sexta-feira, 2 de abril de 2010

Boletim de Ocorrência

"A SOLDADA ERIKA CANAVEZI TEM DOIS FILHOS. CUIDA DELES SOZINHA.
SEU SOLDO: 2 000 REAIS. EM CATORZE ANOS DE TRABALHO NA PM,
ELA NUNCA HAVIA SIDO AGREDIDA. ISSO SÓ OCORREU AGORA PORQUE
OS PELEGOS DA APEOESP DECIDIRAM SABOTAR AS MEDIDAS DE SERRA"


soldado desconhecido da PM recolhendo a colega ferida.



O número do B.O. é 1591/2010.
Quando alguém quiser analisar o momento em que a candidatura presidencial de Dilma Rousseff ruiu, terá de mencionar o BO 1591/2010, do 34º Distrito Policial, no Morumbi.
O que há no B.O. 1591/2010?
Na semana passada, os professores da Apeoesp fizeram uma baderna na porta do Palácio dos Bandeirantes. O plano dos baderneiros era simples: sabotar José Serra e, com isso, ajudar Dilma Rousseff. A Apeoesp é um sindicato controlado pela CUT e pelo PT. Um dia antes que seus pelegos atacassem José Serra, Dilma Rousseff participou de um ato de campanha com a presidente da Apeoesp. Dilma Rousseff homenageou-a publicamente. A presidente da Apeoesp respondeu entoando:
– Dil-ma! Dil-ma!
Os pelegos da Apeoesp pretendiam ocupar o Palácio dos Bandeirantes. Quando a PM tentou impedi-los, eles reagiram arremessando paus e pedras contra os policiais. Segundo o relato da soldada Erika Cristina Moraes de Souza Canavezi, um desses paus atingiu-a. Ela desmaiou. Conduzida ao Hospital Albert Einstein, foi medicada por ferimentos no rosto, na boca e no ombro. A denúncia contra seus agressores está no B.O. 1591/2010.
A soldada Erika Canavezi tem dois filhos. Cuida deles sozinha. Seu soldo: 2 000 reais. Em catorze anos de trabalho na PM, ela nunca havia sido agredida. Isso só ocorreu agora, porque os pelegos da Apeoesp decidiram sabotar as medidas propostas por José Serra para punir os professores gazeteiros e para premiar com aumentos salariais aqueles que ensinam melhor. Os correligionários de Dilma Rousseff defendem com paus e pedras o direito a um ensino público de má qualidade.
Além de contar com seus milicianos nos sindicatos, Dilma Rousseff pode contar também com seus milicianos nos blogs. Depois de ser brutalizada pelo pelego da Apeoesp, a soldada Erika Canavezi foi fotografada sendo socorrida por um rapaz de barba. Os blogueiros de Dilma Rousseff trataram de espalhar que o rapaz de barba era um professor. O mais pobrezinho desses blogueiros, um repórter de Carta Capital, comentou a fotografia da seguinte maneira: "Este professor que carrega o PM ferido é um mural multifacetado de significados, uma elegia à solidariedade humana e uma peça de campanha para Dilma Rousseff". O menos pobrezinho desses blogueiros, Luiz Carlos Azenha, repercutiu o assunto. Luiz Carlos Azenha comanda um programa na TV Brasil. Soldo do programa: 2 594 734 reais.
No dia seguinte, a PM informou que o rapaz de barba que socorreu a soldada Erika Canavezi era um policial à paisana. Os professores da Apeoesp estavam do lado de lá da barricada, compondo uma elegia à solidariedade humana com o arremesso de paus e pedras e entoando:
– Dil-ma! Dil-ma!


Diogo Mainardi

2 comentários:

sicário-OQÑ se discute disse...

Olá Stenio.

Com essa gente só tem uma forma de dialogar...primeiro baixa a lenha...depois conversa.
A policia não pode e nem deve virar saco de pancada de arruaceiros, a população e o govenos não podem virar reféns nas mãos destes canalhas por causa de um tal de Direitos Humanos.
Só existe disciplina com punição.
Parabéns à PM pela ação.
A policial militar que foi ferida que olhe bem nos olhos dos professores de seus filhos e cuide o que eles estão ensinando a eles se é que estão.....

Alexandre disse...

Lamentável o que aconteceu... se os professores fazem isso, imagine os alunos desses professores? Como exigir que alunos se comportem se os próprios professores agem desta maneira?