sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pacotes suspeitos aparentemente continham explosivos, diz Obama


WASHINGTON- O presidente americano, Barack Obama, afirmou em discurso nesta sexta-feira, 29, que dois pacotes suspeitos do Iêmen encontrados em Dubai e Londres e um avião com destino aos Estados Unidos aparentemente continham explosivos.


"Investigadores descobriram uma ameaça crível contra os Estados Unidos", disse o governante na Casa Branca. Segundo o presidente, os dois pacotes estavam endereçados a organizações judias na área de Chicago, sem identificá-las.

Obama declarou que o governo está fazendo revistas adicionais em cargas de voos por causa da ameaça, e que os Estados Unidos estão comprometidos em "destruir" a Al-Qaeda no Iêmen e que os eventos, ocorridos quatro dias antes das eleições legislativas americanas, "destacam a necessidade de vigilância permanente contra o terrorismo".

Dois pacotes suspeitos que eram transportados do Iêmen aos Estados Unidos foram encontrados hoje no Reino Unido e em Dubai. Um dos pacotes foi encontrado em um voo da UPS em um aeroporto da Inglaterra. O outro foi descoberto em uma unidade da Fedex em Dubai.

Segundo um oficial dos Emirados Árabes Unidos, um dispositivo suspeito encontrado na aeronave de Dubai com destino aos EUA continha materiais explosivos.

Aeronaves em aeroportos de Newark, em Nova Jersey, e na Filadélfia foram inspecionados por precaução, mas já foram liberados. Um caminhão da UPS também estão sob investigação.

Al-Qaeda no Iêmen

Em uma coletiva de imprensa após o comunicado de Obama, o assessor para a luta contra o terrorismo da Casa Branca, John Brennan, disse que os explosivos descobertos tinham como objetivo "perpetrar um atentado e causar danos".

Brennan declarou que as autoridades examinam todos os pacotes procedentes do Iêmen no local de origem dos objetos suspeitos. Até o momento, disse o funcionário, não há indícios de que existam outras bombas além das encontradas.

Os pacotes encontrados já foram desativados. Apesar de Obama não ter responsabilizado a rede terrorista diretamente, os serviços de segurança acreditam que a Al-Qaeda na Península Arábica, com base no Iêmen, está por trás dos incidentes.

Até o momento os serviços secretos não se centraram em um suspeito concreto, acrescentou Brennan, indicando que "qualquer indivíduo relacionado a Al-Qaeda é um sujeito de interesse para a investigação".

O nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, acusado pelo atentado falido do Natal, disse a autoridades americanas que recebeu treinamento e materiais explosivos de insurgentes da Al-Qaeda no Iêmen. O país vem tentando conter os rebeldes em seu território com ajuda dos Estados Unidos.

Comício

Brennan também disse que o destino dos pacotes eram sinagogas de Chicago, onde Obama tem um comício agendado amanhã.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou que o presidente não tem a intenção de alterar seus planos de viagem para os próximos dias.

Nenhum comentário: