quarta-feira, 31 de março de 2010

Atentados suicidas deixam pelo menos 12 pessoas mortas no Daguestão


MOSCOU - Pelo menos 12 pessoas, entre elas nove policiais, morreram nesta quarta-feira, 31, devido a explosão de duas bombas acionadas por dois terroristas suicidas no Daguestão, região autônoma do norte do Cáucaso, informou o Ministério do Interior dessa república russa.

O primeiro atentado aconteceu por volta das 08:30 (horário local), quando um veículo estacionado a 300 metors de um dos edifícios do Ministério do Interior e do Serviço Federal de Segurança explodiu ao lado de um carro da polícia, de acordo com a agência Interfax.

Cerca de 20 minutos depois, quando os agentes prestavam socorro às vítimas, outro artefato explodiu ao ser acionado por um terrorista vestido de policial. Além dos policiais, uma mulher e um membro do comitê de instrução da Procuradoria morreram no atentado.

O porta-voz da polícia da província disse que o chefe de polícia de Kizlyar, Vitaly Vedernikov, está entre os mortos. As explosões mataram 12 pessoas, nove delas policiais, e 23 outras tiveram de ser hospitalizadas, segundo autoridades federais da Rússia.

Em janeiro outros seis policiais morreram e outros quatorze ficaram feridos em um atentado suicida que ocorreu em Majachkalá, capital do Daguestão. A república é predominantemente muçulmana próxima e fica próxima à Chechênia. Ataques contra autoridades policiais e governamentais são comuns na região.

Os ataques desta quarta-feira aconteceram dois dias depois que duas mulheres suicidas causaram 39 mortos ao explodirem duas bombas no metrô de Moscou. Os corpos de segurança acreditam que estes atentados foram organizados por grupos terroristas islâmicos do Cáucaso do Norte da Rússia.


Estadão

Nenhum comentário: