quinta-feira, 30 de abril de 2009

Irã: Patrocínio pesado ao Terrorismo.


WASHINGTON - O Irã, que continua a planejar e financiar ataques terroristas no Oriente Médio e outros lugares, permanece como "o Estado patrocinador de terrorismo mais ativo" no mundo, disse o governo dos EUA, em um novo relatório sobre as práticas terroristas no mundo. O documento afirma ainda que a Al-Qaeda permanece como a "principal ameaça terrorista" para os EUA, já que usa suas bases no Paquistão para recuperar a capacidade operacional que tinha antes dos ataques de 11/09.

A lista negra de países patrocinadores do terrorismo divulgada pelo Departamento de Estado dos EUA ainda inclui o Sudão, Síria e Cuba. A Coreia do Norte deixou a classificação em outubro do ano passado depois de uma decisão favorável do governo Bush, afirma o documento. Estes países não podem receber ajuda econômica dos EUA nem obter benefícios comerciais ou tratados financeiros, entre outras proibições.

Segundo o documento, a rede da Al-Qaeda permanece como a principal ameaça terrorista para os EUA, pois "reconstruir parte de sua capacidade operacional anterior aos ataques de 11 de setembro" usando as regiões no Paquistão nas fronteiras com o Afeganistão.

O relatório, elaborado pelo Departamento de Estado, foi apresentado pelo coordenador interino da luta antiterrorista, Ronald Schlicher, e o diretor adjunto para a transferência de informação e de conhecimento do Centro Nacional da Luta Antiterrorista, Russel Travers. A publicação do relatório responde a uma exigência do Congresso dos Estados Unidos e sua divulgação acontece todos os anos na mesma data.

Este é o primeiro divulgado pelo Governo Barack Obama, mas o mais provável é que grande parte da informação tenha sido recolhida pela Administração George W. Bush.

Estadão

Farei o impossível para evitar violência, diz juiz sobre Raposa


Arrozeiros tem prazo até esta quinta para deixar a reserva indígena; PF e Força Nacional estarão na área

Agência Brasil


BRASÍLIA - Na véspera da retirada dos arrozeiros da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, o presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, desembargador Jirair Megueriam, detalhou nesta quarta-feira, 29, a operação. Ele acredita que a saída será pacífica, mas não descarta a participação da Polícia Federal na retirada, caso haja resistência por parte dos ocupantes. O desembargador vai acompanhar a retirada de dentro da reserva, com mais dois juízes auxiliares e pretende atuar pessoalmente no "convencimento" dos que insistirem em descumprir a decisão da Justiça. "Farei o possível e o impossível para evitar violência entre as partes", acrescentou.

Mengueriam esteve na terra indígena na última semana e conversou com as 36 famílias de não-índios, que ainda permaneciam na região. Uma parte aceitou transferência para casas populares em um bairro na periferia de Boa Vista, capital do Estado, e às outras foram oferecidos lotes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Instituto de Terras de Roraima (Iteraima). "Tecnicamente não há motivos para não deixarem a área", disse o magistrado. Ele negou que tenha havido coação das famílias para que assinassem o compromisso de saída da reserva. "Ninguém foi coagido. Tudo foi feito de acordo, conversado".

Ontem, alguns parlamentares, que também estiveram na reserva, apresentaram ao ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, a situação de famílias que não teriam onde deslocar um rebanho de cerca de 12 mil cabeças de gado. O desembargador afirmou que o suposto impasse "parece justificativa para não se cumprir a decisão do STF" e afirmou que a Fundação Nacional do Índio (Funai) vai garantir a guarda do rebanho - de 8,5 mil cabeças, segundo o TRF - até que os proprietários possam removê-los do local.

"A Funai está contratando vaqueiros que cuidarão desse gado, até que os donos possam retirá-lo da área. O governo vai assumir responsabilidade de guarda e as pessoas vão lá, com escolta da Funai, se for preciso, para retirar o gado no tempo que for necessário", detalhou. Outra possibilidade, segundo Mengueriam, seria a compra do rebanho pelo governo e posterior distribuição entre os indígenas, hipótese menos provável até agora.

Em relação ao arroz plantado por alguns produtores e utilizado como argumento para que o STF estendesse o prazo de retirada até o fim da colheita, em maio, Mengueriam reafirmou que o governo pretende comprar a produção. "A Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] está realizando levantamento, vai realizar a colheita e os proprietários serão indenizados", afirmou.

Em caso de reação violenta dos ocupantes, Mengueriam disse que tomará as medidas previstas em lei para o cumprimento da decisão judicial. "Ou seja, a execução forçada da decisão, que não necessariamente será feita pela polícia". A ação policial só será requisitada em caso de "resistência com violência".

A Polícia Federal e Força Nacional de Segurança estão na área para atuar em caso de conflito durante a retirada.

Estadão


Líder arrozeiro diz que não índios vão resistir

O presidente da Associação dos Arrozeiros de Roraima, Nelson Itikawa, admitiu nesta quarta-feira a possibilidade de haver resistência de não índios em cumprir a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que que manteve a demarcação contínua da reserva Raposa/Serra do Sol (RR) e determinou a saída de produtores rurais do local.

Segundo Itikawa, muitas pessoas não têm para onde ir nem dinheiro para pagar a mudança. "Acredito que vai haver resistência porque tem muita gente não vai sair porque não tem para onde ir", afirmou.

Em março, o ministro Carlos Ayres Britto, do STF, definiu a data de 30 de abril como prazo para que não índios saiam da área da reserva indígena. Ontem, o ministro descartou a possibilidade de prorrogar o prazo para a saída pacífica.

O líder arrozeiro disse ainda que os não índios enfrentam uma situação "estranha" porque oficialmente não foram notificados da decisão do STF para deixar o local. "É uma situação estranha. Como vamos sair daqui [reserva] se não fomos notificados oficialmente", afirmou.

O STF informou por meio de sua assessoria que que as partes envolvidas no processo estavam presentes no julgamento. O Supremo também ressaltou que a ata da decisão foi publicada.

Segundo advogados ouvidos pela Folha Online, não há como mandar os não índios deixarem o local se eles ainda não foram, oficialmente, notificados da decisão.

O advogado constitucionalista Ives Gandra Martins disse que a notificação das partes envolvidas no processo é "essencial" para que a decisão seja cumprida. Gandra Martins explicou que, mesmo sem a publicação, os envolvidos podem ser notificados do teor da decisão por meio de mensagem eletrônica (e-mail) ou por telegrama.

"A publicação não é necessária. Agora, se não há nem um [publicação] nem outro [notificação] ela [a decisão] não pode ser cumprida. A publicação não é essencial mas a citação é essencial. Se não foi publicada nem os envolvidos citados, não há como ser cumprida", disse Gandra Martins.

O advogado constitucionalista João Antonio Wiegerinck disse que a decisão do Supremo sobre a reserva Raposa/Serra do Sol precisa ser instrumentalizada, ou seja, cumprir os instrumentos do processo, como a publicação e o mandado de citação.

"Não há como cumprir uma decisão que não foi oficialmente instrumentalizada. Por isso, a decisão [da reserva] pode não ser cumprida", afirmou.

Folha SP


TERRORISMO DE ESTADO DO PT.

Absurdo e me recuso a comentar qualquer coisa à respeito da ignomínia realizada em RR.
Aos "politicamente corretos":

1- DEFENDEM TERRITÓRIOS PARA INDIOS E NEGROS, MAS ACUSAM ISRAEL DE INVADIR O TERRITÓRIO QUE ERA SEUS HÁ MAIS DE 4700 ANOS.

2-DEFENDEM DITADURAS QUE MATARAM MILHARES DE PESSOAS NO MUNDO E ATACAM UMA QUE MATOU 233.

3-DEFENDEM A EDUCAÇÃO, DIZENDO QUE É UM PROJETO PARA O FUTURO
ENGRAÇADO QUE A ECONOMIA FOI IMEDIATISTA, NÃO FOI UM PROJETO PASSADO.

4-DESCONHECEM MÉTODOS DE ENSINO

5-LAVOISIER QUEM FOI, TALVEZ DESCONHECIDO DISCÍPULO DE KARL MARX.

6-DEUS É A CURA DAS IMPOSSIBILIDADES

7-O FANATISMO RELIGIOSO DO IRÃ, DO PAQUISTÃO, DA ÍNDIA, É DEFENDIDO COMO FORMAS DE LIBERDADE, O ISRAELENSE É CRIME.

8- QUANDO VOCE DISCORDA CHAMAM-NO DE DIREITOSO, DESCONHECEM O QUE É DIREITA.

9-DEFENDEM A FAMÍLIA, A TRADIÇÃO, A PROPRIEDADE E DIZEM QUE NÓS SOMOS DA TFP.

OBS.DIVIDAM SOMENTE O QUE É DOS OUTROS.

HOURS CONCOURS:
CUBA É UM EXEMPLO DE LIBERDADE E DEMOCRACIA.

Sei, que vão acusar-me de preconceito, mas aqui vai a definição mais completa de hipocrisia.
Imaginemos dois homossexuais, um enrustido E outro que quer fazer cirurgia "trans", fala com falsete e veste-se como mulher.

Os dois são homossexuais, um é politicamente correto, o outro é um tremendo hipócrita.

Para os libertários sem noção do que é hipocrisia o enrustido é uma aberração.

NÃO SÃO SUAS OPÇÕES DE VIDA QUE FAZEM O QUE VOCE É,
MAS AQUILO QUE VOCE QUER SER E JAMAIS PODERÁ CONSEGUI-LO.
É FRUSTRANTE VER GENTE QUE TEM UM PESO E 999 MEDIDAS.


CRÉDITOS: Amigo JLLM

Otan expulsa diplomatas russos por espionagem



Representantes teriam ligação com espião estoniano que entregou segredos do grupo para Moscou

Agências internacionais


MOSCOU - A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) expulsou dois diplomatas russos em represália por um caso de espionagem de um responsável da Estônia que entregou a Moscou segredos sobre a aliança atlântica, segundo confirmaram as duas partes nesta quinta-feira, 30. A decisão foi anunciada um dia depois da retomada dos contatos e da primeira reunião entre representantes da Otan e da Rússia em oito meses, desde que a aliança suspendeu as relações com Moscou em represália à ofensiva russa na Geórgia.

Os diplomatas, entre eles o filho do embaixador russo na União Europeia (UE) Vladimir Shizhov são acusados de terem trabalhado como agentes da inteligência, segundo afirma o jornal Financial Times. Moscou qualificou a iniciativa da Otan como "provocação grosseira" baseada em "pretextos fantasiosos e sem a mínima explicação compreensível", segundo afirmou a chancelaria.

A Rússia afirmou que está "esclarecendo as circunstâncias da expulsão para determinar as possíveis ações". Em fevereiro, o oficial da Estônia Herman Sinn, um alto funcionário do Ministério da Defesa estoniano, foi condenado a 12 anos de prisão em fevereiro deste ano pela Justiça do país por passar segredos para Moscou. A corte não chegou a revelar para qual país Sinn espionou, mas investigadores afirmam que o oficial chegou a passar 3 mil documentos para a Rússia e que ele teria recebido cerca de US$ 110 milhões. O Kremlin nega envolvimento com o caso.

A Otan não fez comentários na época, mas o caso, considerado o maior escândalo de espionagem na Estônia desde a Guerra Fria, foi visto como um embaraço para o ex-país soviético que entrou para a aliança em 2004. Autoridades próximas do caso acreditam que tudo o que foi discutido entre os países da UE foi repassado para a inteligência russa, incluindo documentos confidenciais sobre a crise em Kosovo, o conflito na Geórgia e sobre o projeto do escudo antimísseis americano no Leste Europeu.

Exercícios da Otan

A Rússia assinou, nesta quinta-feira, um acordo com duas regiões separatistas da Geórgia pelo qual Moscou tem poder de controlar suas fronteiras. O presidente Dmitry Medvedev e os líderes da Ossétia do Sul e Abkházia assinaram o documento acordo numa cerimônia no Kremlin quase nove meses depois da breve guerra entre Rússia e Geórgia. Os acordos, assinados uma semana antes da Otan iniciar exercícios militares na Geórgia, preveem que ambas as regiões delegam à Rússia a proteção de suas fronteiras até que formem suas forças próprias.

A Rússia voltou a criticar os exercícios militares que a Otan planeja realizar na Geórgia entre maio e junho. O país é considerado crucial para a rota de petróleo e gás retirados do Cáspio. "O plano dos exercícios da Otan são provocativos, não interessa o quanto os aliados do Ocidente tentem nos persuadir do oposto", afirmou Medvedev depois da assinatura do acordo. "Os que estão tomando estas decisões deverão assumir total responsabilidade por qualquer consequência negativa".

Aparentemente, o acordo é uma tentativa de legitimar a presença de milhares de soldados russos nas regiões separatistas, que estiveram no centro da guerra. A Rússia vai controlar as fronteiras de ambas as regiões, incluindo as águas territoriais da Abkházia no Mar Negro, segundo o documento. Os Estados Unidos e a União Europeia (UE) consideram o acordo uma violação do cessar-fogo, que exige que todas as forças voltem para posições mantidas antes dos confrontos de agosto.

Para Moscou, o cessar-fogo foi substituído por acordo subsequentes com a Ossétia do Sul e a Abkházia. Ao assinar na quarta-feira o acordo com o líder da Abkházia, Sergei Bagapsh, e o líder da Ossétia do Norte, Eduard Kokoiti, Medvedev a Rússia indicou sua intenção de fortalecer essa afirmação. "Isto é, sem dúvida nenhuma, um ato político", disse Medvedev, segundo a agência estatal de notícias RIA-Novosti. "Esses documentos dão seguimento aos acordos de amizade, cooperação e assistência mútua que assinamos algum tempo atrás".


Estadão

quarta-feira, 29 de abril de 2009

AÇÃO E INFORMAÇÃO PARA EVITAR O PIOR



Em meio à propagação global da gripe suína, dobram as responsabilidades das autoridades de saúde mundo afora. Se por um lado não podem espalhar pânico entre a população, tampouco devem esconder informações nem tardar nas ações. Alcançar esse delicado equilíbrio, por ora, parece ser a maior dificuldade do governo brasileiro – que vem tomando ações consideradas corretas, mas ainda tímidas, na opinião de especialistas. Falta divulgar de forma mais clara e ampla, à maioria da população (e não só aos viajantes), como agir em caso de contágio.
Num momento em que a doença eleva seus números de forma exponencial (já são mais de 50 mortos no México desde o início do surto, em fins de março, e quase uma centena de casos confirmados em outros sete países ao redor do globo), torna-se quase impossível conter a chegada do vírus ao Brasil – mas há como impedir que, uma vez aqui, ele se difunda de maneira avassaladora. A tarefa não é simples. Cerca de 6 mil passageiros desembarcam diariamente em solo brasileiro vindos de países da América do Norte. Só dos EUA, são 19 voos diários para Cumbica (SP), dois para o Rio de Janeiro, dois para Manaus, um para Fortaleza e um para Salvador. Provenientes do México, há dois voos diários para São Paulo.
Ainda ontem, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que todas as aeronaves provenientes da América do Norte estão sendo desinfectadas ao pousarem nos aeroportos brasileiros. Os passageiros destes voos serão inspecionados, segundo a Anvisa. Além disso, panfletos são distribuídos nos aeroportos contendo as informações básicas sobre a enfermidade e os meios de contágio. Empresas aéreas nacionais e internacionais também estão sendo alertadas por técnicos da agência para que, em caso de suspeita da doença, anotem os dados do passageiro para possibilitar uma investigação posterior.
Oficialmente, a gripe suína não chegou ao Brasil. O Ministério da Saúde informou que há 20 casos de pessoas com suspeita de contaminação, em oito estados do país (no Rio de Janeiro, são dois casos). Segundo o ministério, todos os possíveis pacientes estão sendo monitorados, e há 51 hospitais em todos os estados e no Distrito Federal preparados para atender a eventuais casos confirmados.
Especialistas consultados pelo Jornal do Brasil avaliaram positivamente as medidas adotadas pelo governo brasileiro até agora. Os médicos foram unânimes em afirmar que não há motivo para pânico – pelo menos até que seja confirmado o primeiro caso da doença. A partir desse momento, explicam, mais do que as medidas adotadas, a população terá papel fundamental no controle da disseminação do vírus no país. Ainda de acordo com os especialistas, os próximos 15 dias serão cruciais para as autoridades sanitárias impedirem a entrada ou a disseminação do vírus no Brasil (devido ao período de incubação do mesmo). Por isso, o monitoramento de todos os passageiros vindos de países com registro de pessoas infectadas pode diminuir a vulnerabilidade da população brasileira. Com ação, informação e o envolvimento de toda a sociedade, a detecção precoce permitirá que se tomem providências rápidas e que o perigo seja mitigado.


EDITORIAL
JORNAL DO BRASIL
29/4/2009

DIÁRIO DO PENSADOR SEM FRONTEIRAS

"O coração tem razões que a razão desconhece." Tudo bem, doutor Pascal, mas não esqueça que a razão tem emoções de que o coração nem suspeita.

"O inferno são os outros." Sartre dizia isso, com sua habitual falta de autocrítica. Mais racional, completo: "Certo, messiê, mas falta dizer: ‘O céu também’."

"Ouço a toda hora pobre e rico, preto e branco, brilhante e medíocre repetindo: ‘Da morte ninguém escapa!’"

Mentira. Da morte todo mundo escapa. O morto nunca sabe que está morto. Quem tem medo da morte e faz essas frases está bem vivo. Da vida é que ninguém escapa.

"Não confie em ninguém com mais de 30 anos", slogavam os hippies. Mas eu me pergunto: "Por que confiar em dimenor?".

"Arte é coisa mental", pensava Da Vinci, mas como se explica tanto idiota pintando, compondo e tocando?

"Só sei que nada sei." Sempre me parece frase dita por um corno manso.

"Penso, logo existo." É frase de moribundo.

"À noite todos os gatos são pardos." Depois do sucesso dessa negada aí da timbalada, as meninas tão dando pra turma, adoidadas. E murmuram: "À noite todos os pardos são gatos".

Taqui, O Guarani, do Zé de Alencar. Mais que nacionalista – o que não chega a ser uma qualidade, a não ser quando os paraguaios nos guerreiam barbaramente. Zé também Indianista, movimento reivindicando pros silvícolas (por que não selvícolas, se eles são da selva e não silvam?) explorarem, quando todo mundo sabe que o natural é o índio ser o explorado? Como é que índio nu ia explorar o cara de gravata e colarinho?

Mas, seja como for, Zé é um escritor menos pretensioso do que o Joaquim, metido a filósofo – "Mais vale cair das nuvens do que de um terceiro andar", Deus do Céu! – e a entender de mulher embora ceguinho a respeito, não tendo percebido que Escobar traçava a mulher de Dom Casmurro.

Mas Zé de Alencar também tinha das suas. Veja como ele termina, gloriosamente!, o seu romance. Transcrevo:

"Então passou-se sobre esse vasto deserto de água e céu uma cena estupenda, heroica, sobre‑humana; um espetáculo grandioso, uma sublime loucura. Peri, alucinado, suspendeu-se aos cipós que se entrelaçavam pelos ramos das árvores já cobertas de água, e com esforço desesperado, cingindo o tronco da palmeira nos seus braços hirtos, abalou‑o até as raízes.

Luta terrível, espantosa, louca, desvairada: luta da vida contra a matéria; luta do homem contra a terra; luta da força contra a imobilidade.

Houve um momento de repouso em que o homem, concentrando todo o seu poder, estorceu-se de novo contra a árvore; o ímpeto foi terrível; e pareceu que o corpo ia despedaçar-se nessa distensão horrível: ambos, árvore e homem, embalançaram-se no seio das águas: a haste oscilou; as raízes desprenderam-se da terra já minada profundamente pela torrente.

A cúpula da palmeira, embalançando-se graciosamente, resvalou pela flor da água como um ninho de garças ou alguma ilha flutuante, formada pelas vegetações aquáticas.

Peri estava de novo sentado junto de sua senhora quase inanimada: e, tomando-a nos braços, disse-lhe com um acento de ventura suprema: – Tu viverás!...

Ela embebeu os olhos nos olhos de seu amigo, e lânguida reclinou a loura fronte. O hálito ardente de Peri bafejou-lhe a face.

A palmeira arrastada pela torrente impetuosa fugia...

E sumiu-se no horizonte."

O público, isso que eles hoje chamam genérica e vulgarmente de galera, lê e bate palmas para essa descrição heroica feita pelo Zé de Alencar. Mas o Zé esqueceu, ou nem percebeu, que foi a primeira vez que um nativo começou a destruir o meio ambiente pra servir à classe dirigente.

África do Sul O populista Zuma é eleito presidente

O REI DA POLIGAMIA Jacob Zuma casa-se com sua esposa de número 4

EM ESTILO ZULU

O populismo de Jacob Zuma, próximo presidente da África
do Sul, é do gênero que faz a desgraça do continente


Thomaz Favaro

A vitória do Congresso Nacional Africano (CNA) nas eleições parlamentares da quarta-feira da semana passada nunca esteve em dúvida. O partido venceu as três eleições anteriores realizadas desde o fim do apartheid, em 1994. A apuração parcial das urnas indica uma vitória com dois terços dos votos. O resultado dá ao CNA o direito de indicar o presidente da África do Sul: Jacob Zuma, líder da rebelião na cúpula partidária que forçou o presidente Thabo Mbeki a renunciar. Parece continuísmo, mas a sucessão representa uma ruptura cultural e ideológica no país que responde por um terço da economia da África abaixo do Saara. Em lugar de darem o exemplo aos vizinhos com sua democracia e vigor econômico, são os sul-africanos que adotam o gênero de político populista que faz a desgraça do continente.

Nelson Mandela e Thabo Mbeki, os dois presidentes anteriores, pertencem à elite negra sul-africana e se formaram em universidades renomadas. Zuma vem da outra metade da população, que é pobre, vive na zona rural e toca a vida de acordo com os costumes tribais. Filho de uma empregada doméstica, ele cuidava do gado num grotão de KwaZulu, coração do povo zulu, a mais numerosa etnia do país. Adolescente, entrou para a ala militar do CNA africano e só aprendeu a ler já adulto, na prisão. Aos 67 anos, Zuma tem uma carreira marcada por escândalos de corrupção, lavagem de dinheiro, extorsão, fraude e sonegação de impostos (apenas para citar acusações que chegaram à Justiça). O fato de nunca ter sido condenado não é prova de sua inocência, e sim da robustez de seu poder político. Seu primitivismo espanta. Em um julgamento por estupro, em 2006, do qual também saiu absolvido, ele revelou que pensava que uma ducha poderia evitar a contaminação pelo vírus da aids.

A imprensa sul-africana diz, em tom de galhofa, que a principal dúvida é o nome da primeira-dama. Polígamo, Zuma admite ter quatro esposas e vinte filhos. Como um homem com tal currículo pode ser tão popular? Muitos sul-africanos votam no candidato do CNA por reverência ao papel do partido na luta contra o apartheid. Mas a maioria dos eleitores de Zuma são os camponeses, que o veem como um dos seus. A máquina do partido também não quer saber de mudanças. O monopólio sobre a administração pública permitiu a uma pequena elite ligada ao CNA enriquecer rapidamente, enquanto os indicadores sociais do país mostram avanços tímidos. O desemprego chega a 40% e uma em cada oito pessoas está infectada com o vírus da aids. Por falta de planejamento no setor energético, o país, que no próximo ano vai sediar a Copa do Mundo, sofre com apagões frequentes. Como prova de que as coisas vão mal, metade dos sul-africanos acredita que sua vida continua igual ou pior que nos tempos do apartheid. Com Zuma, a África do Sul fica mais africana.

QUINZE ANOS DEPOIS DO
FIM DO APARTHEID...

...a economia sul-africana representa um terço do PIB da África abaixo do Saara...

...e a quantidade de pobres declinou de 50% para 45% dos sul-africanos

Mas o número de portadores do vírus da aids saltou de 0,8% para 12% da população...

...e a expectativa de vida caiu de 60 para 49 anos

Revista Veja, ed 2110


STF analisa 22 ações envolvendo terras indígenas


Após 40 dias do emblemático julgamento que decidiu pela demarcação contínua da reserva indígena Raposa/Serra do Sol, em Roraima, o STF (Supremo Tribunal Federal) ainda não definiu se as 19 condicionantes estabelecidas na ocasião do julgamento para os processos demarcatórios no país também serão válidas para terras que foram demarcadas antes do julgamento da Raposa/Serra do Sol.

Tramitam no Supremo 22 processos referentes à demarcação de terras indígenas.
Duas ações que podem ser julgadas em breve devem definir como e em quais demarcações as condições serão impostas, segundo a assessoria do tribunal. Essas ações acusam a União de não respeitar as 19 condicionantes na demarcação das reservas Porto Lindo, no Mato Grosso, e Wa Wi, no Mato Grosso do Sul. O indigenista e ex-presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio) Sydney Possuelo teme as consequências das 19 condicionantes impostas pelo Supremo no julgamento de Raposa/Serra do Sol.

Com regularização de Raposa/Serra do Sol, Brasil passa a ter 11,5% do território ocupado por terras indígenas

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter aprovado em 19 de março a demarcação em terra contínua da reserva Raposa/Serra do Sol, área de 1,7 milhão de hectares em Roraima, 11,57% do território nacional passou a ser ocupado por terras indígenas regularizadas, de acordo com dados da Funai (Fundação Nacional do Índio).

"O STF simplesmente decidiu o óbvio [a demarcação contínua] e impôs restrições que até então não existiam. Com as condicionantes, o Estado, por exemplo, pode construir estradas na terra indígena sem consultar os índios e o Exército não precisa avisar as aldeias se quiser entrar na reserva. Na minha avaliação, a decisão do STF foi um retrocesso. Os índios saíram perdendo", afirma. Com a demarcação de Raposa/Serra do Sol, 11,57% do território nacional passou a ser ocupado por terras indígenas regularizadas, ou seja, áreas que só podem ser ocupadas por indígenas. O prazo para a saída de não índios da reserva se encerra nesta quinta-feira (30). Embora acredite que há um número razoável de terras indígenas no Brasil e reconheça que as condicionantes não deverão atrapalhar o processo de demarcação de novas áreas, Possuelo questiona a validade dessas terras para os indígenas a partir das restrições impostas pelo STF. "Não adianta ter uma grande área ocupada por terras indígenas, se o índio não tem o controle do território, se o Estado tem o poder de entrar na reserva e fazer o que bem entender", afirma. "O índio realiza todas as atividades vitais na terra indígena. É o habitat dele. Quando o Exército ocupa uma propriedade privada, é obrigado a indenizar o proprietário. A polícia só pode entrar em uma propriedade particular se tiver algum mandado. Porque com os índios tem que ser diferente?", diz Possuelo.

TERRAS INDÍGENAS NO BRASIL

SITUAÇÃO Nº DE TERRASSUPERFÍCIE (ha)
EM ESTUDO/RESTRIÇÃO1380
DELIMITADA251.080.217
DECLARADA467.502.182
HOMOLOGADA20384.884
ENCAMINHADA COMO R. I.2327.545
REGULARIZADA40398.527.372
TOTAL656107.522.199


Cesário Ramalho da Silva, presidente da Sociedade Ruralista Brasileira (SRB), apoia a decisão do Supremo de impor as condicionantes. "O Estado é absoluto. Não pode abrir mão dessas terras. O Estado, o Exército e a Polícia Federal têm que ter acesso à terra indígena sem precisar da anuência dos indígenas. Os índios precisam se sujeitar às regras do país", afirmou. Já para Roberto Liebgott, filósofo e vice-presidente do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), se as restrições do STF retroagirem, precedentes "terríveis" serão abertos. "Na nossa avaliação, no que tange à Raposa/Serra do Sol, a decisão do STF atendeu ao povo de Roraima, mas se as 19 condicionantes retroagirem e forem aplicadas em novas demarcações, o Supremo abrirá feridas já cicatrizadas e reacenderá conflitos e tensões", afirma. Segundo Liebgott, as restrições darão "subsídios para invasores de terras indígenas questionarem na justiça a legalidade das demarcações". "Acredito que haverá um grande número de processos judiciais que tornarão inviáveis as demarcações", diz. Diante das condicionantes, Possuelo acredita que os povos indígenas terão dias difíceis no futuro. "O STF não pode criar leis. Impor as restrições é subjugar os povos indígenas aos interesses nacionais", afirma.

Congresso discute projeto que dá ao Senado poder de aprovar demarcações e prevê indenização a não índios

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado pode votar nesta quarta-feira (29) proposta de emenda à constituição (PEC) determinando que a demarcação de terras indígenas tenha de ser aprovada pelos senadores

Outros processos

Um dos processos que deve ser julgado em breve é o da reserva de Caramuru Catarina Paraguaçu - habitada por 4,5 mil índios pataxós hã-hã-hãe -, que se estende por cerca de 54 mil hectares no sul da Bahia, região fértil para o cultivo de cacau. A reserva foi declarada como terra indígena em 1930, mas ainda não foi homologada pelo presidente da República.
Alguns fazendeiros da região obtiveram do governo da Bahia títulos de posse e continuam na reserva. A Funai entrou com uma ação cível no STF para reverter a situação. O julgamento foi suspenso em setembro passado após o ministro Carlos Alberto Menezes Direito pedir vista do processo. Antes, o relator, ministro Eros Grau, havia votado pela declaração da nulidade de todos os títulos de posse emitidos pelo governo da Bahia aos fazendeiros da área. O processo tramita na Justiça há 25 anos. "Vários casos não foram resolvidos. A morosidade da Justiça é sempre contrária aos interesses dos índios. Enquanto a Justiça não decide, os invasores de terras indígenas constroem, plantam, colhem, ganham dinheiro e os índios ficam na periferia das reservas, pedindo esmola", afirma Possuelo. Para Liebgott, atualmente a posse não está garantindo aos indígenas o controle da terra. "Grande parte das terras demarcadas está invadida por posseiros, grileiros, garimpeiros, entre outros. O governo deveria cumprir seu dever, regularizar essas terras e aplicar políticas de proteção e fiscalização", diz. O STF também deve julgar neste ano as ações da Agropecuária Serra Negra Ltda. contra a União e a Funai. A empresa quer recuperar posses na reserva Parabubure, no leste do Mato Grosso, onde vivem mais de 3.000 índios xavantes. A área, que já foi registrada como terra indígena, possui 225 mil hectares.

O impasse dura pelo menos 28 anos.
No Rio Grande do Sul, há 15 anos a Funai tenta retomar propriedades localizadas na reserva indígena caingangues do Iraí, no noroeste do Estado, onde vivem 427 índios caingangues. A entidade entrou com uma ação no STF contra o governo do Estado para devolver as terras aos índios. Já em Santa Catarina, particulares entraram em 2007 com ação no STF para questionar a demarcação da reserva Ibirama-Klanô, localizada no Vale do Itajaí. Em uma área de 37.018 hectares, vivem 1.468 das etnias guarani mbya, guarani ñandeva, caingangue e xoclengue. A terra ainda não foi homologada pelo presidente.

Raposa/Serra do Sol: Genro diz que retirada de não índios será cumprida no prazo

"A cada governo que os índios conseguem sobreviver, já é uma vitória. Aqui no Brasil eles estão cada vez mais aculturados", diz Possuelo. "Os povos indígenas estão submetidos à nossa lei, ao nosso código civil e penal. Eles são dependentes de poderes aos quais eles não concordam e sequer criaram. O futuro dos índios não depende mais deles próprios, mas da compreensão, boa vontade, amor, afeto, e responsabilidade dos brancos", afirma.

Para o presidente da SRB, "a terra em si não resolve o problema do índio". "É necessário produzir nela, usando tecnologia. O índio precisa se educar, ser incluído na sociedade e aprender a operar equipamentos agrícolas para se tornar um produtor", diz.
Liebgott, por sua vez, aposta na capacidade de mobilização e intervenção dos povos indígenas. "Os índios estabeleceram uma relação de cobrança e diálogo com o poder público. Acredito que esse protagonismo do indígena fará com que seus direitos sejam assegurados", afirma.

UOL

terça-feira, 28 de abril de 2009

Internet e a praga dos cem anos.


Os escândalos desse governo são tantos e tão freqüentes, que mal conseguimos acompanhá-los.

No Congresso a roubalheira não tem fim. Nos últimos meses foram vários, os escândalos que fizeram manchetes de jornais e revistas. Mas não passou disso.

Medidas moralizadoras de fato não aconteceram e pior, deputados e senadores discursam sobre a própria improbidade sem o menor pudor, como se estivessem cobertos de razão e fossem poços de virtudes.

O próprio Corregedor da Câmara Antônio Carlos Magalhães Neto, um dos farristas que levou a família para passear, encontrou uma abordagem interessante para se excluir do grupo dos espertalhões. Resolveu que a Corregedoria investigará apenas aqueles que venderam passagens de suas cotas.

Manchetes de jornais e revistas são lidas e chocam, mas vão pro lixo. No dia seguinte vem uma nova edição com escândalos mais frescos e poucos dias depois o povo esquece. Tudo certo e assim o moto se perpetua com porcos chafurdando na lama mas pousando de cruzados da moralidade.

Até a década passada tudo que podíamos fazer do alto de nossa indignação era desabafar entre familiares ou amigos, lançar pragas ou manter cadernetinhas com um cadastro de corruptos, bandidos e mafiosos. Mas essas soluções não tinham resultados práticos. As pragas, via de regra, não colavam e as cadernetas se perdiam num fundo de gaveta. Além disso, não eram compartilhadas.

Mas os tempos estão mudando e esses bandidos de fraque e fala empolada arrogante, não perceberam ainda que a internet veio para mudar isso e muito mais.

Aqueles que não têm respeito por nós e que não honram seus mandatos, terão seus nomes lançados na grande rede que está se tornando um gigantesco banco de dados e uma espécie consciente coletivo.

Essa nova entidade já chega a ser uma forma de vida artificial que ninguém mais consegue controlar.

O youtube que começou como uma brincadeira passou a servir de prova incosteste do que foi dito ou feito.

opiniao_26_04_09_internet_e_a_praga_dos_cem_anos_mauricio_marinho

Um dos exemplos mais representativos dessa nova era é o corrupto Maurício Marinho, então diretor dos correios que em 2005 foi filmado recebendo propina. Sua foto e seu vídeo circulam na grande rede até hoje e ele só se livrará da pecha de corrupto fazendo uma plástica, mudando a identidade e saindo do Brasil.

É pior do que qualquer praga dos cem anos.

Políticos e corruptos que hoje agem impunemente estão lançando sobre si uma mácula que permanecerá como uma praga na família por muitas décadas.

Daqui há 20, 40 ou 60 anos, filhos, netos, parentes e amigos do senador Gerson Camata (PMDB-ES) poderão assistir no youtube à patética cena do choro em plenário por ter sido denunciado por uma série de irregularidades pelo ex-assessor. Aqueles que desejarem ir além, poderão pesquisar quais foram as tais irregularidades e no futuro, provavelmente será possível pesquisar os autos de processos criminais.

opiniao_26_04_09_internet_e_a_praga_dos_cem_anos_gerson_camata

O mesmo se dará em relação a Fernando Gaberia (PV-RJ) que tentou se livrar do passado de terrorista para pousar de guardião da moralidade. Seus descendentes, amigos, inimigos ou qualquer um, poderão saber que tudo não passou de teatro e que Gabeira é apenas mais um dos muitos farristas das passagens aéreas que usou uma brecha da lei para justificar seu comportamento sem ética.

Todos enfim que hoje cometem atos de improbidade e se julgam espertos ao buscar cobertura de seus pares igualmente corruptos ou improbos, talvez consigam se livrar de um julgamento no conselho de ética.

Mas a praga está lançada. Não apenas sobre aqueles que cometeram atos ilícitos ou imorais, mas também sobre aqueles que lhes dão guarida para mais adiante receberem tratamento recíproco.

Seus nomes ficarão escritos neste consciente coletivo eletrônico e permanecerão ligados a improbidade, imoralidade, corrupção e aos crimes que cometeram.

Hoje estamos lançando a lista daqueles que participaram da farra das passagens aéreas. Amanhã será aquela do próximo escândalo e assim sucessivamente.

Vale lembrar aqui, às futuras gerações que venham a ler esse artigo, que todos esses que gastaram dinheiro do contribuinte para passear, levar suas famílias, amigos, atrizes e prostitutas para Londres, Paris e Nova Iorque, não cogitam em devolver o dinheiro, mesmo após terem sido flagrados.

Filhos e netos de um desses parlamentares que participaram do butim, saibam que nem arrependimento houve. Pelo contrário. Fizeram discursos arrogantes que nós como povo, recebemos como um verdadeiro tapa no rosto.

Só para mostrar quem realmente são, os deputados ainda fazem um pleito imoral. Já que foram flagrados na farra das passagens e terão que abrir mão da pilhagem daqui pra frente, querem um aumento salarial compensatório.

A farra das passagens é imoral. Custou ao contribuinte uma pequena fortuna e não foi só no Congresso.

Somente no primeiro trimestre de 2009 a imoralidade teve um custo total de R$ 87,213 milhões assim distribuídos:

Legislativo: R$ 1,013 milhão
Judiciário: R$ 9,800 milhão
Executivo: R$ 76,400 milhão

Segundo informações ainda em fase apuração, o uso indevido de passagens atinge praticamente todo Congresso. Mas alguns nomes chamam a atenção pela posição de destaque que ocupam e merecem ser publicados.

  • Michel Temer (PMDB) – presidente da Câmara
  • Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) – Corregedor da Câmara
  • Augusto Nardes - ministro do Tribunal de Contas da União
  • João Carlos Zoghbi – diretor de recursos humanos do Senado
  • Inocêncio de Oliveira - deputado e ex-Corregedor da Câmara.
  • José Múcio Monteiro (PTB-PE) - deputado licenciado e ministro das Relações Institucionais
  • Protógenes Queiroz - Delegado da PF
  • Marlidice Péres - viúva do ex-senador Jefferson Péres (PDT)
  • Garibadi Alves - senador (autorizou a conversão de cotas de passagem do ex-senador Jeffesron Péres em dinheiro em favor da víuva.)

Além destes há os recordistas:

Afonso Hamm (PP-RS) - deputado
Alexandre Santos (PMDB) - deputado
Aníbal Gomes (PMDB-CE) - deputado
Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) - deputado
Dagoberto Nogueira Filho (PDT-RS) - deputado
Edmilson Valentim (PCdoB) - deputado
Eduardo Lopes (PSB) – deputado
Eduardo Lopes (PSB-RJ) - deputado
Eugenia Rabelo (PR-CE) - deputado
Felipe Bornier (PHS) - deputado
Fernando coruja (PPS-SC) - deputado
Fernando Gabeira (PV-RJ) – deputado
Fabio Faria (PMN-RN)
Filipe Pereira (PSC) - deputado
George Hilton (PP-MG) – deputado
Jilmar Tatto (PT-SP) – deputado
João Carlos Bacelar (PR-BA) – deputado
João Paulo Cunha (PT-SP) - deputado
Leandro Picciani (PMDB) - deputado
Leandro Sampaio (PPS) - deputado
Leandro Sampaio (PPS-RJ) - deputado
Leo Alcântara (PR-CE) - deputado
Léo Vivas (PRB) - deputado
Marcelo Teixeira (PR-CE) - deputado
Mario Negromonte (PP-BA) - deputado
Mauricio Trindade (PR-BA) - deputado
Neilton Mulim (PR) - deputado
Nelson Bornier (PMDB) - deputado
Otávio Leite (PSDB) - deputado
Pastor Manoel Ferreira (PTB) - deputado
Paulo Lustosa (PMDB-CE) - deputado
Pedro Fernandes (PTB-SP) – deputado
Pedro Simon (PMDB-RS) - senador
Rebecca Garcia (PP-AM) - deputado
Roberto Balestra (PMDB-GO) - deputado
Rodrigo Maia (DEM) - deputado
Sílvio Lopes (PSDB) - deputado
Solange Amaral (DEM) - deputado
Vic Pires Franco (DEM-PA) - deputado
Vinicius Carvalho (PTdoB) - deputado

Se posicionaram contra medidas moralizadoras:

Papaleo Paes (PSDB) - senador
Sílvio Costa (PMN-PE) – deputado
Ricardo Barro (PP-PR) – deputado e vice-líder do governo
Epitáfio Cafeteira (PTB-MA) - senador

A bancada do PT também se manifestou contra medidas moralizadoras.

A lista completa com 261 nomes até hoje apurados foi publicada no OGLOBO em 23/04/09 página 4. Também está disponível AQUI

Essa nova era que ainda se mostra caótica em muitos aspectos, pode ser uma esperança e um marco na evolução da humanidade, pois já não será tão fácil cometer atos ilicitos, imorais ou anit-éticos e passar despercebido.

Para ler mais:

  • OGLOBO 21/04/09
  • OGLOBO 23/04/09
  • OGLOBO 25/04/09
OFCA

Qual será o verdadeiro Câncer do Brasil?


Já se costuma dizer hoje em dia que a única doença incurável é a longevidade.

Dilma revelou a Lula e ao público que tinha um linfoma, devidamente extirpado e que iria fazer quimioterapia.


Alguns médicos que encontrei por acaso no fim de semana me garantiram que a doença, quando o mal é eliminado na primeira fase, tem enormes chances de cura. Quando eu era criança,nem se dava nome ao câncer, chamava “aquela doença”, tal o horror que produzia nos interlocutores. (Eu sou médico e confirmo a afirmação)


Do ponto de vista político, sobretudo numa conjuntura com poucos candidatos capazes de se alçarem aos patamares de prestigio do presidente e à visibilidade política do candidato de oposição, essa noticia, em cima do único candidato posto da situação, pois Ciro Gomes é o anticandidato de um estado emocional, produziu grande perplexidade.

Mas a verdade ainda é mais ampla do que a frase lapidar de Otto Lara Resende: “O mineiro só é solidário no câncer”. Pois todos os brasileiros são solidários no câncer. A revelação pública, feita em entrevista coletiva, pela candidata, por sugestão do Franklin Martins, causou um forte efeito. Coragem, serenidade e capacidade de conviver com a adversidade. Isso não reduz as conseqüências imediatas do fato, entre as quais a necessidade de se mudar o perfil do candidato a vice presidente. A remontagem da agenda, durante a “químio” também será necessária. Serra tinha pela frente uma candidata política de escolha pessoal do presidente. Agora tem uma candidatura com grande apelo emocional: uma mulher lutando contra o câncer.

Creio que isso muda o patamar de racionalidade das eleições. Dilma precisa balizar a luta contra a doença e Serra deve revelar um tom mais humano em seu comportamento.



Enviado por: Jorge da Cunha Lima

Garcia diz estar confiante na recuperação de Dilma

"O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, disse hoje que está confiante na recuperação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e deu a entender que, se depender dele, a ministra será o nome do PT para 2010. "Não tenho a menor dúvida da recuperação dela. Mas, se vai ser o nome (do PT para as eleições de 2010), isso passa ainda pela convenção do partido. Mas ela terá o meu voto entusiástico. Sou 'dilmista' de primeira hora e acho que ela vai sair muito bem", afirmou.

Marco Aurélio Garcia contou que conversou com seu filho, que é médico, e ouviu a seguinte observação: "Do ponto de vista médico, ela tira isso aí de letra. Do ponto de vista político, ele disse que isso vai reforçar a candidatura dela"..."

Um único comentário meu:

► Reinaldo Azevedo já disse que quem falasse no câncer da terrorista com ares de política viraria inimigo da coluna dele... como eu não preciso ser inimigo, muito menos amigo dele, vou direto no "ponto g"... o terrorista MAG foi enfático e jogou as cartas na mesa... enquanto Reinaldo Azevedo está preocupado em ser politicamente correto com a terrorista, o terrorista MAG está agradecido a Reinaldo e a tantos outros que a olharem desde já como um símbolo de fortaleza e ética, até mesmo porque ela continua viajando horrores e inaugurando o nada ao coisa alguma de uma maneira metástica... é o que nossa imprensa vagabunda está fazendo e os dividendos em breve serão colhidos, pois mesmo que ela não seja portadora de câncer, dificilmente a mídia deixará tão cedo de tocar neste assunto, até porque o terrorista Franklin Martins finalmente achou o veio de ouro... quer dizer, a veia do linfoma...





Comento: Ambos blogueiros, Jorge da Cunha Lima e Carl Clausewitz tem razão.
A idéia de tentar apagar a imagem de ex-guerrilheira, para a "Guerreira" que venceu um câncer de Boa evolução com tratamento adequado (imagina o aparato médico que elles¹³ não pagam com nosso dinheiro).
Estímulo mais uma vez a idiotização da sociedade, com mais um VITIMISMO, COITADISMO, POBRISMO, ETC...ISMO.
Este é o PT e o "KIT PT" 2010 em vigência já há algum tempo. Os incrédulos irão ficar boquiabertos. Eu observo, quem sabe mais gente acorda!
"O maior castigo para quem não se interessa por política é ser governado por quem se interessa".

O LUGÔMETRO!


A vitalidade espermática do ex-monsenhor e presidente do Paraguai Fernando Armindo Lugo Méndez – notícia que em seu país está provocando uma grave crise política - suscitou em todo o Cone Sul uma onda de piadas.
O jornal portenho “Perfil” instalou em seu site o “Lugômetro”, que medirá o número de crianças reconhecidas pelo fértil ex-bipo, além das denúncias dos filhos que supostamente ele gerou.

A ironia portenha também produziu uma série de camisetas que – vendidas pela internet (e também nas ruas do centro) – ostentam os seguintes dizeres:
- “Papai Lugo, me reconheça”
- “Papai, don Fernando Lugo Méndez”
- “Filhos meus!”

E também está à venda a camiseta estampada com os versos do grupo paraguaio “Los Ángeles” que imortalizou o desdém do então bispo pela invenção de um dos médicos (de nome verdadeiro desconhecido, embora lendariamente chamado de “O Conde de Condom”) da corte do rei Charles II da Inglaterra , que indica que “Lugo tiene corazón pero no usa condón” (isto é, “Lugo tem coração” – em alusão a seu slogan de campanha – “pero no usa condón”, não usa preservativos)

As camisetas com os dizeres relativos à inesperada prole e os coitos desprotegidos do presidente Lugo custam, cada uma, em média, US$ 13 em Buenos Aires.

E também há camisetas para o nicho de mercado de pessoas que não consideram que o ex-monsenhor seja seu progenitor
- “Não sou filho de Lugo”

No Facebook também proliferam grupos com alusões ao presidente do Paraguai
- “Sou filho de Lugo, e daí?”
- “Eu também tive um filho com Lugo”
- “Lugo, semental paraguaio”

Com menos tecnologia do que o Facebook, os paraguaios expressaram suas satíricas opiniões sobre seu próprio ex-celibatário líder com prosaicos - mas incisivos - grafitos de banheiro.
Os top five dos mictórios em Assunção eram:
- O semental do Paraguai (esta, reproduzida aos montes depois que a terceira mulher, Damiana Hortensia Morán, indicou que Lugo, como homem, era "um fenômeno")
- Pai de todos os paraguaios
- Super-pai
- Também quero ser bispo. Onde é que eu me inscrevo?
- Tem certeza de que seus filhos...são seus filhos?

Charles II da Inglaterra (1630-1685), representante da dinastia Stuart, era enfático adepto do uso do preservativo, elemento contraceptivo desprezado pelo ex-bispo e atual presidente paraguaio Fernando Lugo (Charles II, retratado por Sir Peter Ley)

Alfredo Boccia Paz, um dos melhores analistas políticos de Assunção, escreveu a coluna “Quantos filhos suporta um governo” no jornal paraguaio “Última Hora”. Este é o link da coluna:
http://www.ultimahora.com/home/index.php?p=weblog_detalle&idBlogPost=1791

Este outro link pode parecer piada, mas é a notícia das declarações de um ex-colega de profissão de Lugo, o bispo da Diocese de Caacupé, Claudio Giménez, que aconselhou que Lugo case com uma das três mulheres que asseguram que tiveram um filho com o atual presidente nos tempos em que supostamente era celibatário. “Assim ele vai se tranquilizar”, explicou o bispo.
Este é o link:
http://www.ultimahora.com/notas/216957-Obispo-Giménez-aconseja-a-Lugo-casarse-para-aquietar-las-aguas-

COITOS DE IMPLICÂNCIAS PARLAMENTARES - A Oposição, enquanto isso, delicia-se com novos boatos sobre eventuais rebentos adicionais do ex-bispo.
Os líderes opositores calculam os votos necessários para um eventual impeachment de Lugo, que seria gerado pela falsidade ideológica (a negativa, durante a campanha, da existência de filhos) ou a acusação de estupro (decorrente de suas relações sexuais com a primeira denunciante, Viviana Carrillo Cañete, mãe da criança que Lugo reconheceu, quando tinha 16 anos).
Mas, os analistas destacam que para iniciar um julgamento político de Lugo, a Oposição necessitaria metade dos votos do Partido Liberal Radical Auténtico (PLRA), o partido do vice-presidente de Lugo, Federico Franco. Este, por enquanto, continua aliado do presidente. Mas, avisou dias atrás: “Lugo, você já perdeu um amigo....não perca seu vice!”.

Em tempo: O falecido general e ditador Alfredo Stroessner era o suposto pai de 20 filhos extra-matrimoniais. Outro defunto presidente paraguaio, Bernardino Caballero, teria gerado 77 crianças, segundo historiadores.

Em tempo 2: O Paraguai não é o único país da região onde costumam acontecer estas coisas...


Blog "Os Hermanos" - Estadão

Atualizações sobre a Gripe Suina




SÃO PAULO - A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu elevar o nível de alerta pandêmico da gripe suína para fase 4 (em uma escala que vai a 6), informam agências internacionais. Até esta segunda-feira, 27, o nível de alerta estava em 3. A fase 4 representa risco significativo de pandemia, ou epidemia em escala mundial, com a confirmação de que existe transmissão direta entre humanos. O nível seguinte, 5, define pandemia "iminente".

Até esta tarde, havia 149 mortes no México atribuídas à doença, entre quase 2 mil pacientes. Eram ainda 41 casos confirmados nos Estados Unidos, seis no Canadá e três no continente europeu - dois no Reino Unido e um na Espanha.

Além dos países com casos confirmados, há casos suspeitos em várias partes do mundo. A Alemanha investiga três pacientes que podem estar com o vírus causador da doença, o H1N1. Outros países que podem estar enfrentando casos da doença são Austrália, Nova Zelândia, Israel e Dinamarca. No Brasil, um casal que voltou de viagem de lua de mel ao México está em observação em Minas Gerais.

Em nota emitida no final da tarde desta segunda-feira, a OMS diz que a "situação está evoluindo rapidamente", mas que não vê necessidade na imposição de restrições a viagens, apenas sugerindo que pessoas doentes evitem viajar por algum tempo.

A OMS também afirma que não há risco no consumo de carne suína bem cozida, e que trabalhadores que manipulam carne de porco crua devem lavar as mãos com cuidado, usando água e sabão.


Entenda os níveis de alerta da OMS

Fase 1 - nenhum vírus que circula entre os animais causou infecção em humanos;

Fase 2 - um vírus que circula entre animais causou infecção em humanos, o que causa uma potencial ameaça pandêmica;

Fase 3 - casos esporádicos e pequenos focos da doença em humanos, mas que não têm suficiente capacidade de transmissão entre humanos;

Fase 4 - a transmissão entre humanos já é possível. Há um risco significativo de pandemia;

Fase 5 - o vírus se transmite de pessoa para pessoa em pelo menos dois países de uma região monitorada pela OMS. A pandemia é iminente;

Fase 6 - mostra que uma epidemia global está acontecendo.


Infraero anuncia plano de prevenção da gripe em aeroportos

Empresa informou que 'está pronta' para colocar em prática os Planos de Contingência em dez aeroportos


BRASÍLIA - A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraer) divulgou nota à imprensa nesta segunda-feira, 27, informando que "está pronta" para colocar em prática os Planos Específicos de Contingência à Influenza em dez aeroportos brasileiros, como forma de prevenir o País contra eventual ocorrência da gripe suína originada no México.

Até agora, apenas o Galeão (no Rio) e o de Cumbica (em Guarulhos, São Paulo) já apresentavam trabalhos pontuais, como a emissão de sinais sonoros, informando a respeito dos sintomas da doença aos passageiros que embarcavam no País.

Segundo a nota, os 10 terminais estão localizados nas seguintes cidades: Brasília, Campinas, Fortaleza, Rio de Janeiro, Guarulhos, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife e Salvador. A Infraero participa do Grupo Executivo Interministerial (GEI), criado desde 2006 por ocasião da ocorrência de uma possível pandemia de gripe aviária.

Nesses aeroportos, o plano prevê que os postos de primeiros socorros estejam aptos a acompanhar os níveis de alerta pandêmicos no Brasil, atender no posto casos suspeitos, usar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) no atendimento a casos suspeitos, avaliar sintomas suspeitos e transportar o passageiro sob suspeita para centros de referência.

"A Infraero também já determinou a todos os 32 aeroportos internacionais sob sua administração que divulguem aviso sonoro com a mensagem da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), alertando aos passageiros que apresentarem sintomas da influenza a procurarem imediatamente um posto da agência nos aeroportos", explica a nota.

Emergencialmente, Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Brasília (DF) já colocaram o aviso, e a previsão é a de que, até o fim do dia, os outros aeroportos também divulguem o alerta.


MÉXICO - O ministro mexicano da Saúde, José Angel Córdova, informou que o número de mortos no país pelo gripe suína aumentou para 152. Destas, 20 mortes foram confirmadas pelo contágio do vírus suíno A/H1N1.

ESTADÃO


ENTENDA A GRIPE, CLICK AQUI


ENTENDA O VÍRUS, CLICK AQUI