dólares ao partido para evitar novos assédios ao Opportunity e ao Fundo CVC" .

No ano passado, Dantas foi defenestrado do comando da Brasil Telecom pelo Citigroup, que agora o acusa na Justiça americana por fraude e negligência. Ele diz ser vítima de uma conspiração entre o governo petista, que o achacou, e o banco americano, que o perseguiria a pedido do próprio presidente Lula. Foi essa briga judicial que produziu o documento lido pelo senador Arthur Virgílio na CPI dos Bingos. Outros milhares de e-mails e documentos serão divulgados em breve. Vários deles relatam encontros entre o presidente Lula e a direção do Citigroup. Outros detalham pedidos de propina feitos pelo PT a Dantas. Se quiser realmente esclarecer os fatos, o dono do Opportunity poderia contar publicamente o que pagou e o que deixou de pagar aos petistas.

Uma dica: ele poderia revelar, por exemplo, quantos encontros teve com o ex-presidente do Banco Popular, Ivan Guimarães, e o que foi discutido em cada um deles. Já se sabia que Guimarães operou como uma espécie de genérico de Delúbio durante a campanha presidencial de 2002. O que não se sabia, e Dantas certamente pode comprovar, é que Ivan continuou operando na clandestinidade em 2003 e em 2004, já no governo, achacando empresas e empresários. Ivan procurou Dantas em setembro de 2004. Queria falar sobre a investigação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) contra o Opportunity. Dias depois, a comissão julgaria um processo contra o banco, acusado de burlar regras do Banco Central ao admitir brasileiros num fundo de investimento das Ilhas Cayman. O Opportunity poderia ser inabilitado pela CVM, mas acabou recebendo uma pena leve. Esse Ivan é mesmo terrível.

Outra dica: Dantas poderia contar às CPIs como Yon Moreira da Silva, ex-diretor de Negócios Corporativos da Brasil Telecom, lhe apresentou a idéia de comprar parte da Gamecorp, a empresa de Lulinha. Aliás, o próprio Yon pode colaborar com as investigações. Depois que as circunstâncias vergonhosas do caso Gamecorp foram denunciadas por VEJA, o ex-diretor da Brasil Telecom declarou que a Telemar fizera um bom negócio e pagara um preço justo para tornar-se sócia do filho do presidente. O que Yon não conta é que essa declaração lhe foi implorada pelo próprio Palácio do Planalto – mais especificamente pelo então ministro Jaques Wagner, que, falando em nome do presidente Lula, pediu a Dantas que o ajudasse a preservar o filho do presidente. Como se vê, o obscuro Dantas daria uma ótima contribuição ao país se saísse de uma vez das sombras. Coragem, Dantas!


Fábio Portela

Revista Veja 1956/ maio 2006


Entrevista com Dantas

"Lendo com cuidado, dá para ver o
instante exato em que o Brasil acabou"

Daniel Dantas não fala. Para quem não fala, até que ele falou muito. O suficiente para mandar um monte de gente para a forca. Em primeiro lugar, Lula e seus ministros.

Passei quatro horas no escritório de Daniel Dantas, no Rio. No fim, arranquei dele meia hora de entrevista. Vale sobretudo como registro histórico. Lendo com cuidado, dá para ver o instante exato em que o Brasil acabou.

O PT PEDIU PROPINA AO OPPORTUNITY?
O que houve foi uma sugestão de que, se déssemos uma quantia expressiva ao partido, eles poderiam nos ajudar a resolver as dificuldades que estávamos tendo com o governo.

ENTÃO FOI PIOR DO QUE PROPINA: FOI EXTORSÃO. QUEM PEDIU O DINHEIRO?
Delúbio Soares.

QUAL A QUANTIA?
Entre 40 e 50 milhões de dólares. Era a necessidade de recursos que eles tinham. E Delúbio queria saber se poderíamos ajudá-los.

A QUEM FOI FEITO O PEDIDO?
A Carlos Rodenburg, que na época (julho de 2003) trabalhava conosco.

MARCOS VALÉRIO PARTICIPOU DO ENCONTRO?
Foi ele que marcou. Mas não estava presente quando foi feito o pedido.

VOCÊ PAGOU OS 50 MILHÕES DE DÓLARES?
Perguntei ao meu advogado, Nélio Machado, se o pagamento seria ilegal ou não. Ele respondeu que isso é tipificado no artigo 316 do Código Penal, e que não estaríamos incorrendo em crime algum.

PORQUE ERA UMA EXTORSÃO?
Não é exatamente esse o termo.

O QUE ACONTECEU DEPOIS?
Eu marquei uma reunião com o Citibank em Nova York e expliquei à diretora Mary Lynn que, se contribuíssemos com uma quantia muito grande para o PT, talvez nossas dificuldades cessassem, mas acrescentei que não era essa a minha expectativa. Ela me autorizou a dizer, em nome do Citi, que não seria possível pagar, porque isso contrariaria a lei americana.

ESSE FOI O PRIMEIRO PEDIDO DE DINHEIRO DO PT AO OPPORTUNITY?
Durante a campanha presidencial de 2002, Ivan Guimarães foi ao nosso escritório e entregou um kit do partido ao Carlos Rodenburg, com o objetivo de conseguir algum apoio financeiro. Rodenburg mandou devolver o kit, porque não sabia quem era Ivan Guimarães. Isso foi interpretado pelo PT como um ato hostil, mas nós éramos politicamente neutros e não tínhamos nada contra o partido.

POR QUE O GOVERNO QUERIA TIRAR O OPPORTUNITY DO COMANDO DA BRASIL TELECOM?
Porque havia um acordo entre o PT e a Telemar para tomar os ativos da telecomunicação, em troca de dinheiro de campanha.

A TELEMAR ACABOU COMPRANDO A EMPRESA DO LULINHA. POR QUE VOCÊS TAMBÉM NEGOCIARAM COM ELE? ERA UM AGRADO AO PRESIDENTE LULA?
Nós procuramos de todas as maneiras diminuir a hostilidade do governo.

O EX-PRESIDENTE DO BANCO DO BRASIL CÁSSIO CASSEB DISSE AO CITIBANK QUE LULA ODEIA VOCÊ.
Casseb disse também que ou a gente entregava o controle da companhia ou o governo iria passar por cima.

LULA SE REUNIU COM A DIRETORIA DO CITIBANK. ELE PRESSIONOU OS AMERICANOS A TRAIR O OPPORTUNITY E FECHAR UM ACORDO COM OS FUNDOS DE PENSÃO?
Não posso comentar nenhuma notícia que eu tenha obtido através dos documentos que constam do processo em Nova York.

VOCÊ CONFIRMA QUE A BRASIL TELECOM SÓ CONSEGUIU TER ACESSO AO DINHEIRO DO BNDES DEPOIS DE CONTRATAR O ADVOGADO KAKAY, AMIGO DE JOSÉ DIRCEU?
Houve uma sincronia entre os fatos.

Agora releia a entrevista. Mas sabendo o seguinte: Daniel Dantas cedeu aos achacadores petistas. Ele e muitos outros.

por Diogo Mainardi




Diretor da PF desmente D. Dantas e Veja

Em nota oficial, divulgada na noite de domingo, a Polícia Federal desmente a revista Veja e o banqueiro Daniel Dantas, e informa que nesta segunda-feira abre inquérito policial contra o dono do Opportunity e os que participaram da confecção do material publicado na última edição da revista da Editora Abril. A revista dá os nomes do Presidente Lula, dos ex-ministros José Dirceu (Casa Civil), Antonio Palocci (Fazenda), Luiz Gushiken (Secom), o atual titular da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, e o senador Romeu Tuma (PFL-SP), como autoridades que teriam contas bancárias no exterior segundo as informações supostamente coletadas por Daniel Dantas. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o banqueiro nega ter documentos sobre conta de Lula.
A nota oficial diz:

"A revista Veja desta semana, em matéria intitulada 'A Guerra nos Porões' divulga lista de autoridades públicas com supostas contas bancárias em paraísos fiscais, uma das quais seria em nome do diretor geral da Polícia Federal. (NR: conhecido como Paulo Lacerda).

A reportagem atribuiu a Daniel Dantas, do Banco Opportunity, a contratação de espiões estrangeiros que teriam montado dossiês de investigações financeiras clandestinas no exterior. A Policia Federal esclarece que na data de 4/11/2005 a direção geral do DPF em correspondência interna já alertava os setores competentes desta corporação sobre comentários de origem não identificada dando conta de que estaria em curso uma ação ardilosa para atribuir falsamente a integrantes do atual governo a titularidade de recursos financeiros ilegais mantidos fora do Brasil, sendo um deles o diretor-geral desta organização."

Prossegue a nota da PF:

"O alerta do referido dirigente solicitava, ao mesmo tempo, que as autoridades policias competentes adotassem as medidas policiais necessárias para a investigação reservada dos fatos, tendo naquela oportunidade o diretor geral do DPF, para maior agilidade da apuração, autorizado a todos, de maneira expressa, o acesso ao seu sigilo bancário e fiscal no Brasil e no exterior.

A despeito da investigação ainda não ter sido concluída, permanece em vigor a ordem de amplo acesso a suas declarações de rendimentos e quaisquer outras informações bancárias e financeiras.

Agora, a divulgação da revista Veja comprova a autoria da trama criminosa, arquitetada e levada a efeito por um grupo de pessoas com história de envolvimento em delitos de violação de sigilo, divulgação de segredo, interceptação telefônica ilegal, corrupção e formação de quadrilha, apurados pela própria Polícia Federal na chamada Operação Chacal em 2004, que resultou em ações penais propostas pelo Ministério Público Federal havendo atualmente dois processos criminais em andamento na Justiça Federal - seção judiciária em São Paulo.

(NR: Os investigados e indiciados pela Operação Chacal são, entre outros, o banqueiro Daniel Dantas, sua irmã Verônica e Carla Cicco; há dois inquéritos, um deles por interceptação telefônica ilegal e outro por formação de quadrilha, violação de sigilo, divulgação de segredo e corrupção - em ambos, Daniel Dantas foi denunciado e a PF pediu a prisão preventiva dele e de Carlo Cicco, não autorizadas pela justiça federal; por ocasião da Operação Chacal , foi ainda apreendido um hard drive com dados de operações sigilosas do banqueiro do Opportunity. O HD segue lacrado e guardado na PF por ordem da presidente do STF, Ellen Gracie, que não autorizou sua abertura).

Diz ainda a PF em sua nota oficial:

"Em face do exposto, o departamento de Polícia Federal informa que instaurará nesta segunda feira inquérito policial destinado a investigar em toda a extensão os fatos divulgados na reportagem "A Guerra dos Porões", da revista Veja, edição 1956, com circulação nacional a partir de 13-05-06, tendo em vista notícias que evidenciam a produção de dossiês forjados para tentar incriminar falsamente autoridades públicas. Por oportuno, o diretor geral da PF esclarece que seu nome é Paulo Fernando da Costa Lacerda, não apenas Paulo Lacerda (NR uma das contas atribuídas pela Veja a autoridades cita "Paulo Lacerda" como titular), declarando expressamente para todos os fins, que não tem e jamais teve valores ou bens no exterior podendo afirmar que nunca realizou operações bancárias fora do nosso país, não tendo enviado, depositado ou recebido recursos desta natureza em qualquer época, sendo, portanto, uma fraude a existência de suposta conta bancária no estrangeiro.

Ademais, considera que a divulgação da matéria pela revista Veja revela não apenas conduta criminosa por parte dos autores da farsa, mas também denota má-fé do jornalista e absoluta irresponsabilidade do veículo de comunicação que deu publicidade aos fatos mentirosos. Brasília 14/05/06."

A vagabundagem que se finge de jornalismo tentou imputar à VEJA o endosso às tais contas secretas. Repete a mentira exaustivamente para ver se cola. Ora, o objeto da notícia, obviamente, não são as contas secretas, mas justamente a guerra nos porões.
- a revista informa que Dantas se municiava de papelada, pouco importa se falsa ou verdadeira, para pressionar o governo;
- a revista deixa claro que investigou a existência das tais contas secretas; elas não puderam ser comprovadas;
- a notícia, entçao, era a batalha de bastidores entre o banqueiro e o governo, de que a tal lista com as contas era só um elemento;
- a revista fez mais: julgou, dadosm os motivos muito bem expostos acima, que era o caso de revelar a fonte.
- A revista cumpriu, em suma, a sua função. E observem que se antevê ali a guerra será sangrenta.



Em sua edição passada, na reportagem sobre o arsenal do banqueiro Daniel Dantas contra o governo, VEJA revelou que ele incluía supostas contas de autoridades brasileiras no exterior. Para ilustrar a matéria, a revista publicou a cópia de uma lista (à direita) enviada por ordem de Dantas a VEJA, que tomou o cuidado de apagar o número das supostas contas e o nome dos bancos. Ainda assim, o fato de tê-la publicado causou várias reações. Uma delas foi a afirmação de que a lista não provava nada. De fato não prova – nem VEJA pretendeu o contrário. Ao publicá-la, a revista quis tão-somente mostrar que tinha em seu poder papéis repassados por Dantas. Todos eles foram entregues ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza. Ao longo da semana passada, os repórteres da revista empenharam-se em acompanhar os desdobramentos da crise causada pela primeira reportagem. Neste quadro, o leitor encontra um resumo da apuração.

A MÃO DO BANQUEIRO
A lista com as supostas contas de petistas não chegou à redação de VEJA por acaso – versão divulgada por Dantas, em acordo com o governo, e comprada por jornalistas ingênuos. Foi oferecida pessoalmente pelo banqueiro à direção da revista e entregue por seus espiões. A operação deixou gravações e rastros

ELE DOBROU DIRCEU
Documento inédito mostra Dantas numa conference call com o espião Holder, que o banqueiro afirma mal conhecer. O que diz Dantas nessa reunião? Que o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) se comprometeu a defender os interesses do Opportunity desde que não fosse investigado pela Kroll. Dantas também diz que alguns membros da Polícia Federal são corruptíveis e podem atuar como mercenários

DE NOVO NA CASA ERRADA, MINISTRO
Enquanto o governo e jornalistas ingênuos se ocupavam em atacar VEJA por causa de sua reportagem sobre o dossiê do banqueiro, Dantas teve um encontro secreto com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, na noite da última quarta-feira, em Brasília. Eles combinaram uma trégua. Familiar? Sim: há dois meses Bastos participou da reunião em que o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda) tentou apagar as provas da quebra do sigilo do caseiro Francenildo Costa

EM PODER DO PROCURADOR
Como registrou em sua edição passada, VEJA não dispõe dos meios legais necessários para conferir todas as informações do dossiê de Dantas. Por isso, remeteu tudo o que recebeu do banqueiro ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza – talvez a única pessoa hoje em Brasília isenta e confiável para analisar o material de 41 páginas, das quais constam 27 supostas contas de sete autoridades – com seus números, bancos, saldos e supostos caminhos utilizados pelos espiões de Dantas para localizá-las.

Encerro
É assim que se faz. VEJA não comprou a versão de Dantas ou de qualquer outro. Manteve seu compromisso com o jornalismo. E estava, de fato, fazendo a punção num abscesso da República, como provaram os eventos futuros.

por Reinaldo Azevedo


Um único comentário: Acho que essa, após 26 denúncias, a prova mais cabal da corrupção da quadrilha que governa esse país.
O pior que as provas estão aí e ninguém do 1º escalão está preso ainda.

Ofensiva contra las Fuerzas Armadas latinoamericanas


Dentro del marco del Foro Social Mundial, que se realizó en Brasil en enero de 2009, se llevó a cabo el V Foro Mundial de Jueces, cuyo objetivo fue discutir los "crímenes contra la humanidad" cometidos durante las dictaduras en Argentina, Brasil, Chile y Uruguay. Paralelamente, abogados vinculados al Partido de los Trabajadores anunciaron que tratarán de derogar la Ley de Amnistía brasileña de 1979, para así poder juzgar a los militares que combatieron los grupos izquierdistas.

Ciertamente, algunos militares cometieron excesos e, incluso, crímenes; pero el objetivo de estas acciones no es hacer justicia, sino cobrar venganza y acabar con las instituciones castrenses. Porque si buscasen justicia, también enjuiciarían a los terroristas de izquierda, que cometieron delitos de lesa humanidad, al colocar bombas, realizar atentados y asesinar víctimas inocentes.

Los guerrilleros de los años 60, 70 y 80, que fueron derrotados militarmente, ostentan actualmente altos cargos de gobierno en catorce países latinoamericanos, cuyos presidentes pertenecen al Foro de Sao Paulo. Y desde el gobierno, están persiguiendo injustamente a sus enemigos de antaño.

El Foro de Sao Paulo aplica tres métodos distintos para destruir las instituciones militares: En Bolivia, Ecuador y Venezuela, las transforman, cambiándoles la identidad, sustituyendo la doctrina tradicional por nuevos conceptos emanados del Socialismo del Siglo XXI. El caso más emblemático es el de Venezuela, donde obligan a los militares a gritar "Patria, Socialismo o Muerte". El objetivo final es convertir a estas Fuerzas Armadas en guardias pretorianas al servicio de los regímenes socialistas.

En Argentina, Brasil, Chile y Uruguay, enjuician a los militares que combatieron la subversión armada, derogando las leyes de amnistía y obediencia debida, y aplicando retroactivamente los efectos de dicha derogación. En la mayoría de los casos, se trata de juicios políticos, precedidos de una propaganda feroz, donde no se presentan pruebas, ni argumentos válidos.

En Colombia y El Salvador, donde los mandatarios no pertenecen al Foro de Sao Paulo, las ONGs de izquierda, financiadas desde el exterior, hacen de las suyas, acusando injustamente a héroes militares, para minar la moral de la Institución. La teoría de los "falsos positivos", inventada por la izquierda, está haciendo estragos en Colombia, al convertir a muchos terroristas y narcotraficantes, en víctimas indefensas del sector castrense.

La destrucción o transformación de las Fuerzas Armadas latinoamericanas tiene dos objetivos: primero, hacer de nuestro continente una región donde la guerrilla, el terrorismo, el narcotráfico y el fundamentalismo islámico, puedan avanzar y fortalecerse sin resistencia alguna; y segundo, asegurar que individuos como Hugo Chávez, Evo Morales, Rafael Correa y Daniel Ortega, puedan acabar con la democracia y permanecer en el poder indefinidamente.


Por: Alejandro Peña Esclusa
Presidente de Fuerza Solidaria y UnoAmérica

O Refúgio do Terror 24: A Carta


Em carta, Battisti se diz abalado e reitera inocência de assassinatos na Itália

Em carta escrita de próprio punho, o escritor italiano e ex-ativista político Cesare Battisti reiterou hoje (30) não ter cometido ou ordenado assassinatos em seu país. Ele se disse também abalado emocionalmente por continuar preso na penitenciária da Papuda, no Distrito Federal, após ter sido beneficiado pelo refúgio político concedido em ato unilateral do Ministro da Justiça, Tarso Genro.

Cesare Battisti escreve

Reafirmo minha condição de perseguido político. Não sou responsável por nenhuma das mortes que me acusam e sei que a dor que elas causaram é imensa ainda hoje.

O Supremo Tribunal Federal (STF) ainda analisará a possível extinção do processo de extradição movido pelo governo italiano - assunto que provocou uma crise diplomática entre os países.

"Reafirmo minha condição de perseguido político. Não sou responsável por nenhuma das mortes que me acusam e sei que a dor que elas causaram é imensa ainda hoje", afirmou Battisti , em referência às mortes dos agentes policiais Andrea Campagna e Mares Santoro, em abril de 1979, do açogueiro Lino Sabadia e do joalheiro Alberto Torregiani, em dezembro do mesmo ano. Julgado à revelia, Battisti foi condenado na Itália à prisão perpétua pelos crimes, com base em depoimentos de pelo menos 10 pessoas beneficiadas pelo instituto da delação premiada, ex- militantes da esquerda radical italiana.

Na carta entregue pelo advogado Fábio Altinoro à Agência Brasil e a outros cinco veículos da imprensa nacional e italiana, Battisti alegou mal-estar para se recusar momentaneamente a conceder entrevistas aos jornalistas que, na última quarta-feira (28), tinham obtido do ministro do STF, Cezar Peluso, relator do processo de extradição, autorização de entrada na Papuda. A defesa do escritor teve desde então comportamento hesitante referente às providências necessárias para a entrevista. O escritor no entanto conversou com a equipe da Revista Isto é, que tinha autorização desde dezembro. Aos demais, o próprio Battisti prometeu atender nos próximos dias, no momento em que se sentir melhor.


"Desde que soube da concessão do refúgio político no Brasil e sigo preso, a ansiedade, a tensão e o nervosismo me acompanham", disse Battisti. "Mas, agora, não me sinto bem para atender a todos os jornalistas que me procuram. Nem mesmo consigo me concentrar no livro que estou escrevendo", acrescentou.

A renomada escritora francesa Fred Vargas, que esteve hoje com Battisti, disse que ele se chateou com notícias publicadas em que é tachado de terrorista e que o apontam como o autor dos disparos contra o joalheiro Torregiani. Na carta, Battisti nomeia aqueles que, segundo ele, seriam os verdadeiros responsáveis: "Memeo, Fatone, Masala e Grimaldi, todos colobaradores da justiça arrependidos". Em relação ao tiro que deixou paraplégico o filho de Toorregiani, Battisti diz que partiu do revólver do próprio pai.

Enquanto Battisti se recusa a conceder entrevistas, crescem especulações e dúvidas a respeito de muitos fatos que cercam sua história. Na entrevista à Revista Isto é, ele admitiu ter sido ajudado por integrantes do serviço secreto francês ao deixar aquele país rumo ao Brasil, em 2004, colocando o governo francês em situação desconfortável.

Outro ponto a ser esclarecido diz respeito ao pagamento dos advogados que respondem pela defesa do escritor. O principal é Luiz Eduardo Greenhalgh, ex-deputado federal pelo PT, e que também presta serviços ao banqueiro Daniel Dantas. Questionada hoje se contribuiria para tal pagamento, a escritora Fred Vargas consultou o advogado Fábio Altinoro sobre o que poderia dizer. O advogado tomou a palavra e afirmou que a defesa será paga com recursos do próprio Battisti, fruto dos direitos autorais sobre seus livros.



UOL Notícias

Essa cadeira deve ser macia...


Entrevista: José Sarney

José Sarney oficializou sua candidatura à presidência do Senado no início da semana. Parecia que a eleição de segunda-feira, dia 2, seria um passeio. Mas os ventos mudaram. Desde então, a candidatura de Tião Viana, dada como morta, ressuscitou - sobretudo com o apoio da bancada do PSDB, anunciada ontem à noite, depois de os tucanos quase terem fechado com Sarney. Contas nem sempre confiáveis (por causa das costumeiras traições) dão a vitória a Sarney, mas por margem estreita. Nesta entrevista feita agora há pouco por telefone, a primeira que Sarney concede desde que saiu candidato, o ex-presidente revela-se prudente, como é do seu estilo, mas assume-se como o presidente do Senado talhado para ajudar a governabilidade do país num período de crise econômica, "que será profunda".

Por que o senhor quer voltar à presidência do Senado?

Estou atendendo a um pedido quase irresistível dos partidos e de quase todo o Senado. Quero prestar um serviço à sociedade e continuar o processo de modernização do Senado. Fui um modernizador no Senado. Criei o Centro de Processamento de Dados (Prodasen), contratei a Fundação Getúlio Vargas para melhorar as práticas administrativas da Casa, aumentei a transparência para que o cidadão possa acompanhar o andamento da destinação das verbas públicas. Além disso, estamos entrando num ano de crise econômica, que será profunda. Tenho, com a minha experiência, condições de ajudar a governabilidade do país.

Seus aliados mais próximos sempre disseram que o senhor nunca disputaria voto a voto a presidência do Senado: gostaria de ser escolhido por consenso. Mas a realidade é que a disputa neste momento é dura. O senhor não teme o desgaste de uma derrota a essa altura da vida?

Disputar essa eleição não deve ser encarado como uma busca pelo poder. E sim como um gesto de humildade. Desde que deixei a presidência da República, já disputei diversas eleições.

Se o senhor sentir um clima de divisão da Casa, há alguma possibilidade, até a manhã de segunda-feira, de retirar a candidatura?

Não há divisão alguma.

O que o senhor acha do senador Renan Calheiros, um dos articuladores de sua campanha, como homem público?

O Renan foi líder no senado duas vezes, foi ministro e é um político importante no país.

O senador Tião Viana a propósito do senhor disse textualmente: "Ele está pensando que o senado é um fundo de quintal. Tem que gente que tem uma visão patrimonialista da vida pública". O que o senhor tem a dizer sobre isso?

Eu o conheço há muito tempo, mas não conhecia essa face grosseira do Tião. O que ele disse foi falta de respeito.

Por que o PSDB que esteve a ponto de fechar com o senhor, pisou no freio e acabou apoiando o senador Tião Viana?

Eu me faço a mesma pergunta. Recebi com perplexidade essa decisão.

Quantos votos o senhor acha que terá entre os 13 senadores do PSDB?

Não faço este tipo de cálculo. Respeito muito os senadores do PSDB.

Por Lauro Jardim


Após receber apoio tucano, Tião diz que pode contar com até 49 votos no Senado



O senador Tião Viana disse contar efetivamente com 38 votos na eleição para a presidência do Senado, mas que, pelas suas contas, o número pode chegar a 49, o que significaria sua vitória contra o candidato do PMDB, José Sarney (AP).

Ontem à noite, a cúpula do PSDB declarou apoio à candidatura de Tião Viana e mudou o panorama esperado na eleição da próxima segunda-feira. Na última quarta-feira, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) chegou a colocar na sua página na Internet que o seu partido apoiaria Sarney.

O PSDB tem 13 senadores e era considerado o fiel da eleição. Com o apoio tucano, Tião soma agora o apoio formal de 7 legendas à sua candidatura. São elas: PT, PSB, PDT, PSDB, PRB, PSOL e PCdoB.

Os votos, porém, são secretos e por isso não devem seguir totalmente a orientação de voto das bancadas, o que torna o pleito imprevisível.

"O [apoio] do PSDB foi decisivo e marca a história da legenda em busca de independência, autonomia e de uma reforma administrativa", disse o candidato petista em entrevista na manhã desta sexta (30) no Senado Federal.

Tião Viana se mostrou feliz com a nova situação. Parte do PMDB pedia a desistência do senador petista em troca de cargos na Mesa Diretora do Senado. Tião disse que o apoio tucano é fruto da "persistência e humildade com que venho conduzindo o entendimento com colegas".

PMDB acha que apoio do PSDB não muda cenário
A senadora Roseana Sarney (PMDB-MA), filha de José Sarney, afirmou hoje (30/1) que o apoio do PSDB a Tião Viana (PT-AC) não muda "a contabilidade dos votos" e que seu pai segue favorito na disputa.

A bancada do PMDB reuniu-se para almoçar na casa do senador José Sarney em Brasília. Amanhã e domingo, eles devem voltar a se encontrar para discutir as estratégias da reta final da campanha para a Presidência da Casa.

Grupo de José Sarney diz que PSDB aproveitará voto secreto para "trair" Tião Viana

O candidato do PMDB à presidência do Senado, José Sarney (AP), reuniu nesta sexta-feira a cúpula de sua campanha para avaliar os prejuízos causados pela adesão do PSDB à candidatura do petista Tião Viana (AC). Pelos cálculos dos aliados do peemedebista, ele mantém o favoritismo com 48 votos, segundo interlocutores. Para Sarney e aliados, a decisão dos tucanos foi política, mas não se efetivará na prática.

Interlocutores afirmaram que dos 13 senadores do PSDB, mais da metade já sinalizou a Sarney que ficará com ele na votação de segunda-feira. Os tucanos teriam afirmado ao peemedebista que vão se proteger no voto secreto, mas que evitarão manifestações públicas para não demonstrar divergências com a orientação do comando do partido.

A Folha Online apurou que durante cerca de duas horas de conversa, Sarney e seus aliados concluíram que a bancada do PSDB optou por Tião como um gesto político. O objetivo, segundo o grupo, seria para demonstrar que o partido está ao lado do que simbolizaria a ética e também para atender às orientações do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), que tem restrições pessoais a Sarney.

Sarney passou a manhã de hoje reunido com os filhos --a senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) e o deputado Sarney Filho (PV-MA)-- e os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Heráclito Fortes (DEM-PI), Gim Argello (PTB-DF) e José Agripino Maia (RN), líder do DEM no Senado.

Roseana foi incumbida de fazer uma avaliação oficial sobre o quadro político após a adesão dos tucanos à candidatura de Tião. Esquivando-se de criticar o PSDB, a senadora afirmou que a decisão dos tucanos "surpreendeu" e que até ontem à tarde integrantes da legenda mantinham conversas com Sarney.

Porém, nos bastidores, os aliados de Sarney reclamam da pressão do PSDB por cargos na Mesa Diretora do Senado e também nas comissões permanentes da Casa, além de outros benefícios.

Os tucanos negociam a CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), que será destinada ao senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), e também pleiteiam a Comissão de Relações Exteriores a ser comandada pelo senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Para o PSDB, é fundamental ainda manter a primeira-vice-presidência do Senado que ficaria com o senador Marconi Perillo (PSDB-GO).

Tião rebate a avaliação do grupo de Sarney afirmando que confia no apoio do PSDB e que conseguirá obter 49 votos no dia eleição, na próxima segunda-feira (2). Para ser vitorioso, o candidato no Senado tem de conseguir 41, dos 81 votos dos senadores.


Folha online

A briga pelo "poder" de uma cadeira...


PSDB não vota unido em Tião Viana para a presidência do Senado

Marcos Chagas
Da Agência Brasil
Em Brasília (DF)
A decisão da cúpula do PSDB tomada na noite de ontem (29) de apoiar a candidatura de Tião Viana (PT-AC) para a presidência do Senado não terá a unanimidade da bancada. O senador Papaléo Paes (AP) comunicou ao líder Arthur Virgílio Neto (AM) que votará no peemedebista José Sarney (AP). Para ele, pelo menos outros três tucanos devem optar pelo PMDB na disputa pelo presidência da Casa. Em entrevista à Agência Brasil, o senador afirmou que "não pode se comprometer em dizer que votará com a bancada e, no voto secreto, votar em Sarney". Na sua avaliação, outro voto entre os tucanos que deve ser dado ao peemedebista é do senador Álvaro Dias (PR). Papaléo lembrou que na reunião da bancada, na quarta-feira (28), ficou praticamente decidido o apoio ao PMDB. Segundo ele, nenhum senador presente "colocou qualquer contestação" à candidatura do PMDB. "O próprio senador Sérgio Guerra [presidente nacional do partido] foi enfático ao afirmar que o governador [de São Paulo], José Serra, não faria qualquer interferência contra a candidatura de José Sarney", relatou o senador. Já o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que é líder do governo mas fez questão de ressaltar que falava como parlamentar, considera que o apoio tucano não altera o quadro hoje favorável à candidatura de Sarney. Para ele, o apoio do PSDB a Tião Viana tem como objetivo "forçar uma divisão na base do governo". "Com o PSDB apoiando a candidatura de José Sarney fatalmente não haveria disputa. Creio que Tião Viana desistiria. Com o apoio do PSDB [à candidatura de Tião Viana] força uma disputa na base", afirmou o senador peemedebista. Romero Jucá acrescentou que Sarney conta com a unidade da bancada do PMDB e, agora, com o apoio dos 14 senadores do DEM. Na verdade, pelo menos um voto peemedebista José Sarney não terá, que é o do senador Jarbas Vasconcelos (PE). Tião Viana faz suas contas e aposta que terá mais alguns votos no PMDB. Já o líder do PSB, Renato Casagrande (ES), considera que o apoio do PSDB dá novo fôlego à candidatura de Tião Viana, que até ontem tinha uma eleição improvável. "Zerou a disputa e está começando uma nova. O PSDB demonstrou uma maturidade muito grande", afirmou o parlamentar. Para Casagrande, o apoio dos tucanos também serviu para estimular os parlamentares do bloco de apoio a Tião Viana que tinham dúvidas quanto à possibilidade de sua eleição e já começavam a pensar em mudar o voto. A líder do PT, Ideli Salvatti (SC), segue o mesmo raciocínio de Casagrande. Na opinião da parlamentar, com os tucanos como aliados a disputa entre Tião Viana e José Sarney "deu uma virada boa". Ela acrescentou que o PSDB, ao apoiar Tião Viana, deve ter entendido que o senador "tem a possibilidade de transforma e resgatar a imagem do Congresso Nacional". Ideli Salvatti fez questão de separar esse apoio das eleições de 2010 para Presidência da República. Segundo ela, é um equívoco vincular as eleições para as presidências da Câmara e do Senado às alianças para as candidaturas presidenciais. Neste sentido, Ideli ironizou o PMDB, hoje com o PT principal aliado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: "mesmo porque agrado ao PMDB nunca é suficiente". A líder petista acrescentou que, mesmo com o apoio dos tucanos, a eleição de Tião Viana não está garantida. Agora, ressaltou, é preciso consolidar outros apoios e manter os já conquistados.huh


DEM declara apoio à candidatura de Sarney e enfraquece Tião no Senado

O DEM formalizou nesta quinta-feira o apoio à candidatura do senador José Sarney para a presidência do Senado. Com o discurso de que o candidato Tião Viana representaria o PT na presidência da Casa, os democratas decidiram apoiar o peemedebista mesmo com o alinhamento do candidato ao Palácio do Planalto.

O líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), minimizou a proximidade do peemedebista com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a sua ligação com o senador Renan Calheiros(PMDB) --principal articulador da candidatura peemedebista.

"O senador Sarney é um homem de diálogo, não é petista, não tem alinhamento com o Executivo. O senador Tião é integrante do PT, que já detém o Executivo. Ter a presidência da República e do Congresso é um pouco demais", afirmou o democrata.

Agripino disse que o DEM cobrou de Sarney a redução do número de MPs (medidas provisórias) enviadas pelo Executivo ao Congresso, assim como a implantação de rodízio nas relatorias das MPs.

O líder também desvinculou o apoio a Sarney à eventual aliança com o PMDB em 2010, para a disputa pela presidência da República. "Não há compromisso de votar em Sarney para o PMDB estar alinhado conosco em 2010. A opção é em cima das necessidades do Congresso Nacional", afirmou.

Agripino reconheceu, porém, que o DEM decidiu migrar para a candidatura de Sarney porque a oposição não tem votos suficientes para eleger candidato próprio à presidência do Senado. "Se tivéssemos número para ganhar, teríamos uma candidatura nossa. Mas não temos. Então, apoiamos a candidatura mais viável. Não estou votando no Renan, estou votando no Sarney."

Retorno

O DEM voltou nesta quinta-feira a ser a segunda maior bancada no Senado com o retorno da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE) às atividades parlamentares. O partido tem, agora, 14 senadores --perdendo apenas para o PMDB, maior bancada, que reúne 20 parlamentares. O PSDB ficou em terceiro lugar, com 13 senadores, seguido pelo PT, com 12.

Maria do Carmo esteve afastada do Senado por mais de 120 dias em consequência de problemas de saúde. Apesar de ainda estar fisicamente debilitada, a senadora retornou num momento estratégico para o partido que, como a segunda maior bancada, passa a ser a segunda legenda com a prerrogativa de escolher cargos na Mesa Diretora e nas comissões permanentes da Casa.

A Folha Online apurou que integrantes do DEM apressaram o retorno da senadora para ajudar o partido a negociar cargos na disputa pelo comando do Senado. Oficialmente, porém, Agripino negou qualquer pressão para a volta de Maria do Carmo. "Ela estava de férias, na praia, está muito bem de saúde", afirmou.

O DEM vai pedir a 1ª secretaria da Mesa, a ser ocupada pelo senador Heráclito Fortes (PI), assim como a presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) ou da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos). "Se o PMDB, que é a maior bancada, escolher a CAE, nós ficamos com a CCJ. Ou então, o contrário", afirmou o líder.

Se ficar com a presidência da CCJ, como é a sua preferência, o DEM indicará o senador Demóstenes Torres (GO) para a sua presidência. O DEM ainda pretende indicar o senador Adelmir Santana (DF) para ocupar um segundo cargo na Mesa Diretora e o senador Raimundo Colombo (SC) para a liderança da minoria do Senado --que nesta legislatura está nas mãos do partido.


O candidato do PMDB à presidência do Senado, José Sarney, tenta fazer uma aritmética para recompensar o atual presidente da Casa, Garibaldi Alves (PMDB-RN).

A ideia é nomear Garibaldi para a presidência da Comissão Mista de Orçamento, uma vez que ele abriu mão de disputar o comando da Casa para evitar um embate interno no partido. Mas há um antigo compromisso do PMDB com o senador Valter Pereira (PMDB-MS).
No ano passado, o comando do PMDB se comprometeu com Pereira que ele seria o presidente da comissão. Mas sem um acordo para o impasse, os aliados de Sarney adiam comunicar a ambos qual é a tendência da bancada.
A Comissão Mista de Orçamento terá um papel de destaque em 2009, considerando os impactos da crise financeira internacional, o eventual contingenciamento de R$ 37 bilhões já anunciados pelo Ministério do Planejamento e os reajustes nos benefícios do programa Bolsa Família e para merenda escolar.
Tradicionalmente, os senadores e deputados que integram a comissão têm presença constante na imprensa, o que desperta interesse dos parlamentares.Também são eles os responsáveis pelas negociações diretas com a equipe econômica, governadores e prefeitos.
CAE
Sem acordo com Sarney, o comando do PSDB adiou para domingo a oficialização de apoio à candidatura do peemedebista. O objetivo é garantir que o comando da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) fique com o senador Tasso Jereissati (CE), além da primeira-vice-presidência da Casa com Marconi Perillo (GO).
A Folha Online apurou que, ontem à noite, Sarney sinalizou que seria possível dar a CAE para Tasso, mas indicou que não havia condições de recuar no compromisso de o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) ficar no comando da Comissão de Relações Exteriores.
As negociações estão sendo conduzidas diretamente pelo presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e o líder da bancada no Senado, Arthur Virgílio (AM). Mas ambos concluíram que o melhor seria negociar à distância e por telefone. Tanto é que Guerra foi para Recife e Virgílio seguiu para Manaus. Só voltarão a Brasília no fim de semana para anunciar a posição do partido.
No Senado, depois dos cargos na Mesa Diretora --presidência, vice-presidência e secretarias --, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e a CAE são as que mais movimentam as negociações.
Pelo acordo do PMDB com o DEM, a CCJ deve ficar com o senador Demóstenes Torres (GO), enquanto a CAE com os tucanos.

uol notícias

As peripécias do Conde.

Um infiltrado na maior orgia das esquerdas.





O velório do Capitalismo








por Cavaleiro Conde

O Refúgio do Terror 23: O dono da "grande idéia"!



Alexandre Garcia recebe o ministro da Justiça, Tarso Genro, para debater a decisão do governo brasileiro de conceder asilo político ao italiano Cesare Battisti.

Cavaleiro do Templo: DEBATE? Só se estava junto com o entrevistador e o amigo de terroristas a Mulher Invisível do Quarteto Fantástico e devidamente amordaçada, claro, visto que não abriu a boca. O que dizer da mídia nacional além do que já foi dito?



por Cavaleiro do Templo

FSM - Fórum Social Mundial ou Falácia Socialista Mundial




Vejam a programação do FSM que um leitor postou no blog do "Cavaleiro Conde".

Acrescento que foi a partir desta medida afrontosa do Conselho Federal de Psicologia que tranquei minha inscrição no Conselho Regional. Não admiti me sujeitar a uma lei estúpida que me OBRIGA a atender pervertidos e estimulá-los em sua prática, caso contrário, as punições vão desde a suspensão por um mês até a cassação do registro profissional, me impedindo de clinicar. Com esta lei espúria, eu poderia atender um gay que pedia ajuda para "voltar a ser homem", por exemplo, e depois ele me denunciar no CF alegando que eu desrespeitei sua opção de gênero e tentava fazê-lo voltar ao que era antes. Perder minha licença por uma fraude, uma armação? Não; laguei tudo antes e que se danem os pervertidos.

Recomendo o blog do Cavaleiro Conde como um dos melhores da blogsfera brasileira.
Abs, **
Reaça disse...

Estive na página do Fórum Social Mundial e baixei as atividades do mesmo. Vejam as preciosidades que garimpei. Os meus comentários estão marcados com asterisco. Está longo, mas é bom ter uma idéia do que rola por lá. É um verdadeiro circo dos horrores. Preparem seus terços, águas-bentas, e tomem um Dramin (eu preferi tomar Gardenal) e vejam:


Associação Bras. De Estudos Sociais do Uso de Psicoativos
Substâncias psicoativas: política, cultura e pesquisa - Dr. Edward MacRae
UFBA; Dr. Osvaldo Françancisco Lobos Ribas Fernandez - UNEB; Dr. Henrique Carneiro - USP; Dr. Marco Tromboni - UFBA;
* Pesquisei para ver se encontrava a tal associação na internet e não achei nada. Qual será o objetivo dessa palestra sobre psicoativos? Parece que vai ter balada boa e cocada boa.

Associação Cultural do movimento Reggae
Oficina de Reggae
ASSOCIAÇÃO CULTURAL DO MOVIMENTO REGGAE- AMOR E O PROJETO REGGAE
ENILSON NNONATO E RASTA ALVIM

Associação de Entidades de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável de Pintadas
Teatro popular: protagonismo juvenil e construção da cidadania através da arte-educação
* Imaginem seus filhos estudando em um colégio que aplica o método da “arte-educação”.

Associação de Mulheres Eneida de Moraes
UMA OUTRA MASCULINADADE É POSSÍVEL: da Amazonia para o mundo
Irina Storni Jane Monteiro Neves
* Algum homem aí quer ter “uma outra” masculinidade possível?

Associação do Produtor, Feirante e Consumidor Ecologista de Rio Grande do Sul
ESPIRITUALIDADE RACIONAL E REVOLUCIONARIA
Parceria com: 1) Cooperativa de Gestão Solidária; 2) Instituto ICIBOLA Online
José Juan H. Thielen
* Espiritualidade revolucionária? Deve ser a do Hamas. Essa teologia civil existe desde Barrabás, que era um zelote. Os zelotes eram a “teologia da libertação” da época. Há quem diga que Judas Iscariotes também era um.

Associação dos Filhos e Amigos do Ile Axe
Religiıes de Matriz Africana, contra a (In)tolerancia e defesa da cultura negra
AFAIA Grupo de Estudos Afro-Amazonico
Edosn Silva Barbosa Marilu Marcia Campelo Anaiza Vergolino sacerdotes convidados
* Será se irão falar sobre a intolerância contra os cristãos?

Associação dos Percussionistas do Pará/Amazônia
Rítmos Percussivos da Cultura Amazônica e sua Influências
Associação dos Percussionistas
* Essa deve ser boa. Tema importantíssimo para o mundo. Talvez seja a salvação para a crise econômica.


Associação dos Usuários de Sistemas Livres e Abertos
Install Fest GNU/Linux
AUSLA, SUCESU-PA, SINDPD-PA.
* E eu que estava pesando em migrar para o Linux.

Associacao Irmandaade Comunindios Bandeira Branca
Celebração
Ayahuasca-Consciencia ao homo Sapiens
Paulo Brasil e Indios Brasil.
* Êba! Vamos abrir as portas da percepção para o admirável mundo novo

Associação Katiró
Oficina
Diversidade sexual
* Alguém quer fazer uma OFICINA de diversidade sexual? Olha que é diversidade mesmo!

Associação para Pesquisa e Promoção da Saúde e dos Direitos da Mulher - Gesto&Ação
Aborto Inseguro em uma população em situação de pobreza - Vulnerabilidade e Determinantes Sociais da Saúde
ONG Gesto&Ação UNIFESP
Carmen L. B. Fusco
* O abortismo está na agenda do Obama também. Só falta ele lá.

Associação Proutista Universal
Após o Capitalismo - PROUT: Novo sistema sócio-econômico baseado num autentico desenvolvimento em todas as esferas da vida
Acarya Jinananada Avaduta
* Em todas as esferas mesmo. Até no lazer, na espiritualidade, na imprensa. Imagine a estrovenga implantada.

Associação Revivarte
UMA EDUCAÇÃO PARA MUDAR O MUNDO
Luciana Sérvulo
* Um método de proselitismo ideológico.

ASSOCIAÇÃO STOP A DESTRUIÇÃO DO MUNDO
Libertação dos Povos - A psicopatologia do poder - Conscientização e Socioterapia baseadas na Trilogia Analítica
Alexandre Frascari e Eduardo Castelã
* Socioterapia. Agora temos terapia para a sociedade de uma vez só. É a terapia grupal levada às últimas consequências (olha a ortografia aí, gente!)

CANIL _ Espaço Fluxus de Cultura
Improvisação Livre - Espaço Fluxus Autonomo
CANIL_ Espaço Fluxus de Cultura, Banda do CANIL_
* Que merda é isso? (Cavaleiro do Templo: CANIL é lugar de cachorro, me parece adequado este espaço no FSM)

Caravana Arcoiris por la Paz
Cidadania Planetária, Ecopedagogia e Consumo Sustentável, a Práxis para transformação !
Thomas Enlazador Marcelo Pelizzoli

Caravana Arcoiris por la Paz
As Novas Amazonas ,Brujas,Guerreiras, Sacerdotizas (Ecofeminismo,Saúde, Espiritualidade Ecumenica,Cultura de Paz)

Caravana Arcoiris por la Paz Centro Ecopedagogico Bicho do Mato Red de pontos de Cultura Congreso Bioregional

Verónica Sacta Campos Carolina Mora Sacta Sofia Mora Sacta

CATÓLICAS PELO DIREITO DE DECIDIR
Direitos Reprodutivos, Direitos Sexuais, Religião e Estado Laico
* Vejam que lindo: enquanto uma fala de pedagogia com ecologia bruxas, espiritualidade ecumênica e outras escrotices vêm outras e falam em estado laico. Vocês sabem o que isto significa, né?

Central de Movimentos Populares
O papel de Cuba no contexto da integração latino-americana
* Ninguém precisa levar o Olavo de Carvalho a sério. Basta ver isso.

Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz
Campanha pela Paz na Colômbia
Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz
Conferencia internacional a luta dos povos contra as bases militares estrangeiras, as guerras e a reativação da 4™ Frota(2)
Cebrapaz, Conselho Mundial da Paz, Nobases ( AL y C.), CADA, Serpaj, MovPaz, Mopassol, Ghime, DAIR/PLO - CMMLK
* As FARCs precisam vender drogas, seqüestrar, torturar e matar em paz.

CENTRO DE DEFESA DA VIDA E DOS DIREITOS HUMANOS DE BALSAS
PROGRAMA LIBERDADE ASSISTIDA
CENTRO DE DEFESA DA VIDA E DOS DIREITOS HUMANOS DE BALSAS PASTORAL DO MENOR NACIONAL; SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS - MINIST…RIO DA JUSTIÇA CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE; CONSELHO TUTELAR; FUNDAÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
* Já tive um aluno de liberdade assistida. Foi uma merda. Quem quiser que leve pivetes para si.

Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Menor
Estudo Exploratório sobre Parricídio: "O caso barroso"
Centro de Recuross Integrados de Atendimento ao Memor
ASO - Ana Maria Vasconcelos Moreira ASO - José de Jesus Botelho PSI - Marcia Luce Cassino
* Pesquisei para ver que troço é esse e não encontrei nada.

Centro de Trabalho Amazônia
Casamento da Filha do Mapinguari
* Hã? O quê? Quem? Acuma?

CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA – CVV Saber Ouvir na Abordagem Ceveviana
CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA – CVV CAMINHO DA RENOVAÇÃO CONTÍNUA (CRC)
CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA – CVV O Programa CVV na Prevenção do Suicídio
* Até o CVV ta nessa, Meu Deus!

Centro Espírita Casa do Perdão
Aspecto Geo Político Raciais- Par‚metro para a construção do Plano Mundial pela Reparação
MNU, CONEM e Casa do Perdão
Cida Abreu - Secret•ria nacional de combate ao racismo do partido dos trabalhadores.
* Os espíritas da casa do perdão são contra a revisão da lei da Anistia?

Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social / Universidade Federal da Bahia
Temas emergentes em Gestão Social - experimentando Metodologias não Convencionais e as Artes como estratégias de inclusão Social.
Valeria Giannella, Dan Baron
* Agora tô curioso para conhecer essas metodologias não convencionais.

Centro Memorial Cabano
50 anos da Revolução Cubana - 1959 a 2009 meio século de resistência, luta e vitórias do povo cubano
Representante do ICAP - Instituto Cubano de Amizade entre o Povos.
* De fato, não ter nem papel para limpar a bunda foi uma grande vitória.

CIDADANIA, ORGULHO E RESPEITO
A Homofobia nos movimentos social e sindical Movimento GLBT
Marcelo Carvalho ABGLT Movimento sindical Movimento Social
* Eu juro que é verdade: a sigla agora é LGBT, porque as mentes brilhantes viram que “gays” antes de “lésbicas” é machismo.

Ciranda Internacional de Comunicação Compartilhada
Atividade a ser definida pelo Fórum Mundial de Midia Livre
Entidades participantes do Forum Mundial de Midia Livre
* Ué! Comunicação compartilhada não é o que já fazemos aqui? Podiam ter nos chamado.

Coletivo Ciranda de Diversidade Sexual da UERJ
militancia e academia
* Tá explicado as camisinhas. Imagine a Ciranda de Diversidade Sexual. Aliás, deixa prá lá.

Coletivo Elizabeth teixeira
Saúde Mental - entrelinhas da loucura
* Pelo menos alguém vai falar com conhecimento de causa.

Coletivo Mulher Vida
Prevenção a Exporação Sexual, turismo sexual e Trafico de seres humanos.
* Querem prevenir o turismo sexual? Então para quê ás camisinhas?

Comissão Brasileira de Justiça e Paz
Uma outra cultura de paz é possível
* É aquela que mata os que não a querem.

ComitÍ de Mobilização para o Fórum Social Mundial - UnB
Ocupações de Reitoria - O Movimento Estudantil na luta pela democracia e na defesa da educação
* Viu? A ocupação dos remelentos e malfadinhas era para contar essa enorme proeza no fórum.

Companhia de Jesus
Fe(s) religiosa(s) e defesa da Vida
Frei Betto, Marina Silva, José Comblin entre outros.
* O zelote Frei Betto apareceu. Tava demorando. Será se ele falará contra o aborto? A sua religião civil agora é em defesa da vida? Ele agora é contrário ao aborto?

Comunicação Comunitária / SOS Imprensa - UnB
Comunicoteca
Projeto de Extensão de Ação Contínua Comunicação Comunitária da UnB Projeto de Extensão de Ação Contínua Sos Imprensa Rádio Ralacoco - livre com princípios comunitários Projeto Dissonante - faça-rádio-web-você-mesmo
* SOS imprensa? Rá rá rá! Comunicoteca? Rá rá rá! Rádio Ralacoco? Rá rá rá!

Comunidad Tzolkin
El ser mestizo como actor de cambio para la paz
* Agora admitem a mestiçagem? Não existiam apena pretos e brancos? Ou é um falso cognato?

Conferência dos religiosos do Brasil - regional Belém
Apresentação do documentário "Mataram Irmã Dorothy"
Podiam fazer também um documentário chamado “Mataram o Policial Luiz Pereira da Silva”? Para maiores informações: http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/2007/02/silva-um-morto-sem-sepultura-e-dorothy.html

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA
Nenhuma forma de violência vale a pena: Desafios e Reflexıes para a Democracia
Ana Luiza de Souza Castro, Maria deLourdes Trassi Teixeira, Maria Nazaré Tavares Zenaide, Fernanda Otoni de Barros


Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais
Olhares sobre a segregação e a alienação - construindo outros modelos de convivência e comunicação
Representante da Comissão de Direitos Humanos - CRP MG (Dinacarla Gonzaga Piermatei) Representante da Comissão de Psicólogos da Saúde - CRP MG(Lourdes Aparecida Machado) Representante da Comissão de Comunicação - CRP MG (Clerison Stelvio Garcia)

Conselho Regional de psicologia do Rio de janeiro
Educação: o que nós psicólogos, temos a ver com isso?

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO DE JANEIRO
PSICOLOGIA E HOMOFOBIA: DEZ ANOS DA RESOLUÇÃO CFP 001/99
Grupo de Trabalho "Psicologia e Diversidade Sexual" (Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro) e Grupo de Pesquisa "Psicologia e Processos de Criminalização da Homofobia: impactos da resolução CFP 001/99" (Instituto de Psicologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro).
* A petralhada aparelhou até os conselhos de psicologia. Eles entendem a sua atividade como lavagem cerebral. Guardem os nomes desses psicólogos para que, se um dia precisarem de um profissional da área, já saberem a quem NÃO procurar. Reparem aquele “Nenhuma forma de violência vale a pena”, se não me engano, refere-se a um projeto do CFP que quer proibir os pais de dar até uma palmada na bundinha do filho.

Criar RH
Biodanza e a Visão Ecológica do Ser
Letícia Pacheco
* Essa porcaria de biodança é a maior roubada. Uma vez, fui fazer um curso e levaram uma mulher para fazer isso. O pior que era em uma escola de ensino médio. Pagamos o maior mico para a meninada que ficou olhando para nós. Tal prática é de origem hindu. Ninguém falou nada. Imaginem se levassem um padre para rezarem o terço! Logo as vozes que defendem o ensino laico iriam gritar em uníssono.

DCE-Diretório Central dos Estudantes - UVA-PA
Formatando mentalidades criticas
Elias Sacramento(mestre em história) e outros a confirmar.
* Mais um método de proselitismo ideológico.

FACULDADE DE CI NCIAS SOCIAIS – UFPA
Os índios no Ciberespaço- a experiência inovadora com meio alternativo de comunicação.
* Índio qué webcam.

Movimento Maio de 1995
Vexames gozozos
* Falou tudo.

Movimento Mística e Revolução
Ofinica sobre a relação entre Mística e Revolução
* Só na Escatologia da Libertação, a religião civil atual.

Nação Hip-Hop Brasil
Hip-Hop N\'Ação
* Claro que não poderia faltar. Tamanha expressão cultural assim é hiperimportante.

Rede de Integração e Cidadania
educacão biocentrica
Rosaura de Fatima Berni Couto Artur Ferreira Almeida
* Mais uma charlatanice para arrancar grana de trouxas com a lenga-lenga new age. Praticam a biodança também que me deixou traumatizado até hoje. Leiam um trechinho do que vi no site: “Por uma Pedagogia dos Instintos
A idéia de Educação Biocêntrica está intimamente vinculada à defesa de uma “educação selvagem”: trata-se de criar situações de aprendizagem para que as pessoas possam cultivar seus potenciais genéticos.
Nas palavras de Toro “Propus o termo Educação Selvagem ao conjunto de todos os procedimentos que possam estimular, na criança, no jovem e no adulto, o ciclo dos instintos; destacar e fortalecer o instinto para a seleção dos alimentos em relação às necessidades orgânicas profundas e saboreá-los, desfrutando o prazer do alimento (junto aos demais); estimular a capacidade de luta e defesa, através de brinquedos e jogos adequados à faixa etária; estimular a sexualidade natural, através do contato e das carícias; desenvolver o prazer cenestésico do movimento, mediante exercícios de harmonia e fluidez, natação orgânica e biodança; ativar a expressão afetiva e criadora, mediante o canto, os coros primitivos, a poesia e o teatro; o uso das cores e o desenho; trabalhos em argila (...). Todos esses procedimentos deveriam ser praticados com a freqüente participação da família, incluindo avós, os idosos, ampliando o espaço educativo sob a forma de uma ‘Escola-Universo”

Trupegaia
o circo em prol da valorização humana e do meio ambiente
Trupegaia "A arte por um mundo melhor
* Agora os eco-chatos vão falar do aquecimento global na linguagem apropriada – a palhaçada. Sem falar dos números de contorcionismo verbal para falar tanta merda e o sapateado (bater pezinho) para protestar. Restou dizer que é o circo dos horrores.