terça-feira, 31 de agosto de 2010

Radicais palestinos matam quatro israelenses na Cisjordânia


Quatro israelenses foram mortos por radicais palestinos em uma emboscada na Cisjordânia nesta terça-feira, 31. O tiroteio aconteceu perto de Hebron. O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, e a Brigada dos Mártires de Al-Aqsa - grupo radical ligado ao Fatah, que governa a Cisjordânia, reivindicaram o ataque.

"Podemos confirmar que há quatro mortos no local", disse o porta-voz da polícia israelense, Micky Rosenfeld.

O automóvel no qual as vítimas viajavam foi alvejado em uma estrada entre um assentamento e o povoado palestino de Bani Naim. Colonos judeus utilizam muito a estrada, que é um foco de tensão entre palestinos e israelenses.

A mídia local reportou que as vítimas são duas mulheres de 25 e 40 anos - sendo uma delas grávida - e dois homens, também com 25 e 40 anos. Eles são membros de uma mesma família residente no assentamento de Beit Hagai, no sul de Hebron.

O episódio acontece enquanto O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e Abbas viajam aos EUA, onde devem relançar negociações diretas de paz nesta quarta-feira. O Hamas se opõe ao estabelecimento das conversações diretas.

Autoria disputada

Em um comunicado, a ala armada do Hamas disse que as " Brigadas Qassam assumem total responsabilidade pela operação em Hebron"

A Brigada dos Mártires de Al-Aqsa também reivindicou o atentado. "Esse ataque é uma resposta às contínuas agressões de Israel contra nossos lugares sagrados, às suas contínuas incursões em nossas cidades e à coordenação de segurança entre Israel e a ANP", disse pelo rádio um militante que se identificou como Abu Mahmoud.

Resposta israelense

O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, considerou o incidente como "sério e difícil". Segundo ele, o Exército de Israel e as forças de segurança farão tudo o que estiver ao seu alcance para capturar os atiradores. "Israel não permitirá que os terroristas se levantem e fará os assassinos e aqueles que os mandaram pagar", disse.

O atentado, no entanto, não deve interromper as negociações de paz. Segundo funcionários do gabinete de Netanyahu, o cronograma segue normalmente.

Esse é o primeiro episódio de violência contra israelenses na Cisjordânia desde junho, quando um policial foi morto e outros dois ficaram feridos quando seu veículo foi atacado nas proximidades de Hebron. Em maio, dois israelenses se feriram com cacos de vidro quando seu carro foi atingido por balas na mesma estrada em que ocorreu o ataque desta terça.



Estadão



Há ainda os imbecis antissemitas que são capazes de defender estes terroristas...
Por serem supostamente "politicamente corretos" , apoiam este tipo de ignomínia de forma velada. Igualzinho ao que Lula falu quando da Morte do Cubano Zapata.
Assim é o proselitismo da esquerda podre e ultrapassada no mundo todo: Proselitista, que foge ao essencial do debate a troco de dogmas pré-históricos.
Sinto muito pelos Israelenses Mortos.

Nenhum comentário: