sábado, 4 de setembro de 2010

Perversões da Democracia: Apesar de tanta sujeira o eleitor brasileiro é capaz de uma bestialidade sem precedentes....

O Estado de S.Paulo

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, parou de avançar na corrida eleitoral e se mantém com 51% das intenções de voto, segundo a pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. Da mesma forma, José Serra (PSDB) parou de cair, suspendendo uma tendência iniciada no início de agosto. O tucano aparece com 27% das preferências, mesmo índice verificado na pesquisa anterior do Ibope, divulgada no último sábado. Marina Silva (PV) oscilou de 7% para 8%.


Com esses números, Dilma teria 59% dos votos válidos (excluídos os brancos, nulos e indecisos) e venceria no primeiro turno. Na eventualidade de ocorrer um segundo turno, ela manteria o favoritismo e teria 22 pontos de vantagem sobre Serra (55% a 33%), segundo o Ibope.

O resultado da pesquisa, feita entre os dias 31 de agosto e 3 de setembro, capta apenas parcialmente os eventuais efeitos do noticiário sobre a quebra do sigilo fiscal de Verônica Serra, filha do candidato do PSDB.

Apesar de Dilma ter estacionado, a pesquisa voltou a registrar aumento na expectativa de vitória da petista. Para 69% dos eleitores, ela será a futura presidente - eram 66% há uma semana. Apenas 17% creem que Serra será o vitorioso - o índice caiu pela metade desde o início de julho.

Veja também:


Eleitores seguros. Houve uma oscilação positiva de dois pontos porcentuais na intenção de voto espontânea da petista, que passou de 41% para 43%. Serra aparece com 20%, menos da metade do índice da adversária. Nessa modalidade, os eleitores manifestam sua preferência sem ler a lista de candidatos - é, portanto, uma declaração de voto mais consolidado.

Na divisão do eleitorado por gênero, Dilma teria hoje o dobro de votos de Serra entre os homens (54% a 27%). No segmento feminino, ela também venceria, mas por margem menor (49% a 28%). Há mais indecisos (9%) entre as mulheres que entre os homens (6%).

A candidata do PT é líder isolada em todas as faixas de renda, com exceção da mais alta - a dos eleitores com renda familiar superior a cinco salários mínimos. Nesse caso, há um empate técnico entre ela (36%) e Serra (38%). No eleitorado mais pobre, com renda inferior a um salário mínimo, Dilma tem quase o triplo das intenções de voto do adversário.

Geografia do voto. Nas distintas regiões do País, a única alteração significativa no intervalo entre as duas pesquisas mais recentes ocorreu no Sul. Dilma passou de 40% para 44%, ampliando sua vantagem sobre o adversário de cinco para nove pontos.

No Nordeste, a petista tem 47 pontos de folga (65% a 18%). No Norte/Centro-Oeste, ela lidera por 55% a 25%. No Sudeste, que reúne os maiores colégios eleitorais, a vantagem é de 13 pontos (44% a 31%).

Nos municípios com menos de 20 mil habitantes, a ex-ministra da Casa Civil atinge 58% das intenções de voto. Nas localidades maiores, com mais de 100 mil habitantes, seu eleitorado é menor (47%). Serra tem 25% e 28%, respectivamente.

Nenhum comentário: