quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Protestos marcam encontro de Dilma com ambientalistas


Agência Estado

BRASÍLIA - Em ato marcado por protestos de ativistas ambientais e pela euforia da militância, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, apresentou no final da manhã de hoje o seu programa de governo para o meio ambiente. Na solenidade, realizada num auditório lotado do Hotel Nacional, em Brasília, ela recebeu o apoio de lideranças do PV, do "Movimento Marina" e de ambientalistas.


Militantes do Greenpeace interromperam o discurso de Dilma para fazer um protesto contra o que consideram falta de comprometimento sério dos candidatos a presidente com o meio ambiente e com a política ambiental.Os ativistas se posicionaram diante de Dilma e estenderam um banner com a pergunta: "Desmatamento zero e lei de renováveis: você assina embaixo?" Em seguida, estenderam um documento e ofereceram uma caneta, para que ela assinasse o compromisso. Indignados, os militantes pró-Dilma tentaram conter o protesto, aos gritos de "fora tucanos" e "Brasil urgente, Dilma presidente".

Dilma interveio e pediu aos militantes que deixassem os ativistas do Greenpeace defender sua posição. Em seguida, respondeu que não assinaria o documento, com o argumento de que não faz "leilão político" em troca de apoio. "Minha assinatura não vai em qualquer documento que alguém põe na minha frente e diz, assina. Isso é desrespeitoso", protestou.

A petista afirmou que se compromete, apenas, com propostas viáveis, e ressaltou que o governo até pode alcançar o "desmatamento zero". Mas salientou que seu compromisso de campanha é com os termos do Plano Nacional de Mudança de Clima, aprovado pelo Congresso, que prevê redução de 80% do desmatamento da Amazônia e de 40% do Cerrado.

Ela também defendeu tolerância zero com o desmatamento em qualquer bioma e afirmou que não apoiará políticas que tentem flexibilizar a punição aos desmatadores. Dilma lembrou, ainda, que chefiou a delegação brasileira na Conferência de Copenhague, que revisou os termos do Protocolo de Kyoto. Segundo ela, o Brasil se comprometeu com as metas mais avançadas de redução da emissão de gases de efeito estufa, de 36% a 39% até o ano de 2020.

No programa de governo para a área ambiental divulgado hoje, a candidata do PT à Presidência da República, se compromete a vetar iniciativas que impliquem em anistia aos desmatadores e em redução das áreas de reserva legal.

Apoio

Dilma recebeu o apoio de Angela Mendes, filha do líder seringueiro Chico Mendes. Angela disse que votou em Marina Silva (PV) no primeiro turno, mas que agora está com Dilma. "Minha coerência me trouxe até aqui, por causa da história do presidente Lula", justificou.

Também declararam apoio a Dilma lideranças e parlamentares do PV: o líder da bancada, Edson Duarte (BA), e os deputados federais Zequinha Sarney (PV-MA), Roberto Santiago (PV-SP) e Fábio Ramalho (PV-MG), além de militantes do "Movimento Marina", representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs), como Rede Brasileira de Ecossocialistas, e Marcos Aporinã, representante dos povos indígenas.

Nenhum comentário: