quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

DEM reduz mandato de Rodrigo Maia para escolher nova direção em março


A executiva do DEM se reuniu nesta quarta-feira (8) em Brasília e decidiu convocar uma convenção para março de 2011 para eleger um novo presidente para o partido. Na prática, a convocação significa encurtar o mandato de Rodrigo Maia, que iria até dezembro de 2011. O pedido de convenção foi feito pelo próprio presidente do partido.

Maia afirmou que a decisão por encurtar seu mandato foi tomada para não “implodir” a legenda, que está envolvida em disputas internas. “Eu não poderia ser responsável pela implosão deste partido nem pela decisão dos filiados de deixar o partido.”

O presidente do DEM afirmou que não pretende disputar a eleição convocada para março. “A princípio eu não pretendo disputar porque acho que um rodízio na presidência vai ser salutar para o partido.” Maia afirmou que a decisão de antecipar as eleições pode ajudar a unir o partido.

Questionado se a decisão impediria uma eventual saída do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, do DEM, o presidente do partido afirmou que isso trará "conforto" para o colega. "Tenho certeza que esta decisão dá conforto ao nosso prefeito que governa muito bem a sua cidade, que dá conforto para ele permanecer no partido." Kassab esteve na reunião, mas saiu sem dar declarações.

Renovação
Segundo o deputado Indio da Costa (RJ), que disputou a vice-Presidência na chapa do tucano José Serra, a nova executiva, a ser eleita em março, terá a missão de marcar eleições para a troca de comando também nos estados e municípios.

O senador Demóstenes Torres (GO) já defendeu o nome de José Agripino (RN) para a presidência do partido. Na visão do senador, o partido precisa ter uma atuação de mais independência em relação ao PSDB. "O partido precisa deixar de ser um apêndice do PSDB, embora devamos trabalhar juntos."

Agripino adiantou que só será candidato se houver consenso. "Em minha vida inteira nunca rejeitei nenhuma missão, mas candidato para disputar eu não serei. Se houver consenso, aí sim", disse.

Agripino disse ter apresentado na reunião um plano de revitalização do partido e afirmou que o DEM não pode atuar como "linha auxiliar" do PSDB.

Nenhum comentário: