sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Pior do que tá não fica?


Com o slogan "vote Tiririca, pior que tá não fica", o PR lançou para candidato a deputado federal o palhaço Tiririca. A candidatura virou fenômeno de popularidade, e várias comunidades foram criadas no Orkut, algumas com mais de 50 mil participantes. O velho voto de protesto, daqueles cansados com "tudo que está aí", tem conquistado adeptos da esquerda à direita. E quem não está enojado com a política nacional?

O problema é que o tiro sai pela culatra. Ao contrário do movimento debochado dos comediantes do Casseta & Planeta, que lançaram no passado o Macaco Tião como candidato no Rio, o voto em Tiririca coloca de fato alguém no poder. Na verdade, pode colocar mais de um, pois a quantidade enorme esperada de votos pode arrastar mais colegas de legenda. O PR, que não é bobo, deu para Tiririca o disputado número 2.222, de fácil memorização, de olho nesta oportunidade. E tem muito marmanjo caindo nessa!

Pensando que estão protestando contra o governo, os eleitores de Tiririca estarão contribuindo com o projeto de poder do PT, uma vez que o PR é da base aliada de Dilma. Grande protesto! Ajudar a dar ampla maioria aos petistas no Congresso, para que os projetos "bolivarianos" tenham mais chance de passar. Pior que tá não fica? Fica sim! Vide Venezuela, Argentina, Bolívia e Equador, todos eles sob governos de "camaradas" do PT.

Trata-se de uma estranha forma de lutar pela liberdade contra "tudo que está aí". Fica até parecendo protesto de adolescente rebelde, que não costuma ligar muito para os resultados de suas ações, e apenas com a sensação de prazer que a rebeldia propicia. Acham-se malandros, mas não passam de inocentes úteis a serviço do PT. Se tivessem um espelho, talvez soubessem discernir melhor quem é o verdadeiro palhaço nessa história...

Rodrigo Constantino é formado em Economia pela PUC-RJ e tem MBA de Finanças pelo IBMEC. Trabalha desde 1997 no mercado financeiro, primeiro como analista de empresas, depois como gestor de recursos. É autor de cinco livros: "Prisioneiros da Liberdade", "Estrela Cadente: As Contradições e Trapalhadas do PT", "Egoísmo Racional: O Individualismo de Ayn Rand", "Uma Luz na Escuridão" e "Economia do Indivíduo - o legado da Escola Austríaca", lançando pelo Instituto Mises Brasil. É também membro do Conselho de Administração do IMB.


MISSES.ORG

2 comentários:

Antonio disse...

GABEIRA FALANDO DA GUERRILHA.mp4
www.youtube.com
Nesse vídeo Fernando Gabeira fala, honestamente sobre sua atuação na guerrilha. Deixa claro, que tanto ele quanto os outros que pegaram em armas contra a ditadura militar, não podem dizer que lutavam pela democracia. Gabeira diz que muitas pessoas estavam fazendo resistencia pela democracia no Brasi...

Sapo disse...

Stenio, leia este:

Sem Choro, nem Vela
http://www.alertatotal.net/2010/09/sem-choro-nem-vela.html