segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Chuva forte deixa Lula, Dilma e Cabral ilhados em creche inaugurada (Foi no RJ, hein Petralhas!!!)


A chuva forte que cai sobre o Rio de Janeiro no início da noite de segunda-feira (25) interrompeu a cerimônia de inauguração de obras do PAC, na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Por causa do temporal, o presidente Lula, a ministra Dilma Rousseff, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes ficaram ilhados por cerca de meia hora na creche inaugurada.

Mesmo com a forte chuva que desabou sobre as pessoas que aguardaram por quase duas horas até o início do evento, o prefeito Eduardo Paes, que também fez as apresentações do governador Sérgio Cabral, da ministra Dilma e do presidente Lula com bastante entusiasmo, não deixou de aproveitar o momento para lembrar que a região, onde foi subprefeito, era seu reduto eleitoral.

“Eu comecei minha vida política aqui, há 18 anos. E há muito tempo escuto que essa obra vai sair. Precisou um presidente como o Lula e o governador como Sérgio Cabral para acabar com esse clima de briga e discórdia”, disse, se referindo aos desentendimentos de seu antecessor para realizações de obras em parceria.

Rainha do PAC


Ao apresentar a ministra Dilma, Paes a chamou de “rainha do PAC” e se referiu a Sérgio Cabral como “o melhor governador da história deste estado”. Dilma, preocupada com a chuva, também foi breve em seu discurso e desejou “felicidades às mães” com o “projeto da creche”.


Lula, que também elogiou as parcerias da prefeitura com os governos do estado e federal, disse que “não era justo que as pessoas continuassem embaixo daquela chuva”.

Ele lembrou que muitas obras ainda serão concluídas na região até o fim do ano e afirmou que pretende voltar paras as inaugurações com o secretário de Habitação, Jorge Bittar, “já que o Cabral não pode porque vai estar em campanha”.

Com o helicóptero sem visibilidade para decolar, a comitiva deixou o local de carro. O presidente segue para o Leblon, na Zona Sul do Rio, onde participa da festa de 100 anos de Maria Amélia Buarque de Hollanda, mãe do cantor Chico Buarque.

Estado de alerta

Por causa da chuva que atinge vários pontos do Rio, a Defesa Civil do município entrou em estado de alerta no fim da tarde. Entre os bairros mais atingidos pela chuva no Rio estão Pavuna, Madureira e Penha, no subúrbio, além da Tijuca, na Zona Norte, de Bangu e Jacarepaguá, na Zona Oeste, e do Centro do Rio.

O Aeroporto Santos Dumont, no Centro, está fechado para pousos. Já o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, opera por instrumentos.

Defesa Civil orienta população

De acordo com a Defesa Civil, alguns locais podem sofrer alagamentos e deslizamentos isolados. A orientação é que habitantes de áreas de risco em encostas e regiões sujeitas a alagamentos se desloquem para locais seguros.

Até as 18h, não tinha sido registrada nenhuma ocorrência grave devido à chuva.

De acordo com a CET-Rio, a Avenida Dom Hélder Câmara, na Abolição, no subúrbio do Rio, tem trechos de alagamento ao longo da via. Por causa da falta de condição para trafegar, os motoristas enfrentam trânsito lento no local.

Retenção de 3 quilômetros na BR-040

Na Baixada Fluminense, a forte chuva que atingiu a região na tarde desta segunda alagou um trecho do km 111, sentido Juiz de Fora, da BR-040. De acordo com a Concer, concessionária que administra a via, o alagamento compromete o tráfego de veículos nas pistas lateral e principal, causando retenção de três quilômetros.

No km 117, a pista lateral também alagou com a chuva intensa. A serra de Petrópolis está com trânsito normal, mas recomenda-se atenção redobrada em todo o trecho da rodovia.



G1


Nenhum comentário: